Preparação Física - Artigo 04

- Valências - Orgânicas - Indispensáveis

 

O Condicionamento Físico de uma equipe resulta de dois tipos de condicionamentos:

1. Orgânico

2. Funcional

- Orgânico

É fundamental para a atividade física em geral. É desenvolvido ao longo da carreira do atleta. Contudo, nem todo atleta possui capacidade orgânica requerida ao atleta profissional, de maneira geral, e nem do atleta olímpico, como é imperativo.

 

- Valências Orgânicas.

 

  - Aeróbica  
     
Capacidade    
    - Alática
  - Anaeróbica  
    - Lática

 

- Grau de Importância do Condicionamento Orgânico (Aeróbico/Anaeróbico).

 

- Aeróbica

 

- Propicia o embasamento ao atleta para receber e suportar - sem perda de qualidade - a Atividade Global da equipe.

 

- Treinamento Físico Funcional - valências físicas específicas à modalidade.

- Treinamento Técnico Individual.

- Treinamento Tático Coletivo.

- Globalidade do Jogo.

- Jogos sucessivos dos campeonatos curtos.

 

- Facilita a Recuperação do atleta de uma atividade para outra, num mesmo dia e/ou de um dia para o outro.

 

- De um treinamento para o outro - treinamento em dois períodos diários.

- De um set para outro, num mesmo jogo.

- De um jogo para outro em curtos períodos de tempo - de um dia para o outro.

 

- Facilita a Adaptação do atleta às freqüentes Situações Especiais.

 

- Variações Climáticas (umidade/temperatura).

- Variações de Fusos Horários.

 


 

- Anaeróbica

 

A Capacidade Anaeróbica - lática e alática - é valência orgânica específica indispensável para o jogador de voleibol. Considerando que o jogo de voleibol é composto por estímulos anaeróbicos, isto é, de curta duração sob máxima intensidade.

 

- Capacita o atleta para a realização de ações/sucessões de ações - peculiares ao voleibol - com máxima explosão muscular, em treinamentos e em jogos.

 

- Deslocamentos

- Saltos

- Golpes

 

- Propicia o aumento da Resistência Muscular de grupos musculares essenciais envolvidos na execução de movimentos repetitivos requeridos para o treinamento da técnica individual e da tática coletiva. Por exemplo:

 

- Flexão e extensão das coxas sobre as pernas, em exercícios de recepção e defesa.

- Flexão e extensão das pernas sobre os pés, em exercícios de bloqueio e ataque.

- Propicia maior tolerância, da musculatura, à ação nociva e desagradável do ácido lático.

 

Com a mudança da regra que estabeleceu o sistema de "raly-point" (um ponto a cada bola em jogo), o voleibol passou por importante transformação. Com o sistema anterior - com vantagem - tínhamos jogo com duração de três e meia, quatro e até quatro horas emeia. Com atual sistema, raras vezes passa das duas horas de duração.

No jogo propriamente dito, a grande evolução decorre da extraordinária capacidade física dos atletas. Com a diminuição do tempo, a preparação física passou a visar valências específicas à modalidade, tais como as forças, puras e explosiva, as velocidades, de deslocamentos e de movimentos, e a flexibilidade. Tudo em estímulos de curta duração e altíssima intensidade, ou seja, de natureza tipicamente anaeróbica. Também no treinamento técnico individual e tático coletivo, a tônica tem sido trabalhar em períodos curtos e intensos.

Todavia, não pode haver, de maneira alguma, confusão entre o treinamento das equipes de alta competitividade com os de outros níveis. A fim de se obter o alto nível é necessários passar por estágios e mais estágios. Ou seja, o processo de aprendizagem e aperfeiçomanto da técnica individual, a assimilação de procedimentos táticos individuais e a familiarização com estratégias e táticas. Estes processos requerem, entre outras necessidades, maiores períodos de tempo, busca da perfeição, persistência, paciência. A natureza dos treinamentos para a alcance destas é absolutamente diferente. São mais longos, menos intensos, etc. Na medida que os atletas melhoram suas capcidades orgâncias, a velocidade, a potência, a intensidade, etc, aumentam naturalmente.

Conclusão. Seja qual for o nível de competitividade o treinamento global induz à melhoria tantos das valências físicas orgâncias - aeróbica / anaeróbica - e funcionais quanto as capacidades técnicas e táticas. É e tem sido a receita do moderno treinamento esportivo: fazer das sessões de treinamento atividades polivalentes.

 

Cont. no art. 05, com Valências Funcionais

Voltar Menu de Arquivos sobre Preparação Física