Estratégia/Tática - Artigo 23

- Estratégias /Táticas Defensivas

 

- Bolas de Tempo - Cabeça à Frente (cont. do art. 22).

 

- Estratégia com Bloqueio Simples.

- Procedimentos dos Defensores e suas Atribuições.

 

1 - Colocados na Posição Fundamental, aguardam o passe.

2 - Com o passe apropriado às bolas de tempo, permanecem na PF.

3 - Ajustam-se a fim de ficar de frente para o ataque.

4 - Observar as probabilidades de direcionamento que os cortadores podem dar à bola:

- Reta, probabilidade de ataque igual à direita e à esquerda do bloqueio,

- Positiva, maior probabilidade de ataques à esquerda do bloqueio,

- Esquerda, maior probabilidade de ataques à direita do bloqueio.

 

Nota

Direita e esquerda sob a visão dos defensores.

 

D1 - Defesa da bola atacada à direita do bloqueio.
  - Bola "largada" à direita do bloqueio, atrás da linha de ataque.
  - Bola que ricocheteiam no bloqueio à direita.
  - Segunda ação, após defesa de um companheiro.

 

Nos diagramas a seguir, as duas opções de bloqueio simples: com o Bloqueador Central (B3) e com o Bloqueador da Extremidade (B4). E, respectivamente os posicionamentos de D1.

 

 

 

Notas

- Os procedimentos do D1 são os mesmos independente do cortador que atacar a bola (A2, A3 e A4) e do bloqueador que bloquear (B4 ou B3). A referência é o bloqueador.

- Reparem nos diagramas. Quando o bloqueio é do B4, a área sob responsabilidade do D1 torna-se maior. No caso, ele terá que adotar outro posicionamento.

 

D5

- Defesa da bola atacada à esquerda do bloqueio.
  - Bola "largada" à esquerda do bloqueio e atrás da linha de ataque.
  - Bola ricocheteada no bloqueio à esquerda.
  - Segunda ação, após a defesa de um companheiro (diags. a seguir).

 

 

.

 

Notas

- Como o D1, o D5 deverá proceder da mesma forma, sejam quais forem o atacante e o bloqueador. Deve ter como referência o bloqueador. Quando o A2 recebe a bola, a incidência de ataques em sua posição é menor, uma vez que, a angulação para a passagem da bola é bastante reduzida.

 

D6 - Defesa da bola atacada para o fundo da quadra, à direita ou à esquerda do bloqueio (D1 e D5 estão preparados para os ataques mais para baixo).
  - Defesa da bola atacada por cima do bloqueio.
 

- Bola que ricochetea no bloqueio e vai para o fundo ou fora da quadra, inclusive as que encobrem os D1 e D5.

  - Segunda ação, após a defesa de um companheiro em bolas no fundo da quadra (os D1 e D5 estarão movendo-se para frente).

 

Nos diagramas a seguir, disposições de D6 com o bloqueio executado pelo Bloqueador Central (B3) e pelo Bloqueador da Extremidade (B4).

 

 

Nota

A movimentação do D6, primeiramente é paralela à rede/linha de fundo, para sair detrás do bloqueio (setas em preto). Depois que a bola for atacada, deve ser para o fundo, direita ou esquerda. O ímpeto de avançar deve ser contido, pois estará no "contra-pé‚" e encontrará dificuldade para desincumbir-se de suas atribuições. Sua postura deve ser apropriada a deslocamentos rápidos e à utilização de recursos da técnica individual, pela direções imprevisíveis que a bola toma.

B2 - Está distante do local do ataque e não participando do bloqueio, move-se na direção da bola e encarrega-se da largada à direita do bloqueio, dentro da Zona de Ataque.

B4 - Quando não é responsável pelo bloqueio, encarrega-se da largada à esquerda deste, dentro da Zona de Ataque.

B3 - Não bloqueando, encarrega-se da largada atrás do bloqueio de B4, dentro da Zona de Ataque.

 

Notas

A movimentação dos bloqueadores (B2, B3 e B4) está demonstrada em todos os diagramas anteriores.

 

Cont. no art. 24 com Estratégia para Neutralizar a Bola de Tempo, Cabeça à Frente, com Bloqueio Duplo

Home

Ir para Menu Vôlei de Quadra