JUST VOLLEYBALL

Autor: Jorge Barros [Jorjão

Volei de Praia

Saque - 10 artigos focalizando o saque no Vôlei de Praia. Os Tipos, os Meios de Execução e Exercícios para a Aprendizagem/Aperfeiçoamento das Técnicas. Úteis para Professores de Escolas e Escolinhas e Treinadores de times de alta competitividade.

 

 

 

 

Toque de Bola acima da Cabeça - 20 artigos focalizando o Toque no Vôlei de Praia. Os Tipos, os Meios de Execução e sugestão de 146 Exercícios Aprendizagem/Aperfeiçoamento das Técnicas. Úteis para Professores de Escolas e Escolinhas e Treinadores de times de alta competitividade.

 


História dos Bastidores

Sami Melinski contou um fato por ocasião da disputa de um título quando era treinador do C.R. Flamengo, na década de 1960. Colocou no banco de reservas um jogador com o dedo fraturado... e o lançou em momento decisicvo do jogo.

Seleção Brasileira de 1964,dirigida por Sami Melinski, encontro homenagem, no Centro de Treinamento, Saquarema, em 2010. Da esqueda para direita, de pé: Cmte Paulo Ney (preparador físico), Sami Melinski (treinador, Carlos Nuzman, João Claudio, Newdon, Hamilton Baiano (um dos personagens). Agachados: Victor Barcellos, Carlos Feitosa, Zé Maria Schwartz e Décio Viotti.


Vôlei de Quadra

Reapresento 21 Artigos sobre a Preparação Física do Vôlei de Quadra, na visão do Treinador. Quais valências Físicas o Treinador considera importante para que o atleta desempenhe suas atribuições, com máxima eficiência, nos treinamentos e nos jogos.

Na foto ao lado, nossa campeoníssima Paula Pequeno atacando com bom alcance obtido, entre outras virtudes e atividades, por uma excelente preparação física.

 


Vôlei de Quadra

Mais um artigo dando continuidade aos Vínculos Bloqueio-Defesa diante de Combinações de Ataque. Agora no confronto com equipes que atuam no Sistema 4-2, com Infiltração; muito utilizados por equipes de Escolas e das Categorias de Base.

Na foto ao lado (do grandíssimo Ary Gomes) flagrante do ataque de Giba com a Cobertura de Ataque por Mauricio e Dante. Um dos elementos que é focalizado nos artigos.

Vínculos Bloqueio-Defesa diante de Combinações com o Levantamento da Zona de Ataque. O primeiro da série é o Ataque de equipes de Escolas e de Categorias de Base, que atuam no Sistema 4-2, Sem Infiltração.

 


O primeiro artigo sobe vinculos entre as ações do Sitema Defensivo, focalizou o Saque como meio para dificultar a construção da Estratégia Ofensiva da euipe adversária. Neste segundo e terceiro, partimos da formação defensiva (bloqueio-defesa) diante da recepção em que a bola não chega à Zona de Levantamento em condições pnente do Sistema Defensivo, ou seja, com a Finalidade Tática de dificultar ao máximo as opções de ataque da equipe adversária.

 

Em continuidade à apresentação dos Vínculos entre Ações dos Sistemas do Voleibol, apresento o primeiro da série sobre os do Sistema Defensivo. Na Parte 1, o Saque. Começo por uma discussão sobre sua definição. É um fundamento de Ataque? Faz parte de qual sistema, Ofensivo ou Defensivo? Dou minha opinião.

Sim, sem qualquer dúvida, visto como um Fundamento puro e simples é um poderoso ataque. No do tipo Viagem (*), alguns jogadores conseguem imprimir extrema velocidade à trajetória da bola; acima dos 120 Km/h.

Agora, um Saque desferido com Potência máxima é capaz de provocar erros de Recepção (um toque e a bola "morre" ) e/ou dificultar a construção das Ações Ofensivas e,consequentemente, o ataque por meio de Combinações).

Diante do exposto, coloco a Saque como componente do Sistema Defensivo, ou seja, com a Finalidade Tática de dificultar ao máximo as opções de ataque da equipe adversária.


Vôlei de Quadra

Sexto e último artigo da série sobre os Vinculos entre as Ações de Sistema Ofensivo.

Agora, duas situações de jogo muito frequentes que ocorrem depois do ataque: a bola que é defendida, mas não é controlada, e volta "de graça"; a bola bloqueada que é recuperada pela cobertura do ataque. Em ambas, a equipe tem que reconstruir um novo ataque.

Na foto ao lado, do arquivo CBV, Giba atacando. Repare que Dante e um outro companheiro posicionados para a Cobertura do Ataque

 

 


Vôlei de Quadra

Neste artigo, em continuidade aos Vínculos entre Ações dos Sistemas no Voleibol, serão apresentados elementos fundamentais aos rendimentos dos levantadores e dos atacantes, tendo em vista obtenção da maior eficiência possível nas Ações Ofensivas.

Na artigo anterior postei uma foto do nosso extraordinário levantador e capitão da Seleção Brasileira na década de 80.

Como agora o assunto é Ataque, aproveito para homenagear, na foto à esquerda, Fernando Roscio D'Ávila, Bernard Razjman e Mário Xandó.

O primeiro, um Central/Ponta, bloqueava como central e atacava na ponta. Naquela ocasião, já com alguma idade e com os joelhos "sofridos", dava show de "esgrima"; atacava na diagonal, no corredor, "explorava" os bloqueios, largava, enfim, desferia todos os golpes.

O segundo, Bernard, Ponta/Atacante de Primeiro Tempo. Recepcionava (foi um dos maiores passadores do mundo) e atacava, com extraordinária eficiência, as Bolas de Primeiro Tempo. No contra-ataque atacava também as bolas "Chutadas" na extremidades da rede.

O terceiro, Xandó, foi um extraordinário Oposto. Precursor do ataque das Bolas do Fundo, do tipo "Chutadas" (antes dele essa bolas eram levantadas altas e pouquíssimos jogadores atacavam).

Estes três aí inspiraram muito atacantes, que vieram a ser também extraordinários, que inspiraram muitos outros, que vieram a ser também extraordinários...


 

Em continuidade aos artigos em que abordo os vículos entre as Ações no Voleibol, apresento o que existe entre o Levantamento e o Ataque. Menciono alguns itens extremamente importantes, tais como.

1 - O levantamento/ataque de acordo com o Ponto da Quadra em que o levantamento é realizado.

2 - O tipo de bola a ser atacada por cada jogador, quando na Zona de Ataque e quando na Zona de Defesa (se houver).

3 - Definição das Combinações de Ataque, em cada um dos 6 Rodízios.

Todos igualmente fundamentais ao sucesso das Ações Ofensivas

Aproveito que o assunto é Levantamento-Ataque. para um singela homenagem a Willian Carvalho da Silva, extraordinário ex-levantador da Seleção Brasileira nos anos 70 e 80 (foto ao lado).

Recepção do Saque pelo Atacante, na Zona de Ataque (posições 4, 3 e 2) que Recepciona e Ataca.

Recepção do Saque pelo Atacante na Zona de Defesa (posições 1, 6 e 5) que Recepciona e Ataca a Bola do Fundo.

Em artigos anteriores apresentei alguns elementos/raciocínios importante a fim de proporcionar subsídios para "pensar o voleibol". O Fator Tempo. Ver artigo: coluna 58 voleibol-fator tempo e Vínculos entre Ações. Ver artigos coluna_59_vinculos-sistema ofensivo e coluna60 vínculos-sistema defensivo

 

Neste agora, vou tentar detalhar o Vínculo que há entre o Atacante que Recepciona o Saque e o Ataque do próprio, em diferentes Circunstâncias. Elemento fundamental para o sucesso da ação ofensiva.


Vôlei de Quadra

O voleibol é um esporte muito dinâmico. A marcação de um ponto resulta da eficácia na execução de uma série de ações vinculadas umas às outras. Tenho assistido, frequentemente, a jogos entre equipes das categorias de base, mirim, infantil e infanto-juvenil. Dos Campeonatos Cariocas, dos Mineiros e, por último, dos jogos da Taça Paraná.

É possível observar bons jogadores, isto é, com boas capacidades; físicas e técnicas. Contudo, observo que são eficientes no desempenho de ações isoladas ou de uma única ação. Poderiam ser mais eficientes na medida que fossem atentos à importância dessa vinculação entre as ações.

Na foto ao lado, do arquivo da CBV, Giba atacando e seus companheiros atentos na cobertura do ataque.

 


Vôlei de Quadra e de Praia

 

Artigo sobre Fator Tempo. Está relacionado às ações na maioria das modalidades esportivas. No voleibol, verifica-se na quase totalidade das ações, por exemplo:

- na execução de um fundamento, pura e simplesmente;

- no desempenho de uma função do jogo;

- no controle sobre o ritmo do jogo.

Aspecto da maior importância para solucionar dificuldades que muitas vezes são atribuídas a outros fatores.


Homenagem do JustVolleyball a Fernando Tovar, um precursor.

Fernando Tovar, é um dos grandes responsáveis pelo desenvolvimento do Vôlei de Praia no Brasil. Notadamente na direção dos Circuitos Banco do Brasil de Vôlei de Praia. Hoje nos enche de orgulho ver a perfeita organização dos campeonatos, as arenas lotadas, o público em festa. O Brasil exportou ao mundo todo o modelo de construção das arenas e a irrepreensível organização dos eventos. Os Jogos Olímpicos do Rio, em 2016 vem aí e, não tenho dúvida, estamos preparados para oferecer o evento mais extraordinário de todos os tempos.

 


Alison Cerutti x Saymon Barbosa, referência e generosidade

Perguntei aos atletas da Seleção Adulta, com os quais tinha intimidade, se não tinham óculos usados que pudessem doar à molecada. Todos doaram um ou mais. Pude distribuir a todos, que passaram a treinar equipados.

Adivinhem que doou para Saymon. Justamente Alison, seu adversário de domingo. Ao vê-los se enfrentando, pensei, Saymon não faz ideia do quanto deve a Alison; primeiro, por ter sido uma referência, depois, pela generosidade.

 


Vôlei de Quadra

Último artigo da série Princípios Importantes na construção de um Planejamento de Equipes de Voleibol, sobretudo as de Escolas, Escolinhas e das Divisões de Base dos Clubes. Em artigos anteriores (links abaixo) abordei a Adequação, a Metodologia. Neste último da série, considerações sobre os Prazos para o alcance dos objetivos propostos.

 

Importante: exclusivamente da Ações Ofensivas. Na próxima série, vamos tratar das Ações Defensivas.

No artigo 50: Adequação

No artigo 51: Metodologia

No artigo 53: Metodologia Parte 2

Artigo 54: Metodologia parte 3

Artigo 54b: Metodologia Parte 3, continuação do artigo 54.


Vôlei de Quadra

3 artigos, reciclados, sobre as Disposições dos Jogadores na Recepção do Saque.

O Sistema 3-3 muito pouco utilizado por equipes de alto nível, mas que pode ser útil as de Escolas e de Mirim.

O 4-2 também adequado às equipes de escolas e categorias de base, mirim e infantil.

O 5-1 o mais utilizado pelas equipes de alta competitividade em todo o mundo.

Todos ilustrados com diagramas com exemplos de Formações com 5, 4 e 3 Jogadores na Recepção.

Nas fotos ao lado, aproveito para homenagear Nalbert e Fabi, extraordinários passadores do Vôlei Brasileiro.

 


Vôlei de Praia e Quadra

Mais um artigo dirigido aos Professores de Escolas e Treinadores das Categoria de Base: Parte 1 da Aquisição de Valências Físicas indispensáveis à correta execução dos fundamentos da técnica individual e ações ofensivas.

Cito valências essencias, sugiro métodos e menciono em que circunstâcias do jogo elas são requeridas.

 


Artigo dirigido aos Professores de Escola e ao Treinadores de Categorias de Base. Procuro demonstrar a importância de um Planejamento exequível tendo em vista o alcance de objetivos adequados às capacidades dos atletas, como por exemplo:

- Aquisição de Valências Funcionais indispensáveis à correta execução dos fundamentos da técnica individual;

- Aprendizagem e/ou aperfeiçoamento dos Fundamentos da Técnica Individual requeridos ao desempenho das Funções do Jogo;

- Elaboração das Estratégias adequada às capacidades dos jogadores.

Ninguém melhor que a nossa campeoníssima Fabi (foto ao lado) para simbolizar a excelência técnica.

 


Just Volleyball, o maior Site com conteúdo de Voleibol, de quadra e de praia, do Mundo

Perdoe-me pelo título; o Maior Site do Mundo. Não gostaria de incorrer em presunção. Ao ler o que se segue, poderão concordar ou não com o título. Clique e vamos lá.

Em 2.001 lancei o site www.justvolleyball.com.br . É composto por artigos didáticos sobre os fundamentos da técnica individual, as estratégias e as táticas, específicas ao voleibol de quadra e ao de praia.

No. de Artigos
173
No. de Exercícios para Aprendizagem/Aperfeiçoamento
490
No. de Diagramas Explicativos
93
No. de Figuras Ilustrativas
107
No. de Fotos
20
No. de Artigos
199
No. de Exercícios para Aprendizagem/Aperfeiçoamento
578
No. de Diagramas Explicativos
480
No. de Figuras Ilustrativas
217
No. de Fotos
53

 

O Projeto de Seleções Brasileiras de Vôlei de Praia da Confederação Brasileira de Voleibol com o apoio do Ministério dos Esportes e do Banco do Brasil alcançou os dois principais objetivos propostos:

Objetivo 1 – Captação de atletas com potencial Antropométrico e com boas Aptidões Físicas e Técnicas tendo em vista aproveitá-los em futuros Campeonatos Mundiais e Jogos Olímpicos;

Objetivo 2 – Preparar duplas, femininas e masculinas para a disputa dos Campeonatos Mundiais das Categorias Sub 19 e Sub 21.

 


Vôlei de Praia do Brasil... Socorro... a quem pedir

O Vôlei de Praia do Brasil, diante dos acontecimentos largamente divulgados, corre sério risco de perder a hegemonia conquistada nas últimas décadas, e perder o "bonde" que o trouxe ao lugar de destaque que faz tempo ocupa e que pode levar à muitas outras conquistas. Hoje, lamentavelmente, o Projeto do Vôlei de Praia-Categorias de Base está sem recursos para prosseguir. Estou muito preocupado.

O Vôlei de Praia tem evoluído muito desde que a modalidade tornou-se um Desporto, ou seja, passou a ser disputada com as mesmas regras no mundo todo. Acredito que tem muito a evoluir. Portanto, não é mais possível trabalhar de qualquer maneira. É necessário pensarmos o Vôlei de Praia do Brasil, como todo, de modo estratégico, com vistas continuarmos ambicionando as medalhas nos principais campeonatos internacionais.

Apresento a seguir, um retrospecto do trabalho realizado nas Categorias Sub 19 e Sub 21 nos últimos três anos. A fim de contribuir com elementos importantes e chamar atenção para o grau de importância de um Planejamento Estratégico.

Na foto ao lado a Seleção Brasileira Sub 19. Conquistou o Campeonato Mundial, no feminino e no masculino, em 2014, na Cidade do Porto, Portugal.

Da esquerda para a direita, de pé: Júlio Kunz (treinador do feminino), Walace Ramos (treinador do masculino), Paula Hoffman, Eu, Jorge Barros, Duda Lisboa, Arthur Lanci, Ana Patrícia Ramos; agachados: Marco Antônio Serquiz (fisioterapeuta), Andressa Cavalcante, George Wanderley, Jonas Paixão, Daniel Mussi e Rogério Fragata (preparador físico).


Vôlei de Praia - Vínculo Bloqueio-Defesa

Mais um artigo focalizando o Vínculo Bloqueio-Defesa.

Neste, Parte 1, sugiro método de Treinamento Tático Coletivo para consolidação da Estratégia Defensiva. No próximo, Parte 2, em construção, sugiro um outro. Ambos foram utilizados, com sucesso, pelas Seleções Brasileira de Vôlei de Praia, categorias Sub 19 e Sub 21.

Na foto ao lado, de Ari Gomes, Sandra Pires, Medalha de Ouro em Atanta, 2006, realizando uma defesa com um lindo mergulho.

 

Parte 4 - Dando continuidade aos Elementos de Tempo relacionados ao Bloqueio, artigo focalizando o vínculo que deve existir com a Defesa. Isto é, de que maneira a coordenação Bloqueio-Defesa pode contribuir para um bom rendimento do Sistema Defensivo.

Artigo 21 - Parte 1 - propriedades importantes e indispensávéis para um bom rendimento no Bloqueio.

Art 22 - Parte 2 - o Tempo no Bloqueio e uma sequência de exercícios que contribuem para o aperfeiçoamento dessa importante propriedade.

Art 23 - Parte 3 - Mais uma Sequência de Exercícios para aprimorar o Tempo no Bloqueio. Nesta, os exercícios se aproximam mais à realidade do jogo.

Importante: por serem exercícios para execução individual, podem ser ministradas em qualquer nível de competitividade, tanto no vôlei de praia como no de quadra.


Vôlei de Quadra - Bloqueio

Artigo dividido em três partes, com abordagem sobre o Bloqueio no Confronto com as Combinações de Ataque, utilizadas pela maioria das equipes no Voleibol Atual

Parte 1: como são construídas, os vínculos esistentes entre as bolas que a compõem, as capacidades técnicas requeridas aos atletas para a execução correta.

Parte 2: aspectos relacionados a atuação do bloqueador central e dos bloqueadores das extremidades; aptidão física requeridas aos bloqueadores; os procedimentos técnicos e discernimento tático.

Parte 3: o discernimento tático individual que os bloqueadores devem ter para cumprir suas atribuições durante o jogo.


 

Vôlei de Quadra - Transições entre Sistemas: do Defensivo para o Ofensivo.

Artigo Único focalizando uma situação de jogo frequente: Cobertura de Ataque e Re-Ataque.

Último artigo sobre as Transições entre Sistemas. Neste, em parte única, a Transição do Ofensivo para o Defensivo.

03 artigos focalizando a Transição do Sistema Defensivo para o Ofensivo:

Art. 76 - Transição com a bola levantada da Zona de Levantamento;

Art. 77 - Transição com a bola levantada no Terço Médio da Quadra.

Art. 78 - Transição com a bola levantada no Terço Final ou de Fora da Quadra

Na foto ao lado, Brasil x URSS, no Campeonato Mundial, Argentina, 1982. Mario Xandó atacando observado pelo Capitão William Carvalho e Fernando Ávila (Fernandão).


Preparação Física - Vôlei de Quadra

No Just Volleyball focalizo a preparação física de modo diferente. Sob a ótica do treinador, ou seja, quais as qualidades/valências físicas fundamentais para o atleta treinar e jogar sem limitações, com máximo rendimento.

Logo, não me estendo em aspectos científicos. Sim, a preparação física é, faz tempo, um ciência que precisa ser estudada com profundidade. Temos profissionais altamente qualificados. Entretanto, acredito que o Planejamento Global de uma equipe deve ser contruído por treinador, preparador, físicos e médicos fisiologistas.

19 artigos - reformulados - os quais são focalizadas as valências orgânicas e funcionais. Todas, bem trabalhadas, auxiliam o atleta a suportar períodos longos de treinamento, sem perda de rendimento físico, coordenação motora, eficiência mecânica, envolvimento mental, controle emocional, etc. Além de obter, obviamente, níveis de performance mais elevados.

Na foto acima, um exemplo de ação que requer extaordinária capacidade física: três jogadores alcançando altura impressionante.


Vôlei de Quadra - Estratégias / Táticas

Depois de apresentar artigos 6 artigos sobre as Tranições entre Sistemas, fecho o assunto colocando 5 Sequências com 73 Exercícios para Treinamento. Importante: são postados segundo um progressão, do mais simples (para equipes de base) ao mais complexo (para equipes de alta competitividade).

Reveja os artigos anteriores:

Mais um artigo sobre as Transições entre os Sistemas. Neste, a Defesa-Defesa. Ou seja, a equipe que está defendendo não controla a bola e esta volta à quadra da equipe adversária. Logo, a equipe que estaria realizando a transição Defesa-Ataque, tem que armar-se, novamente, defensivamente.

- Cobertura do Ataque e o Re-Ataque.

- Transição do Sistema Ofensivo para o Defensivo - Parte Única.

- Transição do Sistema Defensivo para o Ofensivo, assunto dividido em 3 partes:

1 - na Zona de Levantamento;

2 - no Terço Médio da Quadra.

3 - no Terço Final da quadra ou fora dos limites da mesma.


Vôlei de Praia - Dica - Utilidade do Controle da Bola entre as linhas da quadra para o Aperfeiçoamento do Levantamento.

Mais uma Dica com Sequência de Exercícios para o Aprefeiçoamento do Levantamento. Faço observações importante para que o atleta obtenha deslocamento e posicionamento corretos para execução, com o Toque e com a Manchete.

Embora seja um Dica bem simples, acho interessantíssima no Processo de Aprendizagem e, também, para melhorar o rendimento de jogadores de alta competitividade.

Na foto ao lado, de Vanessa Lage, o Toque no momento do Levantamento.


Acesse a Dicas anteriores:

A Prática do Controle da Bola para o Aperfeiçoamento da Recepção do Saque.

A prática do Controle da Bola, com auxílio da Rede, para Aperfeiçoamento da execução do Toque e da Manchete.

A prática do Controle da Bola com a utilização das Linhas da Quadra para o Aperfeiçoamento da execução do Toque e da Manchete, em diferentes situações que ocorrem em um jogo.