©Preparação Física - Artigo 00

- Introdução / Considerações

 

Por razões simplesmente didáticas, inicio fazendo uma rápida abordagem deste aspecto da preparação global do atleta de voleibol, por ser a preparação física, nos dias de hoje e em qualquer modalidade esportiva, fundamental. Mais do que isto, ela ao mesmo tempo, segmento de suporte e de complemento das demais preparações, isto da técnica, da tática e, até‚ mesmo, da mental e psicológica. O preparo físico saudável correto e eficiente de um atleta o predispõe a participar e desenvolver todas as suas demais atividades de preparação com vontade, disposição e confiança. É, pois, sem dúvida alguma, um requisito dos mais importantes, para o qual também deve ser dispensada meticulosa, séria, planejada e apurada atenção.

Um planejamento global de preparação física prioriza qualidades básicas mais difíceis de serem atingidas e que, por isso mesmo, requerem mais tempo de treinamento. É o caso das valências orgânicas e da força. Todas as funções do voleibol exigem peculiaridades na preparação física, as quais devem constar do planejamento, objetivando a melhor preparação possível dos jogadores, a fim de que estes possam desempenhar suas atribuições sem limitações.

No Brasil somos carentes da educação física escolar, onde as qualidades físicas poderiam ser desenvolvidas, como aliás o são em outros países. Nesses países, o jogador quando chega a uma equipe de competição já‚ um atleta formado, apto a receber o treinamento técnico individual , sem limitações funcionais.

O treinamento físico de uma equipe de voleibol requer um professor de educação física especializado em treinamento desportivo e constantemente atualizado com o que de mais moderno estiver sendo adotado no mundo. Esse profissional deve se dedicar ao treinamento na sua globalidade para poder perceber a intensidade do treinamento técnico e tático, a tolerância dos jogadores a essa intensidade e sentir a dificuldade de cada jogador. Diante de tais dados e observações, deve individualizar a preparação física, a fim de evitar as limitações que serão apresentadas em seguida.

Cabe salientar que considero fundamental o acompanhamento de um médico especializado em medicina esportiva e, se possível, ortopedista. Há inúmeros problemas que limitam o rendimento do jogador e que os treinadores não são capazes de perceber e que são solucionados por esses profissionais.

Por outro lado, aspecto igualmente importante e decisivo na preparação de um atleta, intimamente ligado ao preparo físico‚ o do seu enriquecimento e fortalecimento mental e psicológico. Sabemos que o voleibol‚ modalidade esportiva cada vez mais precisa e veloz na qual o atleta permanece, no decorrer de cada instante do jogo, pressionado por vários fatores que, caso ele permita, certamente prejudicarão seu rendimento individual e, por conseqüência, o coletivo.

Torna-se necessário, principalmente nos jogos mais difíceis e de maior duração, que ele mantenha intactas suas condições mentais e psicológicas. Assim, seu nível de concentração, sua capacidade de perseverar, de se superar, de conviver com sensações desagradáveis, etc..., têm que ser conscientemente controlados e manipulados, a fim de que se mantenham como desejado e a qualidade do voleibol que pratica não seja afetada.

Nas páginas que se seguem tecerei considerações sobre algumas das qualidades físicas necessárias a um desempenho desembaraçado, tanto na defesa, como no bloqueio. Torno bem claro e enfatizo que, por não ser um preparador físico, tais considerações são decorrentes de observações e análises feitas durante os programas de treinamento dos quais participei ao longo da minha carreira e, portanto, baseiam-se em necessidades por mim sentidas na preparação técnica e tática de equipes. Uma abordagem mais aprofundada cabe a especialistas da matéria.

 

Cont. no art. 01 com Grau de Importância da Preparação Física

Voltar ao menu de Preparação Física