Histórias/Bastidores - 06

por Márcio Pereira de Souza (*)

Bené, como enfatizado em histórias anteriores, fazia apologia ao voleibol clássico. Admirava profundamente os craques e suas jogadas "liiiindas", independentemente se realizadas por jogadores do seu time ou do time adversário. Ao contrário, para com jogadas ruins, não pestanejava e mandava: "esta merrrrda, entra ano sai ano não aprende". Acompanhem essa contada por Márcio.

Jogávamos, Fluminense F.C. e C.I.B, pelo Campeonato Carioca Juvenil. Eram dois times extraordinários e candidatos fortíssimos ao título daquele ano. No Fluminense tínhamos, entre outros, Careca, Zé Elias, Fernandão e eu.... Pelo C.I.B., Luiz Alberto, Zezinho, Lino, Duda, etc... Bené tinha profunda admiração por todos, tanto de um time quanto do outro. Mas por um, de modo especial: Lino, que que era realmente um cracaço.

Jogo lá e cá Lino, recebe uma bola na saída da rede e dá um "gancho" - golpe característico e espetacular que fazia regularmente - e coloca a bola na digonal, na interseção entre as linhas da ataque e lateral, do lado oposto (saída da rede do adversário). Bené, incontinenti, pede tempo. Fomos em sua direção, a fim de ouvir suas instruções. Ele nos olha e com a voz baixa - raridade naquela ocasião - e manda:

- Viram essa jogada do Lino?

Ficamos calados, mas concordamos movimentando a cabeça, apertando os lábios, etc... Ele nos olhou, com ar levemente sarcástico, e finalizou a "instrução":

- Vocês não sabem fazer isso!!!

Deu as costas e voltou para o banco. Nós todos, com a maior cara de babaca, voltamos para o jogo.

Era uma das milhares de maneiras com que ele nos estigava.

 

Márcio Pereira de Souza, foi um dos grandes jogadores de voleibol do Brasil. Começou sua carreira no Fluminense F.C., do Rio de Janeiro, tendo Benedito Silva, o Bené, como seu treinador. Em toda sua carreira atuou, única e exclusivamente, pelo Fluminense F. C. Foi jogador das Seleções Carioca e Brasileira, em todas as categorias. É profundo admirador de Bené, como treinador e como pessoa, e muito grato pela contribuição dele, para sua formação de atleta e de indivíduo.

Voltar para o Menu Histórias/Bastidores