Histórias/Bastidores 13

Treinador Erudito

 

Um treinador - não vou citar nome nem ocasião - de poucas palavras. Poucas, muito poucas mesmo, porque era um "monstro" no português.

Certa vez reuniu a equipe em volta de uma mesa com botões para dar as instruções. A mesa era improvisada, bem baixa. Os jogadores ficaram sentados ou ajoelhados com os olhos no nível da superfície da mesma.

Começou a exposição:

- Aí moçadinha... o time adversário tem a característica de atacar muito forte. Vamos prantarem na defesa, com as perna bem aberta e ficar com os olhos bem aberto.

Um terço do time, imediatamente, foi pra baixo da mesa para dar risada. Com ar de desconfiado, continuou:

- O prantiamento tem que ser fixo. Não vamos saírem das posição, de maneira nenhuma.

Outro terço foi pra debaixo da mesa. Antes de continuar, repreendeu:

- Mocadinha... vamos prestarem atenção.

A turma não conseguiu conter as risadas. O treinador, sem entender o motivo de tanta risada, fez uma pausa e, com um olhar meio de indignado, perguntou:

- Vocês estão rindo de quê?

Roxo de raiva, continuou a broca:

- Estou falando uma coisa tão importante e vocês, sei lá o porque ficam dando risada. Vamos prestarem atenção! Que coisa!

A rapaziada, um bando de gozadores, engolindo as risadas, tentou manter a seriedade. Mas não adiantou, porque o arremate foi terrível:

- Quando for ponto, vamos levantar os braço e comemorar. Com isso a torcida vem junto com o time e se transforma no sete jogador!

O time voltou para a quadra às gargalhadas. É evidente que o treinador referia-se ao sétimo jogador.

Voltar