Técnica Individual - Art. 04

- MEIOS DE ATAQUE

 

- Exercícios para a Aprendizagem e o Aperfeiçoamento dos Meios de Ataque - Parte I.

Como vimos na apresentação dos Meios de Ataque - cortada e "largadas", os procedimentos para a execução dos mesmos diferem muito pouco. Por isso, os exercícios que serão propostos a seguir terão como base a execução da cortada. Ao longo da apresentação, então, mencionarei alguns específicos para os tipos de "largadas".

Como sempre, a sequências de exercícios que serão apresntadas são apropriadas desde a iniciação até o mais alto nível. Vamos a elas.

 

- Sequência de Exercícios no 01.

- Objetivos.

- Educativo para o Salto: - ângulação adequado da flexão/extensão das pernas;
  - equilíbrio do corpo no ar;
  - movimentos do tronco e dos braços.

 

01 - Dois jogadores dispostos um de cada lado da rede, executando os exercícios alternadamente. Na figura a seguir, uma estilização para exemplificar o exercício por partes.

 

 

 

1 - O jogador posicionado a meio metro da rede, segura a bola com as duas mãos, na altura da cintura.

2 - Executa o salto absolutamente parado, isto é, faz um movimento veloz de flexão/extensão das pernas; o ângulo da flexão das pernas é de aproximadamente 45 graus.

3 - Salta elevando a bola com os dois braços. No ponto morto da impulsão, coloca-a atrás da cabeça, acentuando ao máximo o movimento do tronco.

4 - Antes de o corpo começar a descida, arremessa a bola por cima da rede, para o outro lado da rede.

 

Após o arremesso o jogador tem que cair no mesmo ponto em que saltou. Ou seja, não pode haver qualquer desequilíbrio durante toda a ação, nem para frente nem para trás.

 

02 - Agora, o jogador no mesmo ponto em que inicia o exercício anterior, dá uma passada bem larga para trás e para, com os dois pés paralelos; é o ponto em que deve começar o exercício. Dá uma passada para frente, salta, com as pernas e pés paralelos, e arremessa a bola para o outro lado da rede, tal qual o fez no exercício 01.

 

 

03 - Agora, com duas passadas bem largas para trás; é o ponto em que deve começar o exercício. Dá duas passadas bem largas para frente e, com os pés e pernas paralelos, salta. No ponto morto da impulsão, arremessa a bola para o outro lado da rede.

 

 

04 - Idem 03, sendo que o arremesso tem que ser de tal maneira que a bola passe a cerca de dois metros da rede e descaia no fundo da quadra. Este exercício requer maior equilíbrio ainda.

05 - Posicionamento igual ao do exercício 03. O jogador dá duas passadas bem largas, salta e, no ponto morto da impulsão, gira o corpo da esquerda para a direita (sentido horário) e arremessa a bola para o outro lado da rede.

06 - Idem 04, com o arremesso após girar o tronco da direita para a esquerda (sentido ante-horário).

07 - Idem 05, com arremesso para o fundo da quadra; giro do corpo no sentido horário. A bola tem que passar a cerca de 2 metros sobre o bordo superior da rede.

08 - Idem 06, com arremesso para o fundo da quadra; giro do corpo no sentido ante-horário. A bola tem que passar a cerca de 2 metros sobre o bordo superior da rede.

 

- Aspectos a serem observados durante a execução dos exercícios.

 

1 - Existe certa diferença entre o vôlei de quadra e o de praia, com relação aos procedimentos para a execução da cortada. No de quadra, o atacante utiliza-se da cortada violenta em 99,9 % das bolas. Por causa disso, faz a aproximação com muito maior velocidade e, por ocasião do salto, muitas vezes, não consegue realizar uma impulsão de modo absolutamente vertical.

Em certas bolas, como por exemplo, as atacadas do fundo, o atacante golpeia a bola e vai acabar na quadra oposta. No de praia, os atacantes alternam bastante as cortadas fortes com as "largadas". A impulsão, no caso, é quase sempre de modo absolutamente vertical. Por que? O atacante tem que ter equilíbrio para poder executar todos os golpes. Os objetivos para com os exercícios dessa sequência têm em vista, já no processo de aprendizagem, buscar essa importante propriedade. Logo, são aspectos importantes:

- saltar, executar o arremesso e cair, rigorosamente, no mesmo ponto em que saltou;

- manter o mesmo espaço entre o corpo e a rede, durante toda a execução da ação;

- fazer os movimentos do tronco e dos braços, com máxima velocidade, no ponto morto da impulsão, ou seja, nem na subida nem na descida do corpo.

Na execução dos exercícios os jogadores tentam arremessar a bola cada vez mais perto da rede. O treinador não deve permitir. O espaço de cerca de meio metro da rede visa proporcionar espaço suficiente para o jogador realizar os movimento do tronco e dos braços de modo bem amplo e veloz.

2 - Nos exercícios 05, 06, 07 e 08, em que o atleta tem que girar o tronco, tais giros têm que ser feitos no ponto morto da impulsão. A queda tem que ser, também, no mesmo ponto em que foi feito o salto e, rigorosamente, de frente para a rede.

3 - Os arremessos em que a bola passa mais acima do bordo da rede e descaem no fundo da quadra, requerem grande equilíbrio e contribuem para desenvolver a coordenação de todos os movimentos.

4 - Chamo atenção para um aspecto fundamental: a ação toda tem que ser realizada com velocidade máxima.

5 - Um recurso válido para melhorar o desempenho do jogador, quer no salto quer na força do arremesso, é a substituição da bola de vôlei por uma do tipo medicine-ball. Para iniciantes é suficiente uma de 1 kg; para atletas já formados, acima de 2 kg.

6 - Uma referência interessante para os atletas sobre o posicionamento e o grau de extensão dos braços é a linha dos cotovelos. No momento do arremesso a mesma tem que estar na linha dos olhos.

 

Continua no art. 05, com outra Sequência de Exercícios

 

Home

Ir para Menu Vôlei de Quadra

  Ir para Menu Estratégias/Táticas do Sistema Ofensivo - Vôlei de Praia  

 

Ir para Menu Estratégias/Táticas do Sistema Defensivo - Vôlei de Praia

Ir para Menu Vôlei de Praia