Estratégia/Tática - Artigo 01 B

Estratégia/Tática Coletiva - Defensiva

Tática Individual - Parte II

 

- Posição Fundamental no Bloqueio.

 

A Posição Fundamental é a disposição dos bloqueadores no momento em que o time adversário tem a posse da bola, seja após a recepção do saque, seja na continuidade do jogo. Varia de acordo com:

- a tática ofensiva do oponente,

- a tática ofensiva adotada de um dos seis rodízios - "passagem de rede",

- as características individuais dos adversários.

Cada treinador tem um método para armar sua equipe antes de um jogo; de estabelecer suas estratégias e táticas defensivas e ofensivas. É um aspecto muito particular e considero difícil apontar o mais adequado. O mais importante é que os jogadores começarem o jogo com as informações necessárias sobre as jogadas e características dos jogadores do time adversário, com o intuito de neutralizá-las.

É necessário que os jogadores assimilem a tática adotada, os seus procedimentos individuais e até os procedimentos dos companheiros, para que durante uma partida possam participar, orientando, comandando e encontrando soluções para alternativas novas que surgem no decorrer do jogo.

 

Nota

Atualmente foram desenvolvidos programas extraordinários que associam informática e vídeos/DVDs e que são de grande serventia para o fornecimento de informações para a equipe.

 

- Posição Fundamental Fechada.

No diagrama a seguir, a rede dividida em três terços iguais. B3 se posiciona exatamente no centro de seu terço; B4 e B2 no limite de seus terços.

 

 

Posição Fundamental utilizada para que os bloqueadores de extremidade (BE) possam ajudar o bloqueador de meio (BM):

- nas bolas atacadas no 1o. Tempo, no terço médio da rede - Cabeça à Frente e "Chutada" de Meio;

- nas bolas atacadas no 2o. Tempo (componentes da combinações de ataque), no terço médio da rede;

- nos ataques do fundo, pelo meio da quadra e que passam pelo terço médio da rede;

- contra adversários que se utilizam dois atacantes nas bolas de 1o. Tempo.

 


 

- Posição Fundamental Aberta.

No diagrama a seguir, a rede dividida em três terços iguais. B3 se posiciona exatamente no centro de seu terço; B4 e B2 nas extremidades da rece (cerca de 1m das antenas limítrofes).

 

 

Posição Fundamental usada nos casos em que os adversários:

- atacam sistematicamente pelas extremidades da rede;

- não jogam efetiva e eficazmente com bolas de 1o. Tempo;

- não fazem combinações de ataque finalizadas pelo terço médio da rede.

 


 

- Posição Fundamental Flexível.

Nos diagramas a seguir, exemplo das variações. No da esquerda, B4 no posicionamento fechado (limite do seu terço) e B2 no aberto. No da direita, o contrário, B2 no posicionamento fechado e B4 no aberto.

 

Com o Bloqueador 4 Fechado.

Nesta disposição do bloqueio, o B4 - bloqueador de extremidade - está próximo do B3 - bloqueador de meio. É mais apropriada:

- para enfrentar equipes que se utilizam das bolas de 1o. Tempo, entre o meio e a saída da rede, Cabeça à Frente

Cabeça Atrás China para Trás e China para Trás com um Pé - e a outra... na extremidade da rede oposta (entrada da rede);

- para enfrentar equipes que não se utilizam combinações de ataque finalizadas entre o meio e a entrada da rede.

Nota

As equipes de alta competitividade utilizam como estratégia a Posição Fundamental Fechada, para neutralizar as combinações de ataque, finalizadas no terço médio da rede.

 

- Com Bloqueador 2 Fechado.

Nesta disposição do bloqueio, o B2 - bloqueador de extremidade - está próximo do B3 - bloqueador de meio. É mais apropriada:

- para enfrentar equipes que utilizam a bola de 1o. Tempo realizadas entre o centro e a entrada da rede, da quadra oposta - "Chutada" de Meio - e a outra... na extremidade oposta (saída da rede);

- quando o oponente se utiliza de combinações de ataque finalizadas entre o meio e a sáda da rede.

Notas

- Em ambas as disposições, pode-se adotar o contrário, ou seja, um bloqueador contra o atacante do 1o. Tempo e dois bloqueadores contra o atacante da extremidade oposta.

- O treinador deve preparar sua equipe para executar desembaraçadamente todas as Posições Fundamentais, a fim de aplicá-las sempre que julgar conveniente.

- No Livro Voleibol Moderno - Sistema Defensivo apresentei duas outras Posições Fundamentais no Bloqueio: Tendão Curto e Tendão Longo. Aqui no site não apresentarei, pois as mesmas não são mais utilizadas. Explico: foram muito utilizadas no final da década de 70 e início década de 80, para neutralizar as combinações de ataque - largamente realizadas na ocasião. Com a introdução das bolas atacadas pelo fundo, as próprias combinações são muito menos freqüentes, isto é, as equipes atacam muito mais por meio das bolas de 1o. Tempo combinadas com bola "chutadas" nas extremidades da rede e/ou com as atacadas pelo fundo.

 

- Progressão do Treinamento Tático Individual.

É muito importante que o treinador prepare sua equipe baseado em um Planejamento Global. Neste, obviamente, deve constar o item que trata da Tática Individual. Como em todo planejamento, alguns aspectos são essenciais. Dentre os mais importantes destaco a Graduação da Complexidade. O treinamento de ser organizado de acordo com uma progressão: do menos para o mais complexo.

Cada treinamento deve ter um objetivo particular a ser alcançado. Na medida em que treinador e jogadores forem conseguindo alcançar os objetivos propostos, vai ocorrendo a assimilação dos procedimentos para cada situação de jogo. Com isso, o jogador passa a envolver-se e acompanhar o raciocínio do treinador.

A seguir, neste artigo e nos que se seguirão, apresentarei uma progressão - da menos para as mais complexas - em que mencionarei todas as situações de ataque, com as respectivas estratégias e táticas para neutralizá-las. São elas.

- Bola Alta no Centro da Rede;

- Bolas Altas nas Extremidades da Rede;

- Bolas "Chutadas" nas Extremidades da Rede;

- Bolas Atacadas no Fundo;

- Bolas de Combinações - Meia Bola - Finalizadas de Meio para a Saída da Rede;

- Bolas de Combinações - Meia Bola - Finalizadas de Meio para a Entrada da Rede;

- Bolas de Tempo;

- Bolas de 2 Tempos.

 

Cont. no art. 02, com Estratégia Defensiva para neutralizar a Bola Alta no Centro da Rede

Home

Ir para Menu Vôlei de Quadra