Estratégias/Táticas - Art. 10

- Estratégias / Táticas Defensivas.

 

- Bolas "Chutadas" nas Extremidades da Rede.

- Contra Rede de 3 Atacantes.

A ação do bloqueio, como todo, contra os rodízios da equipe adversária que contam com 3 atacantes na rede, é tarefa mais complexa. Por ter mais um cortador, o bloqueador de extremidade que ajuda no bloqueio da primeira bola passa a ter duas atribuições. Logo, é requerido a este, sobretudo, grande velocidade de deslocamento.

 

- Formação Fechada.

É a formação apropriada contra equipes que se utilizam efetivamente de combinações (com cruzamento) e bolas "Chutadas" nas Extremidades da Rede. Os 3 bloqueadores estão envolvidos em todas as ações do ataque adversário e cada qual tem, pelo menos, duas atribuições.

1 - Os jogadores dispostos na Posição Fundamental (PF), aguardam o passe.

2 - O passe ideal, propício à execução da bola de 1o. Tempo, permanecem na Posição Fundamental (PF).

Permanecem na PF, porque os atacantes podem cruzar para o ataque em outros pontos da rede. Nos diagramas 7 e 8, estão destacadas em azul as movimentações.

Na primeira combinação (diag. 9) a seguir, a bola de 1o. Tempo, Cabeça Frente, (seta tracejada em azul escuro) e as bolas de 2o. Tempo (setas tracejadas em azul claro) estão marcadas do meio da rede para a pos. 2 (do adversário). No caso, B4 e B3 são responsáveis pelo seus bloqueios. Um segundo atacante, da Segunda Bola (A2), ataca do meio da rede para a pos. 2 (da quadra oposta). Os responsáveis, no caso, são B3 (que tem que saltar uma segunda vez) e o B4. Da bola "Chutada", na pos. 4 (do adversário), encarregar-se-ão o B3 (se conseguir chegar) e, principalmente, o B2, que tem esperar o ataque do A2, que pode ser no centro da rede, para então se deslocar para o bloqueio.

 

 

A segunda combinação (diag. 10) é um exemplo em que a bola de 1o. Tempo, "Chutada" de Meio (seta tracejada em azul escuro), está marcada do meio da rede para a pos. 4 (da quadra oposta). A segunda bola, de (A4), (setas tracejadas em azul claro) ocorre também do meio para a pos. 4 (da quadra oposta). B3 e B2 serão responsáveis pelos seus bloqueios. B4 tem que esperar para o bloqueio juntamente com o B3 (que terá que saltar uma segunda vez), a fim de participar do bloqueio no caso de A2 atacar no centro da rede. Da bola "Chutada" na pos. 2 (do adversário) encarregar-se-ão o B3 (se conseguir chegar) e, principalmente, o B4 que se deslocará rapidamente para o bloqueio, provavelmente individual.

 

 

Nota

Nas manobras anteriores, procurei evidenciar os procedimentos para o bloqueio das bolas "chutadas" nas extremidades da rede. Coloquei as combinações apenas como referência, ou seja, para exemplificar a possibilidade de as mesmas serem realizadas. Os procedimentos para o bloqueio das bolas de tempo e combinações veremos, de modo detalhado, no item destinado às combinações, onde as Manobras Táticas serão abordadas com maior profundidade.

 


 

- Procedimentos na Defesa.

- Decomposição do Posicionamento em Fases e Atribuições dos Defensores.

1 - Os jogadores dispostos na Posição Fundamental (PF), aguardam o resultado da recepção.

2 - O passe sendo apropriado aos ataques no 1o. Tempo e Combinações de Ataque, permanecem na PF.

 

- A Bola é "Chutada" na Pos. 4. do adversário.

 

D1 - coloca-se de frente para o ataque com o pé, praticamente sobre a linha lateral, e tem como atribuições:

- defesa da bola que passa à direita do bloqueio;

- recuperação da bola que toca no bloqueio e sai à direita da quadra;

- defesa da bola "largada" atrás da linha de ataque;

- segunda ação, no caso de defesa por outro companheiro.

No diagrama a seguir, o posicionamento do D1 e a zona da quadra (destacada pela linha tracejada em azul) na qual é responsável.

 

 

Nota

De modo geral, o bloqueio quando é simples, o bloqueador dá preferência a fechar a passagem da trajetória da bola para a diagonal. Por ser a maior faixa de quadra. Deixa a paralela, faixa menor, sob a responsabilidade do defensor correspondente.

 

D5 - da PF adianta-se, pois no caso de ataque com bloqueio simples (provável), o ataque pode ser mais para baixo. São suas atribuições:

- defesa da bola que passa à esquerda do bloqueio;

- recuperação da bola que toca no bloqueio e sai da quadra pela esquerda;

- segunda ação, no caso de defesa por outro companheiro.

 

D6 - da PF desloca-se para a esquerda - cerca de 2 metros - a fim de ficar de frente para o ataque, e tem como atribuições:

- defesa da bola que atacada à esquerda do bloqueio, no fundo da quadra;

- defesa das bolas que passam entre os bloqueadores (quando bloqueio duplo);

- defesa das bolas que tocam no bloqueio e se dirigem para o fundo da quadra, inclusive as encobrem os D1 e D5, que estão mais adiantados;

- a segunda ação, quando o D1 ou o D5 realizam a defesa e a bola vai para o fundo;

- defesa das bolas "largadas" em toda a extensão no fundo da quadra;

- defesa das bola batidas a "meia força" no centro da quadra, sobretudo as que o cortador adversário não tem possibilidade de atacar com violência.

 

 

Nota

No caso do B3 conseguir chegar para compor o bloqueio duplo, existe uma possibilidade de haver um espaço entre B3 e B2 e a bola passar por ele. O D6 encontra-se bem posicionado para a defesa da mesma.

É necessário entender as atribuições do D6 por se tratar do último homem da defesa. Os D1 e D5 estão sempre à sua frente para a defesa das bolas atacadas mais para baixo. A bolas ricocheteadas no bloqueio, as "largadas", as atacadas à "meia força" e as atacadas mais para o fundo da quadra são de sua responsabilidade, pela impossibilidade que os companheiros têm para recuar. Enfatizo as atribuições do D6, pois os tipos de ataques mencionados são constantes na maioria das situações de jogo, e de importância capital para um bom desempenho do sistema defensivo.

 

B3 - na PF, aguarda o ataque ou não da bola de 1o. Tempo, desloca-se tentando chegar para o bloqueio duplo e, não conseguindo, como está movendo-se na direção da bola, encarrega-se da defesa da bola "largada" atrás do bloqueio de B2.

 

B4 - da PF, devido a velocidade da trajetória da bola, não dá tempo de recuar para compor a disposição da defesa nem participar do bloqueio - como ocorre na bola alta. Logo, deve mover-se na direção da bola e, no caso de bloqueio duplo (B2 e B3), encarrega-se da "largada", atrás do bloqueio e dentro da zona de ataque.

 

 

Nota

 

Importante salientar que a trajetória da bola "chutada" na extremidade da rede, bem executada, é - deve ser - bastante veloz. A velocidade pode variar de acordo com a habilidade do levantador, a velocidade do atacante, o grau de treinamento, etc... Requer grande velocidade de todos os jogadores; quer bloqueadores, quer defensores. Isso é muito importante. O treinador deve realizar o treinamento - e cobrar dos seus jogadores - simulando a velocidade real. No momento do jogo os atrasos são fatais.

 

Continuação no art. 11, com os procedimentos na Defesa, para a Bola é Chutada na Pos. 2 do Adversário

Home

Ir para Menu Vôlei de Quadra