Estratégia/Tática - Artigo 07

Estratégia/Tática Coletiva - Defensiva

 

- Bolas Altas nas Extremidades da Rede - Estratégia com Bloqueio Triplo.

 

É a estratégia defensiva mais utilizada pelas equipes de alta competitividade em todo o mundo, sobretudo no masculino - no feminino, muitas equipes não possuem bloqueadoras com estatura adequada para a execução de um bloqueio triplo eficiente.

A razão - já mencionada anteriormente -, paradoxalmente, é o grande poder de ataque das equipes que mesclam grande velocidade com extrema força nos seus sistemas de ataque. Ou seja, no momento em que a equipe consegue a "quebra do passe" ou que o adversário não consiga dominar a bola na defesa, o levantamento da bola alta nas extremidades da rede é conseqüência lógica, é mais do que natural.

Quanto à velocidade, as equipes utilizam, nos seus sistemas de ataque, bolas de 1o. Tempo entremeadas com bolas muito rápidas nas extremidades da rede e para o ataque do fundo da quadra, pelas pos. 1 e 6. Ou seja, é praticamente impossível o deslocamento de jogadores, que não participam do bloqueio, se deslocarem para posicionamentos defensivos. Segundo alguns treinadores, a decisão mais lógica é aproximação deste jogador para o ponto da rede em que o ataque é finalizado, a fim de o mesmo possa participar do Bloqueio Triplo.

Quanto à força, chamo atenção para as elevadas altura e potência com que os principais atacantes estão golpeando a bola. O objetivo do bloqueio triplo é o de ocupar o maior espaço possível, tendo em vista tirar do atacante o ângulo ideal para o arremate da bola.

 

- Procedimentos no Bloqueio.

 

- Bloqueador de Meio.

1. Primeiro constatar a impossibilidade de levantamentos para as Bolas de 1o. Tempo e/ou Combinações de Ataque.

2. Olhar, exclusivamente para a bola. Evitar olhar para o levantador.

3. Definida a extremidade da rede para a qual a bola foi levantada, deslocar-se, com a passada com que é mais rápido, olhando para o atacante.

4. No local do ataque, saltar para o bloqueio observando os preceitos do fundamento e, sobretudo, o "tempo de bloqueio".

 

- Bloqueadores de Extremidade.

1. Constatar a impossibilidade de levantamentos para as Bolas de 1o. Tempo e/ou Combinações de Ataque, e que não há necessidade de ajudar o bloqueador de meio.

2. Deslocar-se para a extremidade da rede em que a bola é levantada (olhando para a mesma), a fim de posicionar-se o mais proximamente possível do ponto em que a bola é atacada.

3. Bola alçada para a pos. 4 do adversário, os bloqueadores partem do posicionamento fundamental - aberto ou fechado - da seguinte maneira (diagramas a seguir):

B2 ajusta-se (passada de ajuste) para posicionar-se de acordo com a estratégia de bloqueio.

B4, que tem percurso bem maior, desloca-se com a passada com que é mais rápido, a fim de juntar aos B3 e B2 para o bloqueio triplo, e salta para o bloqueio. observando os preceitos do fundamento, sobretudo o "tempo de bloqueio" (diagramas 1 e 2, a seguir)

4. No local em que o bloqueio é realizado, proceder de acordo com a tática pré-estabelecida.

- Fechando a bola (na frente desta).

- Fechando a diagonal (mais para dentro da quadra).

- Fechando a paralela (mais perto da antena).

 

 

Bola levantada para a pos. 2 do adversário, efetua-se o procedimento contrário (diags. 3 e 4, a seguir).

 

 

O produto final é o que está demonstrado na foto a seguir.

 

 

Continuação no art. 08 - com Procedimentos na Defesa

Home

Ir para Menu Vôlei de Quadra