JUST VOLLEYBALL

Pergunte ao Jorjão

 

P - Olá Jorjão, primeiramente é com muita honra que me dirijo a vossa excelência, um pilar para o nosso voleibol.
Sou estudante de especialização em treinamento desportivo e gostaria de saber como que se equaciona a intensidade de um treinamento com bola de uma sessão de treinamento. Como podemos "mensurar" um volume X intensidade treinando com bola, em um microciclo e/ou sessão de treino de vôlei de praia? Para duplas que participam do Circuito BB e Circuito Mundial.
Desde já o meu muito obrigado.
Profº Reinaldo Dantas.

R - Caro Reinaldo.

Muito obrigado pela menção carinhosa à minha pessoa. Com relação a sua pergunta, vamos lá.

Antes de qualquer coisa, gostaria de colocar dois pontos:

1 - Eu, ao longo da minha carreira, sempre trabalhei utilizando o treinamento técnico individual com meio de aquisição/melhoria de condicionamento físico. Nos artigos sobre preparação física, em vôlei de quadra, disponíveis no site, você encontra cerca de dez abordando o assunto; método TOI (treinamento orgânico integrado). Ou seja, como foi criado, baseado em argumentos e, obviamente os conteúdos. Vale a pena dar uma olhada.

2 - Abordo no site a preparação física sob a visão do treinador. Não me apego muito à parte exata da mesma. Os planejamentos do treinamento global, dos ciclos e das sessões de treinamento, são estabelecidos – baseados na minha experiência – de acordo com uma média. Repetindo, não fico preso a detalhes; até porque complica.

Dito isso, considero fundamental o acompanhamento de médico fisiologista e de preparador físico em todo o processo; no planejamento, na execução e nas avaliações.

Como você sabe, é fundamental o conhecimento do atleta, o todo do atleta. Ou seja, de suas capacidades física e técnica individual. Para efeito do treinamento com bola as duas são interdependentes. Abro parênteses para esclarecer: o esforço para a execução de um fundamento ou de uma função do jogo varia de acordo com a aptidão técnica individual; o que para uns é simples para outros é representa grande esforço.

 

O Planejamento, em linhas gerais, é feito da seguinte maneira.

1 - Escolha dos Fundamentos (tipos e maneiras de execução), Funções do Jogo e Estratégias/Táticas a serem exercitados. Por exemplo, como no quadro abaixo.

 

Fundamento

Tipos

Maneiras

Toque

- De frente

- Com os pés no chão

 

- Lateral

- Com o corpo em suspensão

 

- De costas

- Com o corpo agachado

 

- Funções c/ toque (lev. e def.).

 

 

Manchete

- De frente

- Com os pés no chão

 

- Lateral

- Com o corpo em suspensão

 

- De costas

- Com o corpo agachado

 

- Funções c/manchete (lev. E def.)

 

 

Bloqueio

- Parado

- Com 1 salto

 

- Após deslocamentos

- Com + de 1 salto interrompido

 

- Saindo p/ outras ações

- Com saltos consecutivos

 

Cortada

- Cortada potente

- Com 1 ação

 

- Largada – caixinha e lob

- Com + de 1 ação, interrompido

 

- Saindo p/ outras ações

- Com ações consecutivas

 

- Saque

- Do solo

- Com 1 repetição

 

- Em salto

- Com + de 1 repetição, interrompido

 

- Saindo p/ outras ações

- Com ações consecutivas

Por este quadro é possível dimensionar a multiplicidade de exercícios possíveis para a composição do treinamento; com todo e das sessões.

 

2 – Composição da Sessão de Treinamento.

2. 1 - Treinamento – Volume.

 

No quadro a seguir, um exemplo de elaboração de uma sessão de treinamento. Fundamentos, funções do jogo e estratégias do Sistema Ofensivo podem ser distribuídas de tal maneira que contribui para exercitar diversas valências físicas. Ou seja, uma atividade polivalente.

 

Fundamentos
 e/ou Funções

No
de Estímulos

Duração dos Estímulos

Duração dos
Intervalo

 

 

 

 

Toque/vários tipos e maneiras

9

2 – 4 min.

1 – 2 min.

Levantamento após deslocamentos

9

2 – 4 min.

1 – 2 min.

Cortada/Meios de Ataque

9

2 – 4 min.

1 – 2 min.

Ataque após recepção do saque

9

2 – 4 min.

1 – 2 min.

Prática da Estratégia Ofensiva

9

2 – 4 min.

1 – 2 min.

 

Observações:

- Os exercícios para o aperfeiçoamento do toque (fundamento) são realizados sem deslocamentos ou com deslocamentos curtos que não exijam esforço muito forte.

- Os Levantamentos (função do jogo) são executados após deslocamentos, mas de modo interrompido. Por exemplo: deslocamento do ponto de recepção do saque até a zona de levantamento – levantamento – volta ao ponto da recepção (caminhando ou trotando) – outra seqüência e assim por diante até completar 2 – 4 minutos, num total de 9 estímulos e sempre com intervalo de 1 minuto.

- A Prática da Estratégia Defensiva, por exemplo, é realizada também de modo interrompido. Ou seja: recepção – ataque – volta ao ponto de recepção (caminhando ou trotando) – recepção – ataque – volta ao ponto de recepção – e assim por diante até completar 2 ou 4 minutos, num total de 9 estímulos.

- Os números mencionados (como exemplo) foram colocados de modo aleatório. O intuito é de dar, mais ou menos, uma base, uma referência.

Concluindo, a atividade deve ser de longa duração e de baixa intensidade. O conhecimento da capacidade física dos atletas em treinamento é fundamental. O cardio-frequencímetro é um meio interessante para monitorar a intensidade do esforço em cada estímulo, nos intervalos, enfim, ao longo de toda a duração da sessão.

Cabe ao treinador e ao preparador físico estabelecer o número de estímulos, a duração dos mesmos e os intervalos. Exclusivamente ao treinador, a escolha dos fundamentos, a funções os sistemas, etc...

 

2. 1 - Treinamento – Intensidade.

 

Aproveitando o quadro 1 de exemplos, vejamos de que maneira os conteúdos podem ser ordenados de maneira tornar o treinamento mais intenso.

Desta feita, vamos utilizar fundamentos, funções, estratégias/táticas relativas ao Sistema Defensivo.

 

Fundamentos
 e/ou Funções

No
Estímulos

Duração
Estímulos

Duração
Intervalo

Seqüências de execuções de Toque (vários tipos e maneiras) com deslocamentos, sob velocidade máxima.

12

30 – 40 seg.

40” – 1’.

Seqüências de execuções de Manchete (vários tipos e maneiras) com deslocamentos, sob velocidade máxima.

12

30 – 40 seg.

40” – 1’.

Seqüências de execuções de Bloqueio (parados e/ou após deslocamentos), sob velocidade máxima.

12

30 – 40 seg.

40” – 1’.

Seqüências de execuções de Saque, saindo para outras funções como, por exemplo, Bloqueio.

12

30 – 40 seg.

40” – 1’.

Prática da Estratégia Defensiva e a Transição do Sistema Defensivo para o Ofensivo (contra-ataque).

12

30 – 40 seg.

40” – 1’.

 

Observações:

- No Site, Vôlei de Praia – Técnica Individual e em Estratégias/Táticas é possível encontrar centenas de exercícios adequados para a organização das sessões de treinamento. Em Vôlei de Praia – Preparação Física – Treinamento Orgânico Integrado (TOI) existe exemplos de montagem de cada segmento de uma sessão de treinamento.

- Os exercícios para aperfeiçoamento dos fundamentos devem ser realizados em seqüências de tantas execuções possíveis em (por exemplo) 40 segundos. Os deslocamentos de ida para as ações devem ser com velocidade; os de volta, aos pontos de início, com velocidade moderada.

- Os exercícios para o aperfeiçoamento das funções devem ser executados com velocidade requerida.

- Um jogador na quadra oposta atacando bolas levantadas por um levantador. O jogador-bloqueador se desloca na velocidade adequada, executa o bloqueio e volta para o ponto de início. Vale lembrar que a velocidade de movimento na execução do fundamento, como é requerido, é máxima; a graduação do tempo de bloqueio é feita antes do salto.

- Os exercícios da prática da estratégia/táticas devem ser elaborados de maneira que a duração, na mediada do possível, não ultrapasse aos 40 segundos. Por exemplo. Um dos jogadores saca e se desloca para o posicionamento de bloqueio. Os jogadores de uma dupla oponente recepcionam, levantam e atacam. A dupla em treinamento tentará conquistar a posse da bola. Conseguindo, realizam o contra-ataque. Não conseguindo, o treinador lança uma bola, para que realizem o mesmo. Tudo isso em 40 segundos. Finalizada a ação, intervalo que sirva para que os jogadores retornem aos seus posicionamentos de início. Neste segmento do treinamento é mais difícil controlar o tempo do estímulo. Não tem problema. A primeira e segunda partes do treinamento já são suficientes para o alcance dos objetivos propostos.

- Na elaboração da sessão de treinamento é necessário atentar para um aspecto importante. As interrupções, para os atletas beberem água, hidratantes, etc. Uma sugestão. Dividi-las em módulos de determinado número de estímulos e intervalos, com interrupções de, por exemplo, 2 ou 3 minutos.

Concluindo. A atividade é composta por estímulos (execução das ações dos exercícios com velocidade máxima) de intensidade forte, entremeada por intervalos para recuperação. O somatório resulta em treinamento bastante intenso e polivalente, ou seja, numa mesma atividade vários itens fundamentos e funções do jogo estão sendo praticados e várias valências físicas estão sendo exercitadas.

Voltar ao Menu Pergunte ao Jorjão.