Técnica Individual - Artigo 20

 

Vôlei de Praia - Bloqueio – Tempo, Considerações.

O bom e eficiente desempenho no Bloqueio é obtido com observação de alguns importantes aspectos.

1 – Físicos

São valências funcionais e específicas que ajudam a execução da técnica. No quadro a seguir, menciono algumas, na minha opinião, as mais importantes

 

Valências

Membros

Ação

1.1 - Força Explosiva

- membros inferiores

- flexão/extensão das pernas

1.2 - velocidade

- membros inferiores
- membros superiores

- flexão/extensão das pernas
- elevação do braços

1.3 - flexibilidade de movimentos

- membros superiores

- extensão total do braços

 

- membros inferiores

- flexão/extensão das pernas

1.4 – Tonicidade muscular

- grupos musculares

- região abdominal
- região da cintura escapular

 

Tais valências físicas bem desenvolvidas contribuem e muito para execução da técnica do Bloqueio. E contribui para um bom desempenho do bloqueador no cumprimento de suas atribuições:

- uma boa impulsão e, por conseguinte, um bom alcance;

- máxima velocidade no movimento de flexão-extensão das pernas;

- equilíbrio do corpo no ar;

- máxima contração dos músculos dos ombros, dos braços, dos antebraços, dos punhos e dos dedos.

- uma boa flexibilidade de movimentos facilita amplitude máxima nos movimentos de extensão máxima dos braços e de flexão-extensão das penas.
 

2 – Técnicos

2.1 - Correta execução do Fundamento.

2.2 - Qualidade do Salto.

2.3 - Equilíbrio do corpo no ar.

2.4 - Colocação, com a angulação apropriada dos braços sobre a rede;

2.5 - Afastamento dos braços e mãos.

2.6 - Afastamento do dedos.

A correta execução do Bloqueio é fundamental para o desempenho da função - bloquear.

 

3 - Táticos Individuais.

São propriedades indispensáveis às decisões individuais que o bloqueador tem que adotar em todas as ações das quais participa ao longo de toda uma partida.

3.1 - Decisão do momento exato de saltar para o bloqueio.

3.2 - Percepção da qualidade da aproximação final, do salto e dos movimentos do tronco e dos braços do atacante.

3.3 - A compreensão de que o Bloqueio e uma parte de um Sistema, que deve ser vinculado á defesa tendo em vista o rendimento do Sistema Defensivo.

3.4 - Percepção da direção da trajetória da bola.

Muito difícil apontar o item mais importante a um bom rendimento no bloqueio. Todos são importantes. Vamos raciocinar juntos. De que adianta saltar bem, mas não ter uma boa técnica? Ou, ter uma boa técnica, mas não saltar bem? Ou seja a um bom bloqueador é requeridos uma série de qualidades. Somam-se a isso tudo, o Tempo do Bloqueio. Sem o qual, creio, de nada adianta todas as outras qualidades.
Neste artigo focalizarei o Tempo do Bloqueio, de modo detalhado, a fim de que seja possível a compreensão do assunto de modo pleno.   

 

3.2 - Elementos de Tempo do Bloqueio.

3.2.1 - Decisão do Momento exato do o Salto saltar para o Bloqueio. 

3.2.2 - A velocidade da execução da técnica do Bloqueio:

3.2.2.1 - do movimento de flexão-extensão das pernas;


3.2.2.2 - do movimento para o posicionamento dos braços sobre a rede.

3.2.3 - Movimento de Posicionamento dos Braços e das Mãos de acordo com a trajetória da bola.

O Bloqueio perfeito ocorre quando o bloqueador consegue:

a- perceber a desenvoltura ou não da aproximação final (duas últimas passadas que precedem o salto do atacante adversário);

b - salta no momento apropriado;

c - executa corretamente a técnica;

d - percebe o momento do golpe e dos movimentos dos braços do atacante adversário;

e -  percebe a trajetória da bola

d - intercepta no tempo exato.

Ou seja, nada fácil, sobretudo no Vôlei de Praia, modalidade na qual os bloqueios são individuais. Por isso, é função pouco gratificante; treina-se muito para resultado escasso. Mas, como demonstrarei neste artigo, muito importante para o rendimento global do Sistema Defensivo.

 

3.2.1 - Decisão do Momento exato de saltar para o Bloqueio.

O bloqueador deve adotar os seguintes procedimentos:

1 - observar a qualidade da recepção e/ou da defesa do atacante adversário, ou seja, se foi normal, fará, com desenvoltura, as aproximações para o ataque, a Primeira Aproximação (do ponto em que recepcionou ou defendeu até o ponto em que faz a aproximação final) e a Aproximação Final (as últimas passada que antecedem o salto para o ataque).
Caso tenha dificuldade, pode se atrasar, não conseguir fazer uma boa Aproximação Final e, por conseguinte, um bom salto para o ataque.

2 - diante da observação – mencionada no item anterior – o bloqueador deve observar atentamente a Aproximação Final e o Momento do Salto do atacante oponente.

Neste exato momento, o Bloqueador tomará a decisão sobre o Momento de Saltar para o Bloqueio.

 

Nota


Cabe a pergunta importante: e a bola? Devo ou não olhá-la? De modo geral, a bola está no campo visual do Bloqueador; no momento da recepção/defesa, durante a trajetória à Zona de Levantamento e no momento em que o levantamento é executado.
Se o bloqueador olhar exclusivamente para a bola, não perceberá todos os itens apresentados anteriormente. E mais: o momento do golpe e a trajetória da bola.
Com a prática, será possível observar tudo, relacionado ao atacante, sem perder a bola de vista.


 

3.2.2 - A velocidade da execução da técnica do Bloqueio.

Decidido o Momento do Salto, o próximo Elemento de Tempo é a Velocidade de Movimentos compreendida entre o Salto e a Execução Completa do Bloqueio, isto é, a correta colocação dos braços e das mãos sobre a rede; a velocidade é sempre máxima.

3.2.2.1 - do movimento de flexão-extensão das pernas;

3.2.2.2 - do movimento para o posicionamento dos braços sobre a rede.

Na representações abaixo, a sequência passo a passo:

O partindo de uma postura confortável (de pé), flexiona as pernas, extende as pernas, e coloca os braços sobre a rede. Reptindo: a velocidade na para a execução da sequência é sempre máxima.

 

Desenhos de Eduardo Rodrigues

 

Para isso, é necessário, como vimos anteriormente, uma série de fatores físicos e técnicos.

A Força Explosiva, responsável pela velocidade do movimento de flexão e extensão das pernas, e a velocidade da elevação dos braços até a conclusão da execução do Bloqueio.

 

Nota

A decisão sobre o momento do salto varia de acordo com as observações mencionadas anteriormente.  A velocidade da execução completa é sempre máxima. O retardo ou a aceleração desse movimento influi no Tempo do Bloqueio e, consequentemente, o sucesso do Bloqueio propriamente dito. 

 


 

3.2.3 - Movimento de Posicionamento dos Braços e das Mãos de acordo com a trajetória da bola.
 
Os braços devem ser colocados acima do bordo superior da rede da seguinte maneira:

- formando um ângulo de 40 e 50 graus em relação à rede;

- rigorosamente estendidos;

- as mãos no prolongamento dos antebraços;

- as mãos afastadas com o espaço entre os polegares semelhante à circunferência da bola.

Existem três posicionamentos:

1 - Frontal.

A bola atacada rede no espaço ocupado pelo Bloqueio

 

2 - Deslocado à Direita.

Ataque em que a trajetória da bola passa à direita do ponto em que o Bloqueio está posicionado.

 

3 - Deslocado à Esquerda.

Ataque em que a trajetória da bola passa à esquerda do ponto em que o Bloqueio está posicionado.

 

O ato de posicionar os braços e as mãos deve ser de acordo com a direção da trajetória da bola, e no tempo certo. Ou seja, o bloqueador alça os braços e os coloca no posicionamento apropriado no exato momento em que a bola está passando pelo seu raio de ação; nem antes nem depois.
De qualquer maneira, o ideal é que os braços/mãos façam um movimento de elevação e de invasão do espaço aéreo da quadra oposta, tendo em vista aproximar - ao máximo - as mãos da circunferência da bola.

Na representação abaixo, três pontos em que passam as trajetórias da bola. A esquerda corresponde ao ataque na Saída da Rede da quadra oposta; a da direita, a Entrada da Rede da quadra oposta.

 

 

Nota

Importante. O movimento dos braços de trás para frente é absolutamente desaconselhável, uma vez que, o mesmo funciona com rebatedor da bola. O ideal que a bola que o toca o bloqueio vá diretamente para o solo.

 

Quanto aos posicionamentos dos braços à direita e à esquerda, cabe observação.

1 - Ataque na Entrada da Rede da Quadra Oposta.

Posicionamento Deslocado à Esquerda – Interceptação da bola atacada na Paralela:
 
O posicionamento dos braços deslocado à esquerda, a mão esquerda deve estar à esquerda da bola.

Posicionamento Deslocado à Direita – Interceptação da bola atacada na Diagonal:

O posicionamento dos braços deslocado à direita, a mão direita deve estar à direita da bola.

 

1 - Ataque na Saída da Rede da Quadra Oposta.

Posicionamento Deslocado à Direita – Interceptação da bola atacada na Paralela:

O posicionamento dos braços deslocado á direita, a mão direita deve estar à direita da bola.

Posicionamento Deslocado à Esquerda – Interceptação da bola atacada na Diagonal:
 
O posicionamento dos braços deslocado à esquerda, a mão esquerda deve estar à esquerda da bola.

 

No próximo artigo focalizarei meios/exercícios que contribuem para se obter e/ou aperfeiçoar as propriedades mencionadas na apresentação deste.

 

Continua no Art. 21 - com Exercícios para Aperfeiçoamento do Tempo no Bloqueio

 

Home

Ir para Menu Vôlei de Quadra