Vínculos entre as Ações dos Sistemas no Voleibol

Vínculos entre as Ações do Sistema Defensivo.

Saque – Bloqueio/Defesa – Transição do Sistema Defensivo para o Ofensivo - Parte 3

 

- Bola do Fundo, pelas Pos. 1 e/ou Pos.6.

Meio de Ataque também muito utilizado pelas equipes de alta competitividade, em Levantamentos do Terço Médio da Quadra. Não só após a Recepção do Saque, mas também em Contra-Ataques, após a defesa ou o toque no bloqueio em que a bola não é enviada à Zona de Levantamento. Requer também grande capacidade técnica e discernimento tático individual, do levantadores e dos atacantes.

O Sistema Defensivo a ser adotado é semelhante em relação ao das Bolas Altas e das Bolas "Chutadas" na Extremidades da Rede. Há, entretanto de se considerar algumas alternativas Táticas.

Ataque da Bola do Fundo pela Pos. 1.

1 – Marcação do Bloqueio fechando a passagem da trajetória da bola para a Diagonal.

2 - Marcação do Bloqueio fechando a passagem da trajetória da Bola para a Paralela.

Nos diagramas a seguir, os Pontos do Levantamento (P.L.) e os Pontos em que o Golpe é desferido.

Partindo-se do Posicionamento do Bloqueadores Fechado e da Defesa Avançado, temos como Procedimentos.

Dos Bloqueadores.

Os das Extremidades (B4) se ajustam e se posicionam de maneira obstruir a passagem da trajetória da bola para a Diagonal.

O Bloqueador Central (B3), se desloca do centro e compõe o Bloqueio Duplo. Nesta circunstância é bem possível que este consiga se posicionar lado a lado com B2 e B4, pois a trajetória da bola é mais lenta.

B2, de modo geral, não tem tempo para recuar e participar da defesa na diagonal. Logo, se encarrega da defesa da bola "largada" dentro da Zona de Ataque, de atrás do bloqueio até o centro da mesma (retângulo destacado em verde).

Dos Defensores.

D5 se posiciona rigorosamente de frente para o ponto do golpe (retângulo destacado em verde). A seta tracejada em vermelho significa que é grande a probabilidade de a bola tocar no bloqueio.

D1 se posicionam à direita do ponto em que o bloqueio está posicionado, tendo como referência a mão direita de B3.

D6, de acordo com a prévia determinação do treinador e/o com sua própria percepção, se posiciona ligeiramente à esquerda, a fim de defender a bola atacada para a paralela ou à direita para defender a bola atacada na diagonal.

 

Notas Importantes

- Alguns atacantes golpeiam a Bola do Fundo bem próxima à rede. O que torna a característica do ataque bem semelhante ao da bola atacada pelos atacantes na Zona de Ataque, tanto nas Bolas Altas quantos nas "Chutadas".

- O Levantamento de alguns pontos, principalmente os de fora da quadra (além das linhas laterais), torna a ação mais lenta e, por conseguinte, aumenta a possibilidade da composição perfeita para o bloqueio. Com isso, aumenta também a probabilidade de os atacantes tentarem a "explorada" do mesmo.

 

 

 

Notas

- No diag. 12. O Bloqueio se posiciona para obstruir a passagem da trajetória da bola para a Diagonal. A faixa na Paralela se torna mais ampla. De modo geral, as equipes de alta competitividade a ocupam com o Libero.

- D6 se posiciona mais à esquerda ou mais à esquerda de acordo com a característica do atacante.

 


 

- Ataque da Bola do Fundo pela Pos. 6.

Meio de Ataque também muito utilizado pelas equipes de alta competitividade, em Levantamentos do Terço Médio da Quadra. Não só após a Recepção do Saque, mas também em Contra-Ataques, após a defesa ou o toque no bloqueio em que a bola não é enviada à Zona de Levantamento. Requer também grande capacidade técnica e discernimento tático individual, dos levantadores e dos atacantes.

De modo geral, são atacadas pelos Pontas Passadores. Recepcionam o Saque e se apresentam para o ataque; os Atacantes Opostos atacam pela Pos.1 com maior frequência.

No grupo de diagramas a seguir. Diag 1, um exemplo de Combinação de Ataque. A Bola de Primeiro Tempo (A3) é próxima ao Levantador. Os dois atacantes na Zona de Ataque, A2 e o Oposto (Op) atacam nas extremidades da rede, pos. 2 e 4, respectivamente. O Ponta Passador (A4) ataca a Bola do Fundo pela Pos. 6 (círculo e seta em azul claro). Os Bloqueadores estão no Posicionamento Fechado e os Defensores no Avançado (ambos apropriados à qualquer quer alternativa de ataque).

Vejamos alternativas para a composição do Sistema Defensivo.

Alternativa 1 - Bloqueio Duplo.

No diag. 15, B2 se encontra no Posicionamento Fechado, se ajusta para fazer a marcação adequada. B3 se desloca do centro da rede (linha tracejada em vermelho) a fim de compor o Bloqueio Duplo com A2. B3 (seta tracejada em verde) é o responsável pela defesa da bola "largada" atrás do bloqueio, dentro da Zona de Ataque.

D1 ocupa o espaço (restrito) do ataque para a Pos. 1. D5 o correspondente ao ataque para a Pos. 5 (mais amplo). D6 se movimenta à direita ou à esquerda, de acordo com a característica do atacante e/ou com sua própria percepção.

As linhas tracejadas em verde claro, delimitam os espaços pelos quais D1 e D5 têm que ocupar.

Alternativa 2 - Com Bloqueio Triplo.

Aproveitando o mesmo exemplo de Combinação (diag. 14). B3 se desloca do centro da rede e B4 de seu posicionamento original, Fechado (linhas horizontais tracejadas em vermelho). Repare que as áreas que D1 e D5 têm que ocupar se tornam ainda mais restritas. No caso, aumenta a probabilidade dos toques no bloqueio em que a bola sai do perímetro da quadra, pelas linhas laterais e a do fundo. D1 e D5 se encarregam das bolas à direita e à esquerda, respectivamente, à frente dos pontos em que se encontram. D6 das mais para o fundo, inclusive as saem pela linha do fundo.

 

 

 

Nota

Maior detalhamento das atribuições dos bloqueadores e dos defensores pode ser acessados nos artigos postados no Vôlei de Quadra >Menu Estratégias e Táticas>Sistema Defensivo.

 

Nos próximos artigos serão focalizados os vínculos Bloqueio-Defesa diante de Combinações com o Levantamento da Zona de Ataque. O primeiro da série será o Ataque de equipes de Escolas e de Categorias de Base, que atuam no Sistema 4-2, Sem Infiltração.

 

Voltar ao Menu de Colunas

Voltar / Home