Técnica Individual - Artigo 23

 Sequência de Exercícios No 4

Em continuidade às sequências anteriores, apresento mais uma com vistas ao aperfeiçoamento do Tempo de Bloqueio.

Objetivos.

1 – Consolidar o procedimento de bloqueador olhar atentamente a movimentação do atacante adversário.

2 – Aprimorar a decisão do Bloqueador em relação ao Momento de Saltar para o Bloqueio.

3 – Perceber a direção da trajetória da bola e posicionar seus braços de acordo com a mesma.

Disposição do Jogadores na Quadra

Dispostos 2 a 2. O jogador bloqueador (JB) no posicionamento original, ou seja, em uma das extremidades da rede. O jogador-atacante (JA), na quadra oposta, a cerca de 4 metros de distância da rede.

 

                      

Ex. 27 – JA alça a bola sobre sua cabeça. Executa um Toque de modo que a trajetória da bola seja retilínea. JB, no seu posicionamento e com postura absolutamente relaxada, olha a movimentação de JA, a fim de decidir o momento exato para saltar para o bloqueio. Salta e intercepta a bola antes que esta ultrapasse o bordo superior da rede (movimento flexão-extensão das pernas e invasão com os braços).
Os jogadores se revezam na prática. Treinador estipula o número de execuções para cada qual e comanda as trocas de funções.

Ex. 28 – Mesma dinâmica do ex. 27. Neste, JA procura acelerar, o máximo possível, a trajetória da bola. A fim de obrigar JB a acelerar mais ainda a execução do bloqueio. Importante: JB aguarda o momento exato para o salto, e realiza a flexão/extensão das pernas, o salto e a invasão dos braços com velocidade máxima.

Ex. 29 – Mesma dinâmica dos exercícios anteriores. Agora JA em vez de executar um toque, executa uma cortada, sem saltar (figura a seguir). De modo que a trajetória da bola seja ainda mais rápida. JB tem que perceber e decidir o momento exato para saltar. Bloquear a passagem da bola antes que ela ultrapasse o bordo superior da rede.
Este, no caso, aguarda, o chão, olhando fixamente para JA; o lançamento da bola, o salto e os movimentos do tronco e dos braços. No momento que considerar apropriado salta e movimenta seus dois braços na direção da bola.

 


Ex. 30 – Idem ex. 29. Agora JA, no mesmo ponto da quadra, isto é a cerca de quatro metros da rede, alça a bola sobre sua própria cabeça, salta e executa a cortada. Importante: a bola deve passar no espaço que JB está ocupando; o intuito é dar oportunidade dele praticar.

Ex. 31 – Idem ex. 30. Agora, JA lança a bola um pouco à sua frente e a ataca a cerca de um metro e meio da rede. JB, no caso, tem menos tempo para executar o bloqueio. Logo, decidir o momento do salto, imprimir velocidade máxima na execução do bloqueio.

Ex. 32 – Idem ex. 30 e 31. Neste, JA lança a bola mais à frente ainda e a ataca no máximo a meio metro da rede. É a situação de jogo em que a bola é colada à rede. JB aguarda o momento exato do salto, executa o bloqueio com velocidade máxima. E com um objetivo: aproximar, ao máximo, suas mãos à bola; de maneira que não haja espaço entre elas e a bola.

Ex. 33 – A mesma dinâmica do ex. 32. Agora, com ataque direcionado deliberadamente ligeiramente à direita de JB.

Ex. 34 – Idem ex. 33, com o ataque direcionado deliberadamente à esquerda de JB.

Ex. 35 - Mesma dinâmica dos exercícios 33 e 34. Neste, JA ataca, sem demonstrar a direção que quer dar à bola, à direita e/ou à esquerda. Importante: JB tem que olhar para JA a fim de perceber a direção da mesma.

 


 

- Aspectos a serem observados durante a Execução do Exercícios

1 – A execução, de todos os exercícios desta sequência, requer habilidade/precisão dos jogadores, sobretudo dos jogadores-atacantes (JA). Logo, é necessário fazer adequações a fim de serem ministrados para iniciantes.  Simples: pelo menos inicialmente, o professor/treinador ou um colaborador com capacidade, se encarregam dos ataques.

2 – Os jogadores têm que ter em mente que a prática é para os bloqueadores. Logo, todas as suas execuções têm que ter em vista dar oportunidade aos mesmos de praticarem o maior número de vezes possível. Pensando assim, os toques e os ataques devem ser direcionados ao espaço que o jogador-bloqueador está ocupando.

3 – É muito importante que JB se concentre nos seus procedimentos. É comum certa ânsia de bloquear e, por isso, executam o bloqueio, diria, de qualquer jeito. O professor/treinador deve enfatizar a importância da observação dos procedimentos recomendados. Ou seja:
- olhar atentamente JA de modo seus movimentos, a direção do ataque, etc. São elementos que o ajudam decidir pelo momento exato de saltar para o bloqueio.
- imprimir velocidade máxima na execução do bloqueio; complemento da execução (o contato com a bola) a velocidade é, sempre, máxima.

4 – A seguir, erros mais frequentes.

1 – Saltar e não manter o equilíbrio do corpo no ar; saltar e pousar no mesmo ponto.

2 – Não observar o espaço entre o peito e a rede; deve ser sempre o mesmo. Realizar o bloqueio com o corpo muito da rede dificulta – para não dizer que impossibilita – o movimento de invasão dos braços no sentido do espaço aéreo da quadra oposta.

3 – Salta atrasado e/ou adiantado.

4 – Não realizar o movimento de invasão ou realiza-lo antes ou depois do tempo exato.

5 – Olhar exclusivamente para a bola e não perceber a movimentação de JA. Incialmente encontram certa dificuldade. Com o tempo se acostumam. Na continuidade da prática, adquirirem a capacidade de olhar o atacante e a bola num mesmo campo visual. Portanto, é preciso perseverança e paciência.

 

Continuação no art. 24 com a Relação Bloqueio-Defesa

 

Home

Ir para Menu Vôlei de Quadra