Estratégias/Táticas - Art. 09

- Estratégias / Táticas - Defensivas

 

- Bolas "Chutadas" nas Extremidades da Rede.

 

Denominam-se por "Chutadas" os levantamentos da bola que seguem numa trajetória retilínea. Ela descreve um segmento de reta entre as mãos do levantador e o ponto em que vai ser atacada. É um tipo de bola que exige muita velocidade do cortador e extrema habilidade do levantador. Foi criada pelo asiáticos e, no Brasil, é utilizada desde de meados da década de 60. Em passado não muito distante, William (levantando), Bernard, Renam e Montanaro (atacando), todos da chamada Geração de Prata, encantaram o mundo pela eficiência no ataque das bolas "chutadas". Maurício (levantando) e Geovane (atacando), chegaram, digamos, à perfeição. Conseguiram realizá-la imprimindo incrível velocidade à trajetória da bola e golpeando-a em ponto de cerca de 1 m sobre o bordo da rede. Atualmente, Ricardinho (levantando), Giba e Dante (atacando) conseguem extraordinário aproveitamento com as bolas "chutadas".

 

- Situações de Jogo em que são utilizadas.

A Bola "Chutada" nas extremidades da rede não é realizada de modo isolado. De modo geral as equipes a realizam combinadas/vinculadas com as bolas de tempo. Combina, por exemplo, a Cabeça Frente, Cabeça Atrás e China, quando é levantada para a entrada da rede (pos. 4); com a "Chutada de Meio, quando é levantada para a saída da rede (pos. 2). O objetivo dessa combinação é a dificultar o bloqueio da equipe adversária, na medida em que as duas bolas tem seus pontos de ataque bem afastados.

Na representação gráfica a seguir, estão demonstradas as combinações das bolas de tempo com as "chutadas" nas extremidades da rede. O ponto do levantamento, que é variável de acordo com o local da zona de levantamento (pode ser um pouco mais à direita ou pouco mais à esquerda) em que a bola é direcionada após ser recepcionada.

As bolas azuis, no ponto do levantamento, são Cabeça Frente (da esquerda) e Cabeça Atrás (da direita) e a China (próxima da vareta limítrofe). São combinadas com a Chutada na Entrada da Rede (pos. 4).

As bolas vermelhas, a primeira afastada do ponto do levantamento (Chutada" de Meio, combina com a segunda, a "Chutada"na Saída da Rede (pos. 2).

 

 

Nota

 

O voleibol passou por inúmeras transformações. Na parte ofensiva, houve uma revolução a partir da década de 60. Os asiáticos criaram extraordinário sistema de ataque por meio de fintas e combinações. Quase que todas as equipes de todo o mundo o adotaram totalmente ou em parte. Dois fatores trouxeram nova revolução: o atual sistema de pontuação, o rally-point; a larga utilização do Saque em Salto ("Viagem ao Fundo do Mar"), que trouxe extrema dificuldade à recepção do mesmo. A partir daí, praticamente todas as equipes abortaram o ataque por meio de fintas e combinações e passaram a fazê-lo da seguinte maneira:

- uma bola de tempo;

- uma bola "chutada" em uma das extremidades da rede;

- uma ou duas bolas atacadas do fundo da quadra.

Quase que a totalidade das equipes em todo o mundo atacam desta maneira. Algumas utilizam um pouco mais as bolas altas. Outras utilizam mais as combinações (com cruzamento). Algumas outras fazem outra variação qualquer. Todavia, repito, a grande maioria ataca de modo semelhante. Enfim, as bolas "Chutadas" nas Extremidades da Rede estão mais atuais do que nunca; vale a pena acompanhar com bastante atenção a apresentação do assunto.

 


 

- Estratégia com Bloqueio Simples.

A estratégia com bloqueio simples não é adotada por, vamos dizer, vontade própria. Decorre de circuntâncias momentânea ou recorrente. Por exemplo:

 

- por mérito do adversário, que consegue imprimir grande velocidade à velocidade na trajetória da bola;

- por falha de um dos bloqueadores que, por algum motivo, não consegue compor um bloqueio duplo;

- por opção tática.


- Procedimentos no Bloqueio.

 

- Bloqueadores de Meio (bloqueio individual/simples).

- O Bloqueador de Central (B3), de modo geral, é o principal responsável pelo bloqueio das Bolas de 1o. Tempo (próximas e/ou afastadas do Ponto do Levantamento). Quanto melhor for o passe, maior é a probabilidade dessas bolas acontecerem. Há dois tipos de procedimento:

- com o passe ideal;

- sem o passe ideal.

Com o passe ideal, o salto para o bloqueio da Bola de 1o. Tempo deve ser, praticamente, concomitante com o salto do cortador. Para o bloqueio da bola "Chutada" nas Extremidades, a tarefa não é nada fácil. Ele tem que tocar com os pés no solo e deslocar-se para a extremidade com a maior velocidade que conseguir imprimir.

Nos diagramas a seguir, a movimentação do Bloqueador de Central (B3). Ele, primeiramente se posiciona no ponto da rede em que são levantadas/atacadas as Bolas de 1o. Tempo (setas tracejadas em verde). Salta para o bloqueio ou não. Levantada a Bola "Chutada" na extremidade oposta, desloca-se com a maior velocidade possível e, se chegar a tempo, salta para o bloqueio. Caso não não consiga chegar, encarrega-se da bola "largada", pois o bloqueio será simples, por um dos bloqueadores de extremidades (B2 ou B4).

No diagrama 1 a seguir, o desenho da combinação 1o. Tempo e "Chutada" na Entrada da Rede (pos. 4), do adversário. Repare que coloco a Cabeça Frente, a Cabeça Atrás e a China com um Pé na Saída (setas tracejadas em verde) vinculadas à "Chutada" na Entrada.

No diagrama 2 a seguir, o desenho da combinação 1o. Tempo ("Chutada" no Meio) com "Chutada" na Saída da Rede (pos. 2).

 

 

As setas em preto indicam a movimentação do B3. Sem o passe ideal, a probabilidade da bola de 1o. Tempo acontecer é bem menor. O bloqueador pode esperar, ao invés de saltar junto com o cortador. A bola sendo "chutada" na extremidade, o bloqueador tem que se deslocar com as passadas com que alcança maior velocidade (sempre olhando para o atacante), e salta para o bloqueio atento as bolas atacadas para a diagonal.

Nota

 

As bolas "largadas" por ocasião do bloqueio (individual) do B3 ficam a cargo dos bloqueadores de extremidade, B2 e B4.

 

- Bloqueadores de Extremidade.

- Colocado na Posição Fundamental (PF), o bloqueador analisa o passe;

- Com o passe ideal, a maior probabilidade é a de que o B3 não consiga chegar a tempo para o bloqueio duplo, logo o bloqueio será individual;

- Levantada a bola "Chutada" na Extremidade da rede - em que é o principal responsável - desloca-se, olhando para o atacante, e salta para o bloqueio;

- Por determinação tática (do treinador) ou por opção pessoal pode visar:

- a bola,

- obstruir a passagem da bola para o corredor/paralela;

- obstruir a passagem da bola para a diagonal.


 

- Modalidade de Manobras Táticas.

 

- Contra Rede de 2 Atacantes.

 

- Dois bloqueadores no 1o. Tempo e Um na Bola "Chutada" na Extremidade.

 

- Dois bloqueadores, B3 e B2 ou B4 - lado a lado - se incumbem do bloqueio da Bola de 1o. Tempo;

- Um bloqueador - individualmente - se incumbe do bloqueio da bola na extremidade da rede.

No diag. 3 a seguir, o desenho da manobra. B4 e B3, lado a lado, são responsáveis pelo bloqueio e uma das bolas de tempo; Cabeça Frente, ou Cabeça Atrás, ou China com 1 Pé na Saída. B2, de modo individual, é o responsável pelo bloqueio da bola "Chutada" na pos. 4, do adversário.

No diag. 4, o exemplo da manobra quando a bola de tempo é a "Chutada"de Meio. No caso, B2 e B3 são os responsáveis pelo bloqueio. Em ambas as manobras, o B3 tenta chegar na extremidade da rede, para o bloqueio duplo. Não conseguindo, encarrega-se da defesa da bola largada, atrás do bloqueio e dentro da zona de ataque.

 

 

Nota

Está manobra é apropriada quando ocorre a recepção de saque perfeita e contra equipes que jogam sistematicamente por meio das Bolas de 1o. Tempo.

 

- Um Bloqueador no 1o. Tempo e Dois na Bola "Chutada" na Extremidade.

- Um Bloqueador de Extremidade (B2 ou B4) se incumbe - individualmente - do bloqueio da Primeira Bola - Bola de 1o Tempo;

- Os outros dois, o Bloqueador de Central (B3) - posicionado antecipadamente - e um Bloqueador de Extremidade (B4 ou B2) se encarregam do ataque na extremidade da rede.

Nos diagramas a seguir, estão exemplificadas as manobras. No diag. 5, para a combinação Cabeça Frente, Cabeça Atrás ou China com 1 Pé na Saída (destacada com setas tracejada em verde) e "Chutada" na pos. 4, do adversário. A atribuição do B4 é bastante difícil, uma vez que, tem que se encarregar de grande porção da rede (destacada com o retângulo tracejado em azul).

No diag. 6, "Chutada" de Meio com "Chutada" na pos. 2, do adversário. No caso, o B2 fica frente a frente com o atacante da bola "Chutada" de Meio. B4 e B3 - posicionado antecipadamente - se encarregam da Bola "Chutada".

 

 

Importante

 

- Os bloqueadores que atuam nas extremidades (B4 e B2), quando encarregados para o bloqueio das bolas de 1o. Tempo, têm que ter aptidão para executar esse tipo de bloqueio. Caso não tenham, a manobra não deve ser sequer aventada.

- Uma alternativa que pode ser adotada é a de atribuir ao B3 a tarefa de bloquear as bolas de 1o. Tempo. B2 e B4, no caso se encarregam do bloqueio das bolas "chutadas"nas extremidades.

 

Notas

 

- Seja qual for a manobra, uma vez decidida, os bloqueadores colocam-se, antecipadamente, próximos aos locais em que, presumivelmente, ocorrerá os ataques; do 1o. Tempo e das "Chutadas".

- A definição dos bloqueadores e suas respectivas atribuições é critério do treinador, que deverá levar em conta aptidão, estatura, etc... Durante o jogo, os jogadores podem tomar a decisão.

 

Cont. no art. 10, Bola Chutada nas Extremidades da Rede - Estratégia contra Rede com 3 Atacantes

Home

Ir para Menu Vôlei de Quadra