Estratégias/Táticas - Artigo 53

- Estratégia/Táticas - Defensivas.

- Estratégia Defensiva p/ Neutralizar Combinações com o Centro entre o Meio e a Saída da Rede.

- Combinações c/ 3 Atacantes na Rede, Sem Atacante do Fundo (continuação do art. 52).

- Procedimentos na Defesa.

 

Antes de focalizar os procedimentos na defesa, de todos os defensores, como de costume, é necessário abrir parênteses para tecer considerações sobre as bolas “largadas”. Por que? As combinações são executadas, atualmente, têm um fator a ser considerado: o tempo. O espaço de tempo entre o golpe dos atacantes da 1a. Bola, da 2a. Bola, das Bolas de Ponta e das Bolas do Fundo, é quase que nenhum. É praticamente uma só ação.

A decorrência deste fator tempo é impossibilitar deslocamentos, quer dos bloqueadores quer dos defensores. Ora, vamos raciocinar juntos. Um defensor está posicionado em determinado ponto da quadra para defender bolas de até quatro possíveis atacantes, numa mesma ação. As trajetórias das mesmas alcançam velocidades incomensuráveis. Obviamente, é muito difícil realizar qualquer deslocamento. Do posicionamento de um tipo de ataque para outro, como também de um posicionamento para defesa para um ataque (cortada forte) para o posicionamento de defesa de uma “largada”.

A elaboração da estratégia defensiva, atualmente, é, poderíamos dizer, uma obra de engenharia. A peças são posicionadas segundo algum raciocínio. Um pensamento é adotado por todos os treinadores (ou deveria ser): quanto mais simples melhor; quanto menos mexido melhor.

 

Feita estas considerações, tomando como exemplo a combinação Desmico e Volta da Desmico, que estamos utilizando nestes dois artigos, vejamos de que maneira pode ser elaborado um sistema para a cobertura das bolas “largadas”.

- Com Bloqueio Simples:

cobertura pelo (s) bloqueador (res) que não participa (am) de qualquer bloqueio (diags. a seguir).

 

 

 

- Com Bloqueio Duplo:

 

cobertura de B2; - 1as. Bolas (de B3 e B4),
  - 2a. Bola, entre o centro e a pos. 2, da quadra oposta,
  - 1a. Bola, China com 1 Pé na Saída .

 

cobertura de B4; 2a. Bola no terço central da rede, um pouco mais à esquerda
 

- Bola de Ponta, na pos. 4, da quadra oposta.

   

 

                                                                                                                                                       ;

 

 

Observação: no diagrama da direita, onde está escrito Bloq. de B3/B2 na Pos. 4 leia-se Pos. 2.

 

- Com Bloqueio Triplo:

 

cobertura de D1; - Bola de Ponta na pos. 4, da quadra oposta,
  - 2a. Bola, no terço central da rede,
  - 1as. Bolas (Cabeça Frente/Trás), de centro da quadra até a linha lateral direita,

 

cobertura de D5; - 1a. Bola (Cabeça Frente/Trás), do centro da quadra até a linha lateral esquerda,
  - 2a. Bola entre o centro da rede e a pos. 2, da quadra oposta.
  - 1a. Bola (China com 1 Pé) na pos. 2, da quadra oposta.

 

cobertura de D6; de todas as bolas da combinação, do centro para o fundo da quadra.

                                                                                                                                                 
Nos diagramas a seguir, estão delimitadas a áreas que cada qual dos defensores é responsável. A porção compreendida entre o centro da quadra até a rede é dividida, praticamente, pelo D1 e D5. Do centro até a linha do fundo cabe ao D6.

 

                                                                                                                                                    

 

Para finalizar, vale enfatizar que a percepção dos defensores possibilita defesas de bolas “largadas”, apesar de não estarem incumbidos das mesmas. Ou seja, as disposições apresentadas funcionam como um princípio. Existem outras e muitas outras que podem ser criadas. O mais importante: quanto mais simples, melhor.

Nos procedimentos de cada defensor, a seguir, não será mencionado o item defesa das bolas “largadas”.

 


 

D1

- Defesa das Bolas Atacadas que passam à direita do bloqueio, simples, duplo ou triplo. As mais direcionadas para a pos. 1, em que D1 está mais próximo em relação ao ponto do ataque são:

            - a bola de ponta, atacada na paralela;

            - a 1a. Bola Cabeça Frente, do tipo esquerda;

            - a 2a. Bola, atacada no terço central da rede;

            - a China com 1 Pé na Saída (equipes femininas).

- Defesa das Bolas que tocam no bloqueio e saem pela linha lateral direita.

- Segunda ação da defesa, depois de defesa dos companheiros.

Nos diagramas, 1 e 2 a seguir, D1 está em dois posicionamentos: um mais à frente; outro mais atrás. O mais adiantado é apropriado à defesa das bolas de 1o Tempo e 2o Tempo, isto é, as mais rápidas. O mais atrás é mais apropriado para a defesa das bolas de trajetória mais lenta. Por exemplo, a China com um Pé na Saída (no diag. 2) e a de Ponta (em ambos os diagramas). Outro aspecto importante: de acordo com sua sensibilidade, deve movimentar-se também mais à esquerda.

 

 

 


 

D5

 

- Defesa das Bolas Atacadas que passam à esquerda do bloqueio, simples, duplo ou triplo. As mais direcionadas para a pos. 5 e em que D5 está mais próximo em relação ao ponto do ataque são:

 

          - a 1a. Bola Cabeça Frente, do tipo positiva;

- a 1a. Bola Cabeça Atrás;

- a 2a. Bola, atacada entre o centro e a saída da rede da quadra oposta;

- 1 Pé na Saída (equipes femininas).

 

- Defesa das Bolas que tocam no bloqueio e saem pela linha lateral esquerda.

- Segunda ação da defesa, depois de defesa dos companheiros.

Nos diagrama, 3 e 4 a seguir, D5 está em dois posicionamentos: um mais a frente e outro mais atrás. O mais adiantado é propício à defesa das bolas de 1o Tempo e 2o Tempo, isto é, as mais rápidas. O mais atrás é mais apropriado as bolas de trajetória mais lenta. Por exemplo, a China com um Pé na Saída (no diag. 4) e a de Ponta (em ambos os diagramas).

 

Nota

De um posicionamento para o outro é necessário um deslocamento curto, mas com extrema velocidade.

 

 


 

D6

 

O posicionamento de D6, afim de adequá-lo à velocidade da ação, pode ser:

- no centro da quadra, equidistante às duas linhas laterais;

- no centro-esquerdo da quadra;

- no centro-direito da quadra.

 

Nos dois últimos casos atua em dupla com D5 e D1, respectivamente, como está demonstrado nos diagramas a seguir.

 

 

 

- Posicionado no centro da quadra (diag. 5):

          - Defesa das bolas atacadas à direita e/ou à esquerda do bloqueio, simples, duplo ou triplo;

- Defesa das bolas atacadas que passam entre os bloqueadores, por ocasião de bloqueios duplos e triplos;

- Defesa das bolas que tocam nos bloqueios e saem da quadra, do meio para o fundo da quadra, pelas linhas laterais e do fundo.

             - Segunda ação da defesa.

 

- Posicionado no centro-esquerdo, atuando em dupla com D5 (diag. 6), está apto para a defesa das seguintes bolas (da esquerda para a direita):

            - 1a. Bola China com um Pé na Saída;
            - 2a. Bola atacada na pos. 2 da quadra oposta;
            - 1a. Bola Cabeça Trás;
            - 1a. Cabeça Atrás, do tipo Positiva.

 

- Posicionado no centro-direito, atuando em dupla com D1 (diag. 7), está apto para a defesa das seguintes bolas (da direita para a esquerda):

            - Bola de Ponta na pos. 4, da quadra oposta, sobretudo as atacada na paralela;
            - 2a. Bola atacada na no terço central da rede;
            - Cabeça Frente, do tipo Esquerda;
            - 1a. Bola Cabeça Trás, do tipo Passada.

 

- Em ambos os posicionamentos:

            - Defesa das bolas que tocam no bloqueio e saem da quadra pelas linhas laterais e do fundo.

             - Segunda ação da defesa.

 

Nota

O posicionamento de D6 depende muito de sua percepção em relação às características do atacantes da equipe adversária. Nada o impede de adotar, inicialmente, um posicionamento e mudá-lo no momento em que antecede o ataque e/ou no momento em que este é realizado. Como óbvio, requer velocidade de reação e de velocidade nos deslocamentos.

 

No art. 54 focalizaremos as mesmas combinações, com 1 Atacante do Fundo.

 

Home

Ir para Menu Vôlei de Quadra