Preparação Física - Artigo 18

Valências Orgânicas.

Treinamento da Capacidade Aeróbica

O Treinamento Orgânico Integrado (TOI) - Parte X

Modalidade 4 - Exercícios de Levantamento e Ataque.

 

- Sequência de Exercícios de Levantamento e Ataque No 2.

 

No voleibol há o tradicional "bate bola na rede". Os jogadores passam a bola para o levantador e este alça em excepcional condição (colada ao bordo superior da rede) para ser atacada com extrema potência diretamente para o chão; é prática pouco útil, mas prazerosa para os atletas. É realizado por todas as equipes em todo o mundo.

A fim de aumentar a intensidade do esforço dessa prática e, conseqüentemente, torná-la um trabalho físico-técnico, a idéia e fazer com que os jogadores ataquem o maior número de bolas possível em determinado período de tempo (estabelecido pelo treinador). Para isso, o "bate bola" pode ser realizado da seguinte maneira.

Nos exercícios de ataque e defesa os jogadores ficam dispostos em igual número nas duas meias quadras. Nos exercícios de levantamento e ataque, os mesmos permanecem cada qual na mesma meia quadra. Apenas os dois levantadores trocam de lado, J1 e J12, como demonstra o diagrama a seguir).

 

 

 

Os jogadores de cada meia quadra (2 - 3 - 4 - 5 - 6 da meia quadra à direita e 7- 8 - 9 - 10 - 11 da meia quadra à esquerda) não trocam de lado. Cada qual ataca uma bola na entrada ou na saída da rede; dirigem-se (trotando) para pegar outra no mesmo lado em que estão trabalhando; trocam de fila, de maneira a atacarem alternadamente na entrada e na saída da rede e voltarem a atacar, durante um determinado período de tempo estabelecido pelo treinador.

 

 

Exercício 91 – Ataque da Bola Alta, na entrada/saída da rede.

Exercício 92 - Ataque da Bola "Chutada", na entrada/saída da rede.

Exercício 93 - Ataque da "Meia Bola", do meio para a entrada/saída da rede.

Exercício 94 - Ataque da Bola do Fundo, na entrada/saída da rede (pos.1 e 5).

Exercício 95 - Ataque das Bolas de Tempo, Cabeça à Frente/ Cabeça Atrás.

Exercício 96 - Ataque da Bola do Fundo, no meio da rede (pos. 6).

Exercício 97 - Ataque da Bola "Chutada" de Meio para a entrada da rede e China com 1 Pé na Saída da Rede (do meio para a saída da rede).

 

Notas

- Os sete exercícios apresentados são exeqüíveis com grupo de até 14 jogadores, sem que haja confusão ou risco de contusões. Oferecem a oportunidade da prática do ataque das bolas componentes de uma estratégia/tática ofensiva, ou seja, das Combinações de Ataque. As mesmas podem ser programadas para uma mesma sessão do treinamento ou distribuídas ao longo de vários treinamentos.

- Nos artigos em que trato da técnica individual no Ataque, abordo detalhadamente os procedimentos para um bom aproveitamento na execução dessas bolas.

- No treinamento para jogadores de vôlei de praia - duplas - a Sequência No. 2 não se justifica. Todavia, em treinamentos coletivos, do tipo "escolinha", é uma boa alternativa.

 

- Observações Importantes para Bom Aproveitamento na Preparação Física.

 

1. O treinador deve conscientizar seus jogadores da importância da execução correta das cortadas no que diz respeito à velocidade das passadas na aproximação, à impulsão vertical e à potência do golpe. Realizadas com o máximo empenho, exercitarão a velocidade (de deslocamento e de movimentos) e a força explosiva (dos membros inferiores e superiores).

2. Após o ataque de uma bola, o treinador e o preparador físico devem, de acordo com a intensidade do esforço que queiram dar ao exercício, estabelecer a maneira como os jogadores devem buscar a bola para novo ataque: na Sequência No 1 (mais intensa), caminhando; na 2 (menos intensa), correndo/trotando.

3. Na Sequência No 1, os levantadores também atacam e, por conseguinte, trabalham com a mesma intensidade que os cortadores. Na No 2, eles apenas levantam as bolas e, por isso, sugiro que o façam por meio de toques em suspensão.

4. Em um estágio mais adiantado de preparação, em que os jogadores presumivelmente estão em melhor forma física, é difícil conseguir que a intensidade do trabalho na Sequência No 2 seja satisfatória. Neste caso, deve ser uma atividade suplementar à Sequência No 1 ou a sessões de exercícios de toque/manchete e ataque e defesa.

 

- Observações Importantes para Bom Aproveitamento Técnico.

 

1. Na Sequência No 1, o aspecto mais importante é a explosão do movimento global, ou seja:

- a amplitude e a velocidade de aproximação para a cortada;

- a impulsão rápida;

- a velocidade dos movimentos do tronco e dos braços.

A potência do golpe resulta da eficácia na execução desses movimentos e, nos exercícios dessa Sequência, é fator a ser desenvolvido.

 

2. Os ataques de 2, 3, 4 ou mais bolas consecutivas constituem um forte estímulo anaeróbico. Na execução desses exercícios o objetivo é atacar as 2, 3, 4 ou mais bolas com a mesma potência.

3. Na Sequência No 2, passa a ser mais importante o discernimento do ataque. Os jogadores devem praticar as cortadas variando a direção e a potência do golpe. O treinador, no caso, deve aproveitar a oportunidade e insistir para que os jogadores pratiquem os ataques em que encontram maior dificuldade; se deixar por conta deles, a preferência será o "bate-bola" e o objetivo colocar a bola no teto do ginásio.

Resumindo, uma sessão de treinamento onde a 2a Parte é o Treinamento Físico-Técnico pode ser elaborada de duas maneiras distintas. Em ambas, há o Aquecimento (1a Parte), os Treinamentos Técnicos Específicos (3a Parte) e Tático Específico (4a Parte). O Treinamento Físico-Técnico (2a Parte) propriamente dito, em ambas as maneiras, inicia-se com os exercícios dos fundamentos toque e manchete e depois é dividido em dois segmentos.

1. - No treinamento cuja intenção é dar ênfase ao Bloqueio. Executam-se os exercícios de ataque e defesa utilizando-se as Sequências de menor intensidade, considerando que os exercícios de bloqueio são de natureza mais traumática e exigem esforço de maior intensidade. Em seguida realizam-se os exercícios de bloqueio;

2. No treinamento cuja intenção é dar ênfase ao Ataque. Executam-se também os exercícios de ataque e defesa, porém utilizando-se as Sequências de maior intensidade, uma vez que, esses exercícios constituem-se em uma atividade mais prazerosa, menos traumática e intensa. A seguir realiza-se os exercícios de ataque.

A finalidade dessa divisão é mesclar esforços de menor e de maior intensidade, para não expor os atletas a uma atividade excessiva e agressiva.

Graficamente, resulta:

Representação Gráfica - Treinamento Orgânico Integrado (TOI)

 

 

Nota

Na apresentação do Treinamento Físico-Técnico expus os exercícios mais e menos intensos, bem como as maneiras de torná-los ainda mais intensos. Por se tratar de atividade em que a intensidade do esforço é difícil de ser mensurada, torna-se extremamente necessária uma pesquisa de aptidão individual, a fim de que se possa elaborar a sessão adequadamente e, por conseguinte, obter o melhor aproveitamento possível.

 

Cont. no art. 19 com Fatores Limitantes da Performance Decorrentes da Insuficiência da Capacidade Aeróbica.

Voltar Menu de Arquivos sobre Preparação Física.