Téc. Individual - Artigo 09b

- Saque

- Exercícios de Saque (Parte V).

- Sequência de Exercícios no. 04 (para qualquer nível).

- Objetivo: Associar a execução à Estratégia de Saque do time.

- Tipos: Tênis e "Viagem" com Potência Máxima e/ou "Chapado".

Uma dupla deve ter Estratégia e Alternativas Táticas de Saque bem definidas. Numa competição enfrentará adversários/jogadores com diferentes características. Ou seja, uma Estratégia que obtém bom rendimento contra um adversário e/ou contra determinado jogador, pode não ser boa contra outros.

Propriedades Importantes.

1 - Capacidade Técnica Individual para executaram diferentes tipos de saque, em diferentes pontos da Zona de Saque e de diferentes distâncias em relação à linha do fundo.

2 - Discernimento Tático Individual para decidir que tipo de Saque deve ser executado para dificultar determinadas ações de ataque do adversário.

3 - Associar o tipo do Saque aos posicionamentos no Bloqueio e na Defesa.

 

Tive uma experiência bem-sucedida. No treinamento Tático Coletivo, a Dupla em Treinamento (DT) pratica o Sistema Defensivo. Uma outra, a Dupla Oponente (DO), por conseguinte, o Sistema Ofensivo (recepção-levantamento-ataque). O Treinador estabelece o tipo de Saque e o alvo a ser buscado na quadra oposta.

- Dinâmica do Treinamento. A bola entra em jogo a execução do saque. A DO realiza a sequência recepção/levantamento/ataque. A DT bloqueio/defesa/contra-ataque. O "rally" continua até que um dos times consiga marcar o ponto. Os reinícios são sempre pelo saque estabelecido no Módulo.

- Divisão do Treinamento. Dividir a sessão em, por exemplo, 4 módulos de, também por exemplo, 15 minutos. Em cada módulo o Treinador determina um Alvo a ser buscado pelos jogadores da DT na quadra de DO.

Ex 19 - Módulo 1. J1 da Dupla em Treinamento (DT) executa o saque da Zona A, entre J2 e a linha lateral, no Terço Final (TF) da quadra oposta (diag. 1 a seguir).

Ex 20 - Módulo 2. J2 da Dupla em Treinamento (DT) executa o saque da Zona A, entre J2 e a linha lateral, no Terço Final (TF) da quadra oposta (diag. 1 a seguir).

Ex 21 - Módulo 3. J1 da Dupla em Treinamento executa o saque da Zona A, entre J1 e a linha lateral, no Terço Final (TF) da quadra oposta (diag 2 a seguir).

Ex 22- Módulo 4. J2 da DT executa o saque da Zona A entre J1 e a linha lateral, no (TF) da quadra oposta (diag. 2 a seguir).


Treinamento 2. Também dividido em 4 Módulos de 15 minutos.

Ex 23 - Modulo 1. J1 da DT executa saque da Zona B entre J2 e a linha lateral, no TF da quadra oposta (diag. 1 a seguir).

Ex 24 - Módulo 2. J2 da DT executa o saque da Zona B ente J2 e a linha lateral, no TF da quadra oposta (diag. 1 a seguir).

Ex 25 - Módulo 3. J1 da DT executa o saque da Zona B entre J1 e a linha lateral, no TF da quadra oposta (diag. 2 a seguir).

Ex 25 - Módulo 4. J2 da DT executa o saque da Zona B entre J1 e a linha lateral, no TF da quadra oposta (diag. 2 a seguir).


Treinamento 3. Também dividido 4 em Módulos de 15 minutos.

Ex 26 - Módulo 1. J1 da DT executa o saque da Zona C entre J2 e a linha lateral, no Terço Final (TF) da quadra oposta (diag. 1 a seguir).

Ex 27 - Módulo 2. J2 da DT executa saque da Zona C entre J2 e a linha lateral, no TF da quadra oposta (diag. 1 a seguir).

Ex 28 - Módulo 3. J1 da DT executa o saque da Zona C, entre J1 e a linha lateral, no TF da quadra oposta (diag. 2 a seguir).

Ex 29 - Módulo 4. J2 da DT executa o saque da Zona C, entre J1 e a linha lateral, no TF da quadra oposta (diag. 2 a seguir).

 

Nota

As sequências sugeridas estabelecem os saques desferidos das Zonas A, B e C, entre os jogadores (J1 e J2) e as linhas laterais, nos terços Final, Central e Inicial da quadra oposta.

- No Planejamento Global de uma dupla de alta competitividade os Módulos podem ser distribuído ao longo de um período sem competições, da maneira mais conveniente. Nas proximidades das competições, o Treinador estabelece tipos e alvos que provavelmente serão mais úteis.

- Errata: nos grupo de diagramas a seguir, onde se le Fina, leia-se Final. No terço Central está Fina, e Central.

 

 

 

Treinamento 4, também dividido em quatro Módulos, vamos mudar os alvos.

Ex 30 - Módulo 1, J1 da Dupla em Treinamento (DT) executa o saque da Zona A, entre J1 e J2, no Terço Final (TF) da quadra oposta (diag. 4 a seguir).

Ex 31 - Módulo 2, J2 da Dupla em Treinamento (DT) executa o saque da Zona A, entre J e J2, no Terço Final (TF) da quadra oposta (diag. 4 a seguir).

Ex 32 - Módulo 3. J1 da DT executa o saque da Zona B entre J1 e J2, no Terço Central (TC) da quadra oposta (diag. 5 a seguir).

Ex 33 - Modulo 4. J2 da DT executa saque da Zona B entre J1 e J2, no TC da quadra oposta (diag. 5 a seguir).


 

Treinamento 5, dividido em dois Módulos, vamos mudar os alvos.

Ex 34 - Módulo 3. J1 da DT executa o saque da Zona C entre J1 e J2 , no Terço Inicial TI da quadra oposta (diag. 6 a seguir).

Ex 35 - Módulo 4. J2 da DT executa saque da Zona C entre J1 e J2, no TI da quadra oposta (diag. 3 anterior).

 

 

 

- Conclusão da Técnica Individual do Saque.

 

Existe o que se denomina Nível Técnico Requerido (NTR), que é a média - ótima - das melhores performances em todas as funções do jogo. Por exemplo, os melhores jogadores em Recepção do Saque obtêm 80% de aproveitamento, os de ataque 55%, os de defesa X%, os de bloqueio Y%, os de ataque Z%, etc... O treinamento global, isto é, físico, técnico individual e tático, deve ter em vista o alcance desse NTR. Esses níveis são buscados em todas as sessões de treinamento, em cada série de exercícios, em cada execução de saque. Logo, treinadores e atletas devem considerar essa componente e buscarem o alcance desses níveis.

Esse NTR vale para qualquer esfera de competição, desde as categorias de base, até o mais alto nível de competitividade.

Sem desejar ser repetitivo, apresento alguns comentários que considero muito importantes.

1 - O saque atualmente é um fator de desequilíbrio no vôlei de praia. O Jogador tem que ser, ao mesmo tempo, regular e eficaz. Regular, porque o erro resulta em ponto para o adversário. Eficaz, para tornar mais fácil a tarefa de bloquear e defender e, consequentemente, obter os pontos por meio de conta-ataques.

2 - Considerando sua importância, o treinamento do saque deve ser em sessões específicas e, sobretudo, de maneira sistemática.

3 - Nas sessões o atleta deve estar absolutamente concentrado, com a musculatura descansada e compromissado com os objetivos do treinamento, ou seja, alcançar o nível requerido pela competição que está envolvido.

4 - O número de séries e repetições de uma seção deve ser objeto de estudo. O exagero não é benéfico. O jogador passa a cumprir a tarefa sem interessar-se pelo próprio aproveitamento, arrisca-se às lesões decorrentes de uma musculatura fatigada e pratica sem observar as referências indispensáveis para um bom saque.

5 - É fundamental a participação do treinador. Corrigindo, cobrando aproveitamento, incentivando, etc.

Ao longo da apresentação dos dez artigos sobre o saque, tentei focalizar o assunto de maneira detalhada, a fim de enfatizar a importância do treinamento para a performance global do jogador e da equipe como todo.

O atleta brasileiro não tem muita paciência para treinamentos de saque. E por que isso? Na minha opinião, não se dão conta da importância de um bom aproveitamento no saque. Depois, tradicionalmente, esse treinamento é realizado como uma última parte, a parte final: de modo geral, o atleta está pensando em cumprir e ir embora. Pouco a pouco está interessando-se mais, contudo, ainda não se envolve men-tal-men-te da maneira que deveria.

Existe um pensamento: uma situação de jogo - qualquer - será melhor realizada, se anteriormente simulada na mente: é o tal do treinamento mental.

 

Próximo artigo: a Técnica Individual do Toque Acima da Cabeça.

Voltar ao Menu Técnica Individual - Vôlei de Praia.