Histórias/Bastidores

 

E Aí...BENÉ !

Bené, falecido esta semana, foi um dos treinadores - além da sua extraordinária competência - e uma das pessoas mais benquistas do voleibol brasileiro. Foi várias vezes campeão com o Fluminense. Dentre seus maiores feitos destacam-se as descobertas de craques fantásticos. Os mais famosos foram: Bernard, Fernandão, Badalhoca e Bernardinho.

Quando dirigi o Fluminense, fazia questão da sua companhia nos treinamentos e nos jogos. Para mim era um conselheiro. Sou muito grato a ele por tudo em que me ajudou.

Participava diretamente nos treinamentos, mas nos jogos... mas nos jogos...

Ele estava no banco de reservas comigo num jogo, em pleno Maracanãzinho, contra a poderosa Atlântica Boavista - na ocasião um "scracth", como ele mesmo gostava de denominar os grandes times - como sempre, ajudando.

Jogo vai, jogo vem e ele dando suas opiniões. Uma delas estava me irritando profundamente. Pela Atlântica Boavista jogavam Bernard, Renam, Bernardinho, Suíço, enfim, um elenco de craques. Faziam combinações fantásticas e enfiavam a porrada a torto e a direita. Toda bola - mas toda bola mesmo! - que o adversário atacavam e colocavam no chão da nossa quadra, Bené, incontinenti, falava:

- Sr Jorrrrrge - ele carregava mesmo nos "r" - o bloqueio falhou. Só isso!

Outra jogada, mais uma bola no chão, Bené, na mesma hora:

- Sr Jorrrrge, o bloqueio falhou, só isso!

Mais uma, na mesma hora:

- Sr Jorrrrrrge, o bloqueio falhou, só isso.

Profundamente irritado com a constatação sistemática, cobrei uma resposta com veemência:

- Seu Bené, o senhor está falando o tempo todo que o bloqueio falhou. Até aí morreu Neves. Não adianta só ficar falando que o bloqueio falhou. Quero saber da solução. O que devemos fazer? E aí... o que devemos fazer, porra!?!?

Incontinenti, com ar sério e imponente, ele respondeu:

- Você é o técnico... se vire, meu amor!!!

Voltar ao menu História/Bastidores