Estratégias/Táticas - Artigo 38

 

- Estratégia/Táticas Defensivas.

- Estratégias/Táticas - Coletiva.

- Classificação das Combinações de Ataque (continuação do artigo 37).

 

- Combinações c/ 2 Atacantes na Rede.

- Combinações com o Centro entre o Meio para a Saída da Rede (pos. 2).

 

 - s/ atacantes do fundo.
  
Com 01 Atacante no 1o. Tempo- c/ 01 atacante do fundo.
  
 - c/ 02 atacantes do fundo.

 

As Combinações de Ataque com 2 atacantes na Rede possui algumas características bem marcantes.

 

1 - São realizadas por equipes que adotam o sistema de ataque 5-1.

 

2 - Nos três rodízios em que o levantador se encontra na rede, obviamente, os outros dois são atacantes. De modo geral, um dos quais é atacante de bola de tempo. O outro, de Segunda Bola. Diferentemente do que ocorre quando a equipe dispõe de 3 atacantes na rede, não existe o Centro da Combinação (formado pela Bola de Tempo e a Segunda Bola). O Ponto de Referência da Combinação é a Bola de Tempo, isto é, o ponto em que a mesma é levantada/atacada.

 

3 - Os cruzamentos de jogadores não são realizados. Como dos dois um ataca a bola de tempo, o segundo atua mais como homem de segurança do que como atacante de Segunda Bola, ou seja, é o responsável pelo ataque da Bola Alta nos casos em que a recepção do saque não propicia à realização da Bola de Tempo.

 

4 - A Segunda Bola é, quase sempre, no ponto mais distante do ponto em que a Bola de Tempo é levantada/atacada. De modo geral, são as bolas do tipo "Chutada" na Extremidade da Rede. Ou, um pouco mais curta.

 

Nos diagramas a seguir, as duas alternativas estão exemplificadas.

No 29, a Bola de Tempo (A1b) pode ser a Cabeça Frente, Cabeça Atrás ou China com 1 Pé na Saída da Rede, combinadas com a Segunda Bola (A2b), uma Bola "Chutada" na Entrada da Rede.

No 30, as mesmas bolas de tempo podem ser combinadas com uma "Chutada" (A2b) mais curta, atacada no terço central da rede. No volebol brasileira é conhecida como Mico.

 

 

 

Nota

Como veremos adiante, quando existem atacantes do fundo os cruzamentos, embora muito arriscados, se tornam possíveis. No caso, as Bolas de Segurança podem ser atacadas pelos mesmos; como veremos a seguir.

 

No grupo de diagramas a seguir, exemplos de combinações com 01 Atacante do Fundo.

No 31, o AF ataca pela pos. 1 quando a bola de tempo é Cabeça Frente; pela pos. 6, quando a bola de tempo é a Cabeça Atrás ou China com 1 Pé na Saída da Rede.

No 32, AF ataca pela pos. 1 quando a bola de tempo é Cabeça Frente. Ou pela pos. 5, a fim de aproveitar o espaço propiciado pelo deslocamento do A2b para o centro da rede.

No 33, um exemplo de cruzamento, ou seja, uma Desmico da Cabeça Frente, com o AF atacando pela pos. 1, aproveitando o espaço propiciado pelo deslocamento do A2b.

No 34, outro cruzamento em que o A2b desloca do centro para a saída da rede. O AF ataca pela pos. 5, aproveitando o espaço aberto.

 

 

Nota

Convém chamar atenção para o fato de que o cruzamento de dois jogadores da rede (na rede com 2 atacantes) é muito arriscado e pouco comum. Depende de recepção do saque perfeita; sempre.

 

No diagramas a seguir, exemplos de combinações com 2 Atacantes do Fundo (AF). O raciocínio é o mesmo: preencher lacunas abertas por deslocamento dos atacantes das segundas bolas (A2b) e/ou atacar nos pontos mais afastados em relação aos pontos em que são levantadas/atacadas as bolas de tempo.

 

 

 


 

- Combinações como Centro entre o Meio para a Entrada da Rede (pos. 4).

 

 - s/ atacantes do fundo.
  
Com 01 Atacante no 1o. Tempo- c/ 01 atacante do fundo.
  
 c/ 02 atacantes do fundo.

 

No grupo de diagramas a seguir, exemplos de Combinações em que a Bola de Tempo é levantada/atacada entre o Meio e a Entrada da Rede (pos.4), sem Atacante do Fundo.

No 39, a Bola de Tempo é uma "Chutada" de Meio e a Segunda Bola uma "Chutada na Saída da Rede (pos.2), ou seja na extremidade da rede mais distante.

No 40, a Combinação Degrau/Mico. O A2b ataca a meia bola logo após o ponto em que a "Chutada" de Meio é levantada/atacada.

No 41, a Combinação Between/Aquela. O A2b ataca a meia bola entre o ponto em que o levantador está posicionado e o ponto em que a "Chutada" de Meio é levantada/atacada.

No 42, a Desmico da "Chutada" de Meio. O A2b ataca a meia bola imediatamente após o ponto em que a "Chutada" de Meio é levantada/atacada.

 

 

 

Notas

- Graficamente as Combinações Degrau/Mico (diag. 40) e Desmico da "Chutada" (diag. 42) são atacadas praticamente no mesmo ponto. O que diferencia uma da outra é que a segunda tem uma variação para confundir o bloqueio adversário. O A2b parte do mesmo ponto. Pode atacar a Between/Aquela ou mudar a direção da Aproximação Final e atacar a Desmico da Chutada.

- Vale salientar mais uma vez. A Combinação com 2 Atacantes na Rede depende, fun-da-men-tal-men-te, de uma boa recepção. Como veremos adiante, é mais do que necessário o Ataque do Fundo.

 

No grupo de diagramas a seguir, as mesmas Combinações do grupo anterior, com um Atacante do Fundo. Como o sempre, o raciocínio é o mesmo. Ter mais um atacante em ponto mais afastado em relação ao ponto em que a Bola de Tempo é levantada/atacada. Ou, no espaço propiciado pelo deslocamento do atacante da Segunda Bola (A2b). No diagrama 45 coloco o A2b no ponto em que finaliza sua aproximação, isto é, nas proximidades da rede.

 

 

 

No grupo de diagramas a seguir, a mesmas combinações com 2 Atacantes do Fundo. Chamo atenção para um fato: atualmente, o ataque do fundo pela pos. 5 é muito pouco utilizado; o pela pos. 6 é cada vez mais freqüente. Este último é realizado praticamente no mesmo tempo da bola de tempo.

 

 

 

Nota Importante

Na apresentação das da Classificação das Combinações de Ataque, o primeiro item foi um Quadro Sinótico, a fim de tornar o mais clara possível a maneira como foram classificadas. Resumindo, Combinações com 3 Atacantes e com 2 Atacantes, isto é, nos rodízios em que o levantador - no sistema 5-1 - se encontra na zona de ataque; posições 4, 3 e 2.

Depois foram subdivididas de acordo como o ponto da rede em que realizada as bolas de primeiro e segundo tempo. Ou seja, do Centro para a Saída da Rede (pos. 2) e do Centro para a Entrada da Rede (pos. 4). Vale mencionar, com toda ênfase, que apresentei exemplos das combinações mais utilizadas. Também, que existem muitas outras e muito mais podem ser criadas. O mais importante: o raciocínio para elaborá-las.

No grupo de diagramas a seguir, apresento Combinações que não se adequam à Classificação apresentada. Poderia defini-las como Combinações Mistas.

Os atacantes utilizam toda a extensão da rede. As Bolas de Tempo as Segundas Bolas são realizadas, repito, ao longo de toda extensão da rede, em pontos variados. Vamos a elas.

No diagrama 51, o Atacante da Segunda Bola (A2b) posiciona-se na pos. 3 e, de acordo com a formação do bloqueio adversário, e pode atacar em 3 pontos diferentes; na própria pos. 3, por trás do ponto em que a Bola de Tempo Cabeça Atrás é levantada/atacada ou atrás da Bola de Tempo "Chutada" de Meio é levantada/atacada. Esta combinação é muito utilizada pelas equipes japonesas, uma vez que, a trajetória da bola, nos segundo e terceiro casos, é de dentro para fora da quadra. O que favorece as "exploradas" do bloqueio - ataque no bloqueio em que a bola sai da quadra; tática característica dos países asiáticos.

 

Nos diagramas 52 e 53 as Combinações Opostas. Foram popularizadas pela equipe dos Estados Unidos, com os notáveis Karch Kirally e Bob Cytryvlyc, que conquistaram a Medalha de Ouro nos Jogos Olímpicos de Seul, em 1988. Utilizavam tanto após a recepção do saque quanto nos contra-ataques com igual desembaraço. Consiste em duas bolas de tempo bem distantes uma da outra (Cabeça Atrás e "Chutada" de Meio). O A2b, saindo da pos. 2 e/ou da pos. 4, ataca por trás dos pontos em que as Bolas de Tempo são levantadas/atacadas e/ou ainda bem no terço central da quadra. No caso dos norte-americanos, o jogador que recepcionava ou fazia a defesa gritava "oposity". Os jogadores incumbidos do ataque das bolas de tempo, imediatamente, partiam para as bolas de tempo mencionadas. Eles, então optavam pelo ataque de uma das três bolas; de modo geral, uma bola do tipo "Chutada" na extremidade da rede mais distante do ponto em que faziam a recepção ou a defesa.

 

Nos diagramas 54 e 55, Combinações características da equipe feminina da China. São jogadoras ecléticas que têm desembaraço no ataque de primeiras e segundas bolas. A Combinação é realizada com duas jogadoras partindo das posições 2 e 3 para o ataque da China com 1 Pé na Saída da Rede (pos. 2). A levantadora impulsiona a bola dando-lhe uma trajetória retilínea e bastante veloz. Ao longo desta, uma ou outra golpeia a bola e a atacante de ponta (AP) recebe uma bola do tipo "chutada" na extremidade oposta da rede.

 

Nos diagramas 56, 57 e 58, combinações características do voleibol Coreano. São baseadas na bola de tempo "Chutada" de Meio.

No 56, dois atacantes partem para o ataque da mesma, um muito próximo do outro. O A2b, saindo da pos. 2, ataca uma bola do tipo "Chutada" na extremidade mais distante ou atravessa a quadra e ataca atrás do ponto em que é levantada/atacada a "Chutada" de Meio mais próxima da pos. 4.

No 57, duas bolas de tempo: Cabeça Atrás e "Chutada de Meio", uma bem distante da outra. O A2b ataca a segunda bola entre as duas. De modo geral, no ponto em que o levantador está posicionado.

No 58, o A1b, saindo da pos. 2, se aproxima para uma "Chutada" de Meio e golpeia a bola mais próxima ou mais distante do ponto em que o levantador está posicionado. O A2b, que está na pos. 4, ataca uma Degrau imediatamente após o ponto em que a bola de tempo é levantada/atacada. O A2b, que está na pos. 2, recebe uma bola do tipo "chutada" na extremidade mais distante, em relação ao ponto em que a bola de tempo é levantada/atacada.

 

 

 

Concluindo, estas Combinações Mistas, em que os atacantes utilizam toda a extensão da rede, requer:

- extrema precisão na recepção do saque;

- extraordinário discernimento tático individual do levantador;

- e máxima aplicação, em seus procedimentos, dos atacantes.

Com atacantes e levantadores capacitados, exaustivamente treinadas e, consequentemente, em executadas, são muito eficazes. Como é óbvio, é dificílima a tarefa de neutralizadas.

 

Nos artigos que se seguirão, serão apresentadas Estratégias/Táticas Defensivas tendo em vista neutralizar as Combinações de Ataque. Embora seja tarefa das mais complicadas, é de fundamental importância todo e qualquer empenho, inteligência e criatividade. A fim, obviamente, de que se obtenha o máximo aproveitamento possível ou, pelo menos, que se consiga diminuir a eficiência na realização das mesmas.

 

Cont. no art. 39, com Estratégias/Táticas para neutralizar as Combinações de Ataque

Home

Ir para Menu Vôlei de Quadra