Motivando Campeões - Parte II

por Evandro Mota (*)

Na Copa de 98 o modelo de excelência que escolhi foi o Michael Jordan. O melhor e mais bem sucedido jogador de basquete que este planeta já conheceu. Um talento nato, mas que só foi reconhecido mundialmente quando começou a conquistar títulos. E para que os títulos aparecessem ele teve que começar a compreender a importância de trabalhar em equipe. Somente colocando o seu talento a serviço da equipe é que os títulos e o prestígio internacional surgiram. E qual foi o modelo que escolhi, e estou utilizando, para mobilizar na direção da excelência a atual Seleção Brasileira? Em acordo com a Comissão Técnica, e na busca de algo bem atual, chegamos à conclusão de que o melhor modelo de excelência seria a própria Seleção Brasileira - a única Pentacampeã do mundo e que nas últimas três Copas disputou todas as finais. Vários denominadores comuns dos participantes da nossa Seleção foram levantados e estão sendo trabalhados para mobilizá-los. Vou citar dois deles aqui. Por trás de cada um daqueles atletas encontramos histórias comoventes de superação. Algumas dessas histórias são conhecidas, como os seguidos dramas vividos pelo Ronaldo desde a final de 98 até a conquista de 2004. Outras não são tão conhecidas como as inúmeras negativas que o Cafu (nosso capitão) recebeu quando tentava ser jogador de futebol. Ele foi reprovado onze vezes quando fez testes em diferentes times. Ele não desistiu e hoje é o jogador que mais vestiu a camisa da nossa Seleção e o único jogador do mundo a participar de três finais de Copas seguidas e a ganhar duas delas. São dois exemplos de pessoas que souberam ultrapassar os "nãos" que a vida nos apresenta para saber se vamos ter a perseverança dos Campeões ou a acomodação daqueles que se contentam com menos do que os seus sonhos estão apontando.

O primeiro denominador comum que facilmente detectamos foi que cada um deles é um SUPERADOR DE DESAFIOS. Durante uma palestra eu fiz a seguinte pergunta para que eles recordassem as suas histórias de superação:"Quantos desafios você já teve que enfrentar e vencer na vida para chegar até aqui?"

A outra coisa que mostramos para os atletas foi lembrar a importância de algo que eles construíram (e continuam a construir) ao longo de anos de trabalho - uma reputação bem sucedida. A reputação é conseqüência das ações individuais e dos resultados que eles conseguiram. Assim como uma reputação leva anos para ser construída, em questão de minutos pode ir por água a baixo. Estar na Seleção Brasileira é a maior vitrine que cada um poderia ter para sedimentar e melhorar ainda mais a suas respectivas reputações, desde que continuem a conquistar títulos. Este é outro fator comum entre eles: todos são PREDADORES DE TÍTULOS. Eles se alimentam das conquistas que lhe dão mais prestígio, dinheiro, reputação e, principalmente, prazer. Quem já sentiu o gostinho (prazer) insubstituível de uma grande conquista (no caso deles de um campeonato mundial), e das respectivas conseqüências, não quer saber de nada menos do que isso. Apesar de ser uma necessidade aparentemente já satisfeita, deixa de sê-la quando lembramos que eles vivem de tudo que envolve cada uma dessas grandes conquistas. Uma grande conquista, ou conseguir realizar um sonho, quase que apaga todo o sacrifício que ficou pelo caminho. Por esta razão é que afirmo que é muito menos complicado trabalhar com quem já experimentou essas situações de sucesso e de grandes conquistas do que trabalhar com quem só ouviu falar de como é bom ser Campeão. E como podemos aproveitar tudo isso na nossa vida? Quando você estiver enfrentando uma dificuldade lembre-se dos inúmeros "nãos" que a vida lhe colocou e que você já teve a competência de superar. Lembre-se ainda das inúmeras conquistas que você já foi capaz de conseguir e o prazer que todas elas lhe deram. Você também é um SUPERADOR DE DESAFIOS e um PREDADOR DE CONQUISTAS. Lembre-se sempre disso!

(*) Evandro Mota é engenheiro, escritor, consultor e requisitado palestrante nas áreas: motivacional, de auto-gestão e de melhoria de performance. Já ministrou mais de 600 Cursos na área de desenvolvimento pessoal para cerca de 100 mil pessoas. Mota já conduziu centenas de seminários, palestras, cursos, tele-conferências e treinamentos na área educacional, empresarial e esportiva. É autor dos livros: Algumas Maneiras de Fazer Alguém Feliz (7ª Edição - Ed. Luz), O Prazer da Vitória (4ª Edição - Ed. Gente), Nada do que Foi Será... e Escolhas e Conseqüências. Foi atleta de basquetebol (Botafogo F.R.), futebol de praia, futebol de campo e futsal. Terminando o seu curso de engenharia e disputando o Campeonato Carioca de futsal (C.R. Vasco da Gama) ele teve acesso ao que mais tarde ficou conhecido como Qualidade Total e teve a idéia de aplicar tais conhecimentos em si mesmo como atleta. Os resultados foram surpreendentes e logo depois outros atletas começaram a lhe procurar para compartilhar as suas experiências bem sucedidas e desde então não parou mais de atuar na área de treinamentos. Visite a página www.evandromota.com.br

Voltar ao Menu de Crônicas