Preparação Física - Artigo 11

- Treinamento da Capacidade Aeróbica - Parte III.

- O Treinamento Orgânico Integrado (TOI)

 

- Modalidade 2 - Exercícios de Ataque e Defesa - Parte I.

 

Essa prática, tradicional no voleibol, consiste em jogadores dispostos 2 a 2, atacando e defendendo, alternadamente. Passo a passo, da seguinte maneira:

Jogador 1 (J1) ataca e Jogador 2 (J2) defende, dominando a bola de maneira que a bola chegue alta e em condições para um novo ataque de J1. Este (J1), executa um levantamento para o J2, que ataca para a defesa de J1. E assim sucessivamente.

Este exercício sucede ao treinamento da Modalidade 1, apresentado em artigos anteriores; fundamentos toque acima da cabeça e manchete.

 

- Sequência de Exercícios de Ataque e Defesa, no Sentido Transversal da Quadra.

 

Nessas Sequências os ataques devem ser diversificados em relação ao corpo do jogador, a fim de aumentarem a movimentação dos jogadores e, por conseguinte, torná-los mais capazes na defesa, ou seja:

- ataque alto, acima da região peitoral, para defesa por meio do toque ou da manchete com o corpo em suspensão;

- ataque no corpo, entre o peitoral e os joelhos;

- ataque na frente do jogador, cerca de 2 metros;

- ataque afastado do jogador, por meio de "largada".

 

Nota

A potência do ataque, inicialmente, não é importante. Na medida em que os jogadores forem ganhando habilidade (nos golpes, no ataque; no domínio da bola, com a manchete), a potência aumenta gradativamente.

 

Exercício 12 - Os jogadores atacando e defendendo, alternadamente, da seguinte maneira. O J1 dá um toque sobre sua própria cabeça e na descida da bola dá um ataque para J2. Este defende dominando a bola de maneira que esta chegue alta para J1. J1 faz um levantamento para J2. Este, dá um toque sobre sua própria cabeça e desfere um ataque para J1. E assim por diante, pelo período de tempo estipulado pelo treinador.

Exercício 13 - A mesma mecânica dos ex. 12, com uma diferença. Os jogadores não dão o primeiro toque sobre a própria cabeça. Atacam ao receber a bola levantada pelo companheiro; é o ataque e defesa tradicional.

 

Nota

Estes dois exercícios são os mais simples. São apropriados para equipes de iniciantes, que ainda não possuem muita habilidade.

 

Exercício 14 - A mesma mecânica do exercício 12 (um toque para cima e um ataque), com uma diferença. J1 dá um toque para o alto e, na descida da bola, salta e defere um ataque para J2. Este defende, amortecendo o impacto da bola, na direção de J1. Este, por sua vez, dá um toque para o alto, salta e ataca-a para o companheiro. E assim por diante, pelo tempo que o treinador estabelecer.

Exercício 15 - Agora sem o toque para o alto. Ao receber o levantamento do companheiro, o jogador salta e ataca para o companheiro que fez o levantamento.

 

Nota

Estes dois exercícios já requerem maior habilidade, maior "domínio de bola". Quanto ao esforço, são mais intensos. A idéia é aumentar a intensidade do esforço de modo gradativo.

 

Exercício 16 - A mesma mecânica do ex. 15 (sem o toque para o alto). O treinador estabelece o ataque alto ( acima da região peitoral do companheiro), para que este defenda por meio do toque acima da cabeça.

Exercício 17 - Idem 16, com o ataque no corpo (entre a região peitoral e os joelhos).

Exercício 18 - Idem 16, com o ataque na frente do companheiro (cerca de 2 metros).

Exercício 19 - Idem 16, agora com o ataque por meio de "largada", à direita, à esquerda, à frente, às costas do companheiro que está defendendo.

 

- Aspectos a serem observados durante a execução dos exercícios.

 

1 - Os exercícios desta Sequência contribuem para a aquisição/melhoria das capacidades orgânicas e da técnica individual. Quanto maior for o desembaraço dos jogadores, maior pode ser a intensidade do esforço. A fim de se obter a melhoria da técnica, o treinador deve exigir dos jogadores a correta execução dos fundamentos, o compromisso para com a obtenção dos objetivos. Também, faze-los associar a execução dos exercícios às situações de jogo. Por exemplo.

2 - Os ataques devem ser, na medida do possível, os mais precisos possíveis. Não importa a potência do golpe. O ataque deve ser desferido, intencionalmente, para o companheiro defender. É muito comum os jogadores atacarem inconsequentemente, ou seja, exagerando na potência do golpes, atacando fora do alcance do companheiro, etc. Enfim, erros sucessivos interrompem as Sequências e. consequentemente, afastam a execução de seus objetivos.

3 - Na defesa o objetivo deve ser o dominar, amortecer o impacto da bola. Na medida possível, direcionando a mesma na direção do companheiro. Este, após o ataque deve ficar atento para deslocar-se, passar (como um levantamento) para o companheiro, voltar para seu posicionamento inicial e preparar-se para a defesa.

4 - Nas defesas das bolas atacadas à direita/à esquerda e na frente, o defensor deve adotar uma postura de expectativa bem relaxada. Só deve movimentar-se no exato momento do golpe.

5 - Os passes, que sucedem as defesas (do companheiro), devem ser executados como um levantamento, mais alto o mais baixo de acordo com o posicionamento do jogador que realizará o ataque seguinte. É aspecto fundamental. Propicia tempo para que os jogadores retornem aos seus posicionamentos iniciais. Dá o ritmo à movimentação dos dois jogadores durante a realização dos exercícios.

6 - Os ataques com salto, para serem precisos, devem ser executados de acordo com os seguintes procedimentos:

- o atacante deve se deslocar para o ponto em que a bola está alta;

- saltar, rigorosamente sob a bola;

- saltar o máximo, vertical e equilibradamente - o corpo não pode estar em movimento para frente ou para trás;

- o golpe de ser desferido no "ponto morto" da impulsão, nem na subida nem na descida;

- no momento do golpe o braço deve estar estendido - o cotovelo deve estar acima da linha (horizontal) dos olhos;

- a fim de encaixar a bola e, por conseguinte, obter boa precisão com o golpe, o atacante deve golpeá-la com a parte superior da palma da mão, na face superior da bola - "top spin".

 

7 - É atribuição do treinador: planejar a sessão, escolher os exercícios e fazer correções de ordem técnica. O preparador físico, a duração dos estímulos e intervalos, controlar a intensidade do esforço durante toda a sessão.

 

Continuação no art. 12 com outra Modalidade de Exercícios de Ataque e Defesa

Voltar Menu de Arquivos sobre Preparação Física.