Estratégias/Táticas - Artigo 54

 

- Estratégia/Táticas - Defensivas.

- Estratégia Defensiva p/ Neutralizar Combinações com o Centro entre o Meio e a Saída da Rede.

- Combinações c/ 3 Atacantes na Rede, com 1 Atacante do Fundo.

 

- Procedimentos no Bloqueio.

 

Nos diagramas a seguir, exemplos de combinações que utilizaremos para tratar dos procedimentos, primeiramente, no bloqueio e, depois, na defesa.

A ordem de saque (visão do fundo da quadra) é a seguinte:

A5 – A4 – A3

A6 – L – A2

L é o Levantador.

A2 e A5 são os atacantes-receptores que atacam as 2as Bolas e/ou Bolas de Ponta, nos rodízios em que estão na rede, e as Bolas do Fundo, nos rodízios em que estão na linha de defesa.

A3 e A6 (substituído pelo Líbero (LI) nos diagramas), são os centrais que atacam as 1a Bolas.

A4 é o Oposto, que ataca 2as Bolas e/ou Bolas de Ponta, nos rodízios em que está na linha de ataque e as Bolas do Fundo, nos rodízios em que está na linha de defesa.

 

No diagrama 1, a Combinação Desmico para Trás. A 1a. Bola, Cabeça Frente (com o A2 saindo da pos. 2, da quadra oposta) está combinada com o ataque da 2a. Bola, de A4 (Oposto), na pos. 2. A Bola do Fundo é atacada por A2 (em azul claro) no terço central da rede. A de Ponta, pela pos. 4, por A5.

No diagrama 2, a Combinação Volta da Desmico para Trás. A 1a. Bola, Cabeça Frente (com o A2 saindo também da pos. 2, da quadra oposta). Está combinada com o ataque da 2a. Bola, de A4 (Oposto), na pos. 3; ele finta que vai atacar na pos. 2, muda a direção e volta para atacar no terço central da rede. A Bola do Fundo é atacada por A2 na pos. 2, em espaço proporcionado pelo deslocamento de A3 para o ataque da 1a. Bola.

No diagrama 3, uma variação muito utilizada por equipes femininas. O ataque da 2a. Bola, na pos. 2, é realizado pelo A5 em vez do A4 (Oposto), que ataca na pos. 4. A movimentação de ambos está destacada nas linhas interrompidas (mais cheias) em azul.

 

 

 

Nota

Em todas as combinações a equipe dispõe sempre de um Atacante do Fundo: A4 (Oposto), nos rodízios em que está na linha de defesa; A2 e A5, nos rodízios em que o A4 está na rede.

 

Notas

- No caso das mulheres, é muito comum a atacante da 2a. Bola (A5) fazer o percurso nos mesmos moldes em que atacam a China com 1 Pé na Saída da Rede. No diagrama a seguir, o percurso está destacado em azul escuro.

 

 

 

- Uma das variação da combinação exemplificada no diag. 1 é com relação à movimentação de A4, o Oposto. Em vez de sair da pos. 3 para atacar na pos 2, ele se desloca antecipadamente para o ponto em que faz sua aproximação final para o ataque. No diagrama 5, está representada em azul escuro.

 

 

 

- Procedimentos no Bloqueio.

 

Como mencionado em outros exemplos, as Combinações com Ataque do Fundo são realizadas por equipes de alto nível. A fim de neutraliza-las a equipe adversária tem que contar com bloqueadores igualmente de alto nível e capacitados para executar qualquer estratégia. A manobra 1 – 2 pode e é utilizada, todavia de modo esporádico.

Abordaremos apenas a manobra 2 – 1, uma vez que, sem dúvida, é mais recomendável no confronto com combinações com atacante do fundo.

 

B3

 

1ª Atribuição – Responsabilidade Principal.

 

- Bloqueio Individual ou Duplo (com B4) da 1a. Bola, Cabeça Atrás e/ou Cabeça Frente, atacada pelo A3, que sai da pos. 2.

 

- 2a. Atribuição – Responsabilidade Secundária.

Como sua 1a. Atribuição é a de bloquear a 1a. Bola (Cabeça Frente ou Cabeça Atrás) ele pode adotar como estratégia:

- saltar o máximo para tentar anular a 1a. Bola;

- graduar o salto (saltar pouco) tendo em vista o bloqueio das 2as. Bolas, da Bola do Fundo e da Bola de Ponta;

- não saltar para o bloqueio da Bola de Primeiro Tempo e esperar para o bloqueio das demais bolas da combinação.

 

Outro elemento a ser considerado em seus procedimentos é o fator tempo. Ou seja, deve priorizar as bolas executadas em mais curto espaço de tempo. Pela ordem:

- Bola de Tempo;

- Bola do Fundo;

- 2a. Bola;

- Bola de Ponta.

 

Nota

Como mencionado outras vezes, no voleibol atual todas as bolas da combinação são executadas/atacadas com diferença mínima de tempo entre elas.

 

Enfim, sejam qual forem suas opções, seus procedimentos estão enumerados a seguir – pela ordem de tempo.

 

- Deslocar-se para sua direita, a fim de:

            - ajustar-se para o bloqueio da Bola do Fundo, atacada no terço central da rede;

            - bloquear a 2a. Bola, quando atacada no terço central da rede;

            - bloquear a Bola de Ponta na pos. 4 da quadra oposta.

 

- Deslocar-se para sua esquerda, a fim de:

- deslocar-se para o Bloqueio da Bola do Fundo na pos. 2, da quadra oposta;

           - bloquear a 2a. Bola quando finalizada entre o centro da rede e a pos. 2 da quadra oposta.

 

Repare nos diagramas a seguir. Um colchete laranja demarca a área de atuação de B3, com assistência de B4. É o terço central da rede, zona em que são levantadas/atacadas as Bolas de Primeiro Tempo, de A3, a Segunda Bola, de A4 e as Atacadas do Fundo por A2. Ela não é fixa. O ataque podem ser realizados um pouco mais à direita/à esquerda. São as bolas mais rápidas e Atribuição Principal de B3.

O Posicionamento de Expectativa de B3 é rigorosamente no centro da rede. O de B4, no Posicionamento Fechado. No momento do levantamento, ambos devem estar lado a lado. No caso das bolas serem levantadas/atacadas nas extremidades da rede, os deslocamentos estão representados pelos colchetes vermelhos.

 

 

 


 

B4

 

1a. Atribuição – Responsabilidade Principal.

 

Os bloqueadores B4 e B2 devem adotar o Posicionamento Fechado, para poderem se incumbir de mais atribuições.

            - Bloqueio (duplo com B3) da 1a. Bola Cabeça Atrás ou Cabeça Frente.

 

2a. Atribuição – Responsabilidade Secundária.

 

As atribuições de B4 são muito semelhantes às de B3. De acordo com a estratégia de bloqueio, ou ainda de alguma tática eventual, B4 deve considerar os mesmos elementos mencionados para B3.

- Deslocar-se para a sua direita, a fim de:

- ajustar-se para o bloqueio da Bola do Fundo, atacada no terço central da rede;

- deslocar-se para bloquear a 2a. Bola, finalizada no terço central da rede;

- deslocar-se para bloquear a Bola de Ponta, na pos. 4, da quadra oposta.

 

Nota

Neste último caso – bastante freqüente – em bolas em que o levantador não tem qualquer possibilidade de executar bolas mais rápidas; o levantamento, como alternativa única, é o da Bola Alta na extremidade da rede.

 

- Deslocar-se para sua esquerda:

- bloqueio da Bola do Fundo, pela pos. 2 da quadra oposta;

- bloqueio da 2a. Bola finalizada entre o centro e a extremidade da rede.

 

Nota

O posicionamento inicial e os deslocamentos de B4 são semelhantes aos de B3, apresentados nos diagramas 9, 10 e 11. Não estão apresentados os deslocamento para o bloqueio triplo para o ataque de A4 e/ou A5 na extremidade da rede (pos. 4 da quadra oposta). Repito: de modo geral, só realizado quando ocorre erros e a combinação não pode ser executada.

 

 

 


 

B2

 

1a. Atribuição – Responsabilidade Principal.

- Deslocar-se para sua esquerda, a fim de participar do bloqueio, juntamente com B3, da 2a. Bola atacada no terço central da rede.

 

Nota

B2 se posiciona na Formação Fechada. De acordo com a estratégia de bloqueio, pode participar do bloqueio (duplo com B3) da 1a. Bola Cabeça Frente e da Bola do Fundo, finalizadas no terço central da rede; as bolas mais rápidas da combinação. Sobretudo se as mesmas forem levantadas/atacadas próximas do ponto em que está posicionado. Todavia, não é recomendável. Saltando para o bloqueio no centro da rede, dificilmente conseguirá se deslocar para o bloqueio da Bola de Ponta, na extremidade da rede (pos. 4 da quadra oposta), sua segunda atribuição.

O procedimento mais apropriado é o de se posicionar e participar do bloqueio sem saltar no mesmo tempo de B3, isto é, com certo atraso. Nas bolas mal executadas, ele tem chance de sucesso.

Outra alternativa tática, é a de não participar – de maneira alguma – dos bloqueios para as bolas no terço central da rede. Posicionando-se, antecipadamente no Posicionamento Aberto, ou seja, mais próximo da extremidade da rede, de maneira que não chegue atrasado para o bloqueio da Bola de Ponta.

 

2a. Atribuição – Responsabilidade Secundária.

 

- Deslocar-se para sua direita, para o bloqueio da Bola de Ponta finalizada na pos. 4 da quadra oposta.

Nos diagramas a seguir, os colchetes em vermelhos, representam sua movimentação. No Posicionamento Fechado ele está equidistante aos pontos dos ataques dos quais é responsável.

 

 

 

 

A combinação de ataque é concebida com várias alternativas de ataque. Todas coordenadas e executadas com extrema velocidade. Cada vez mais, é menor o espaço de tempo entre as bolas que as compõem. O objetivo é, justamente, o de dificultar a ação dos bloqueadores e defensores da equipe adversária. De que maneira? Diminuindo, ao máximo, o tempo para deslocamentos e saltos.

É extremamente importante discernimento tático individual de todos os jogadores, de maneira identificar o que a equipe adversária está tramando. Extraordinária capacidade de deslocamentos em máxima velocidade. E, obviamente, execução correta do bloqueio, e no tempo certo. Isso tudo, para se ter alguma chance de sucesso.

 

Continuação no artigo 55 com os Procedimentos na Defesa.

 

Home

Ir para Menu Vôlei de Quadra