Preparação Física - Artigo 16

- Valências Orgânicas.

- Treinamento da Capacidade Aeróbica

- O Treinamento Orgânico Integrado (TOI) - Parte VIII.

- Modalidade 3 - Exercícios de Bloqueio - III.

- Sequência de Exercícios de Bloqueio No 2 - Execução do Fundamento com Ataque de Companheiros.

Nos artigos anteriores – 14 e 15 – os exercícios de bloqueio podem ser realizados:

- de modo isolado;

- na continuidade da sessão de ataque e defesa;

- intercalados com os exercícios de ataque e defesa.

 

Os exercícios desta Sequência devem ser realizados de modo isolado. Ou seja, como parte principal da sessão. Caso haja exercícios de toque, manchete e ataque e defesa, estes devem ser breves, pouco intensos, enfim, como que aquecimento para a parte principal.

A fim de organizar a sessão, é necessário estabelecer alguns importantes procedimentos.

1 - Os atletas devem ter habilidade suficiente, de maneira a atacar de modo direcionado, propositadamente, às mãos do bloqueador.

2 - Na medida do possível, colocar uma rede sob a rede (figura a seguir), para evitar movimentos de bolas sob a mesma.

 

 

 

3 - Dispor de número de bola suficiente – mais ou menos 12, para um grupo de 12 atletas – de modo que não precise haver interrupções na execução dos exercícios.

4 - Na medida do possível, também, esvaziar um pouco as bolas, a fim de diminuir o impacto traumático nas mãos dos jogadores e diminuir a movimentação das mesmas pela quadra.

 

Exercícios 68 - Jogadores formando grupos de 4. Cada qual trabalhando em um dos terços da rede (figura da rede anterior): um no terço central e dois nos terços externos. Um bloqueando, um atacando e dois catando bolas e municiando o que estacando. O ataque é realizado do chão, como na figura a seguir. Cada bloqueador executa 4 bloqueios, da seguinte maneira: bloqueia / pára / bloqueia / pára / bloqueia / pára / bloqueia / pára. Ao final, efetuam um rodízio: o que atacou passa a executar os bloqueios; o que executou os bloqueios para para a cata das bolas; e um dos que estava catando bolas, passa a atacar. E assim por diante, por tantas vezes quantas as estabelecidas pelo treinador.

 

Desenho de Eduardo Rodrigues

 

Exercício 69 – Idem ex. 68, com os 4 ataques, deliberadamente, à esquerda do bloqueador, que salta movimenta seus braços para a direita e executa o bloqueio.

Exercício 70 – Idem ex. 69, com os 4 ataques, deliberadamente, à direita do bloqueador.

Exercício 71 – A mesma mecânica dos exercícios anteriores. Agora com dois atacantes, com distância entre eles de 2 m. Desferem 4 ataques de modo alternado, dois cada qual.
No diagrama seguir, a disposição dos atacantes (A), dos bloqueadores (B) e a ordem dos ataques.
O bloqueador bloqueia a bola 1, desloca-se, por meio de uma passada lateral, bloqueia a 2, desloca-se, por meio de uma passada lateral, bloqueia a 3, desloca-se, por meio de uma passada lateral, bloqueia a 4 e pára. Efetuam o rodízio. E assim por diante por quantas vezes for estabelecido pelo treinador.

 

 

Nota

Este exercício e os que se sucederão devem ser realizados com troca de lados da rede, a cada duas Sequências, a fim de que os jogadores se familiarizem com o bloqueio nas pos. 2 e 4, da rede.

 

Exercícios 72 – Idem ex. 71, com uma diferença. Os dois atacantes se posicionam nos limites dos terços – cerca de 3 m entre eles. O bloqueador, agora com percurso mais longo, se desloca por meio da passada cruzada.

 

 

 

Nota

A intensidade do esforço com os exercícios sugeridos, até este ponto, não é muito forte. Em virtude das interrupções, pela troca de jogadores na realização dos mesmos. Todavia, o objetivo – condicionamento físico – é obtido ministrando-se maior número de execuções para cada atleta. Ou seja, intensidade leve ou moderada por longo período de tempo.

 

Exercícios 73 – Utilizando-se a mesma rede, dividida em três terços. Agora os jogadores saltam para atacar. Jogadores dispostos 4 a 4. Um alçando a bola (a três metros de altura e afastada um metro, do bordo superior da rede). Um atacando, deliberadamente para as mãos do bloqueador. Um bloqueando. Dois catando bolas e as entregando ao jogador que as alça.
São 4 ataques consecutivos para cada bloqueador. Ao final, fazem o rodízio. O bloqueador passa a catar bolas. O atacante passa a bloquear. Um dos que estavam catando bolas passa a atacar. Um, dos dois que estavam catando bolas, continua até chegar sua vez de atacar. O número de Sequências é determinado pelo treinador.

Exercício 74 – Idem ex. 73, como ataque de maneira que a bola passe ligeiramente à esquerda do bloqueador, que deve movimentar seus braços, também ligeiramente, para sua direita.

Exercício 75 – Idem 74, com o ataque à ligeiramente à direita.

Exercício 76 – O bloqueador posicionado a uma passada lateral do ponto em que o jogador-atacante está posicionado. Executa 4 bloqueios consecutivos, em quatro movimentos, ou seja: uma passada lateral para esquerda-direita / bloqueio (1) / volta ao ponto inicial / uma passada lateral para esquerda-direita / bloqueio (2) / volta ao ponto inicial / uma passada lateral à esquerda-direita / bloqueio (3) / volta ao ponto inicial / uma passada lateral para esquerda-direita / bloqueio (4). Ao final efetuam o rodízio: o que esta atacando passa para o bloqueio... O ataque é após o salto e intencionalmente em direção às mãos do bloqueador.

Exercício 77 – Idem exercício 76. Com uma diferença. Os grupos trocam de lado. Quem fez deslocamento para a esquerda, o faz para a direita e vice-versa.

 No diagrama a seguir, a rede está dividida em terços, como nos exercícios anteriores. O posicionamento do jogador-atacante. Os espaços em os bloqueadores devem deslocar (em verde). A ordem dos bloqueios (numerais em preto). 

Nota

A volta para o ponto inicial deve ser feito também com uma passada lateral. Todavia, sem pressa. Deve haver um diferenciação das velocidades das passadas. A ida para o bloqueio, com velocidade máxima; a volta, com velocidade moderada. Os jogadores devem ter em mente que os deslocamentos, os movimentos do salto e dos braços devem ser feitos – sem-pre, com velocidade máxima.

 

 

Exercício 78 – A mesma mecânica dos exs. 76 e 77. Agora o deslocamento é maior; cerca de 3m. O bloqueador parte do início do terço, desloca-se por meio de passadas cruzadas, bloqueia, volta ao posicionamento inicial, e assim por diante. São 4 bloqueios consecutivos. O ataque é reto, nas mãos do bloqueador.

Exercício 79 – Idem ex. 78, com o ataque à direita - à esquerda do bloqueador, que deve movimentar seus braços, ligeiramente para a direita/para esquerda.

Exercício 80 – Mesma mecânica dos exercícios 78 e 79, com uma diferença. O jogador-atacante optará pela direção do ataque. O bloqueador deve perceber e movimentar seus braços de maneira a interceptar a trajetória da bola.

No diagrama a seguir, a diferença. Repare que a distância é entre o início e o final de cada terço.maior em relação.

 

Nota

Na apresentação dos exercícios em que os deslocamentos são mais longos, está sugerida passadas cruzadas. Iniciantes e mulheres têm dificuldade. Precisam dar uma lateral e depois uma cruzada. Outros atletas deslocam de frente, saltam fazendo giro do corpo. Enfim, a passada deve ser aquela com que o atleta se sente melhor e obtem maior velocidade.

 


 

- Aspectos a serem observados durante a execução dos exercícios.

 

1 – A organização da sessão para realização dos exercícios desta Sequência, assim com qualquer sessão de treinamento de bloqueio, é muito complicada. Sobretudo, quando ministrada atletas pouco desembaraçados. A grande movimentação de bolas pela quadra é um problema. Alguns aspectos são de extrema importância.

a – A precisão dos ataques é fundamental. No caso de iniciantes, o treinador e/ou colaboradores (com boa habilidade) devem se incumbir desta atribuição.

b – Cada Sequência de 4 ataques só deve ser iniciada no momento em que o jogador que está auxiliando (catando e municiando as bolas) estiver com as quatro bolas em suas mãos. Obviamente, a fim de que não haja interrupções. No caso de erros, não interromper a Sequência; fazer quantos bloqueios for possível. Afinal de contas são várias e várias Sequências para cada jogador.

c – Mais do que nunca, a pressa é inimiga da perfeição. O jogador que está bloqueando, executa um bloqueio, pára, arruma-se, concentra-se e executsa o seguinte. Assim mesmo, interrompendo. Não há pressa. O único momento de velocidade é o da execução do bloqueio.

3 – Os exercícios foram apresentados levando-se em consideração a gradação da complexidade da execução e a da intensidade do esforço. O treinador deve distribuir os exercícios em várias sessões. Por exemplo, numa primeira, os exercícios mais simples e menos intensos. Na medida em que os jogadores forem ganhando maior desembaraço, organizar sessões com exercícios mais complexos e mais intensos. E assim por diante.

4 – Nos artigos sobre bloqueio em Técnica Individual você encontra todos os detalhes a respeito da execução do fundamento. São vários detalhezinhos que influenciam a execução correta do fundamento. Vale a pena dar uma olhada, a fim de colher subsídios e, por conseguinte, obter-se o maior aproveitamento possível com os exercícios. N ão só para aquisição do condicionamento físico, mas também para o aperfeiçoamento técnico individual.

5 – A duração dos intervalos será estabelecida considerando-se a intensidade do esforço e o tempo despendido para a cata das bolas espalhadas em toda a quadra; não tem como ser diferente.

6 – Os erros do jogador-atacante serão freqüentes numa fase inicial. Pode ser perigoso. Há o risco de lesões nas mãos e nos dedos. Daí a importância de se esvaziar um pouco as bolas. Tornam-se menos contundentes. Além, obviamente de rolarem muito menos e facilitarem o reagrupamento.

 

Continuação no art. 17. O Treinamento Orgânico Integrado (TOI), com nova modalidade: Levantamento e Ataque.

Voltar Menu de Arquivos sobre Preparação Física