Estratégias/Táticas - Artigo 50

 

- Estratégias/Táticas - Defensivas.

- Estratégia Defensiva p/ Neutralizar Combinações com o Centro entre o Meio e a Entrada da Rede (pos. 4).

- Combinações c/ 2 Atacantes na Rede e 2 do Fundo.

 

A Combinação com o Centro do Meio para a Entrada da Rede, com 2 Atacantes na Rede e 2 do Fundo só é utilizada por equipes de alta competitividade. Para ser bem executada requer competência na execução de várias funções. Por exemplo, na recepção do saque, no levantamento e, obviamente, no ataque. Esta última requer especialistas em três tipos de ataque. De 1o. Tempo, de 2o. Tempo e de Fundo. Todos de maneira concatenada e com grande velocidade.

De modo geral, as grandes equipes possuem um atacante - realmente - especialista nos ataques da Bola do Fundo. Em quase todas as equipes ele é escalado na função de Oposto e, quase sempre, não participa da recepção do saque. Para a execução da combinação com dois atacantes do fundo, também de modo geral, as equipes dispõem de um dos atacantes-receptores com capacidade para realizar, também e sistematicamente, ataques do fundo.

 

Nota

A Seleção Brasileira Masculina faz algum tempo tem se notabilizado, entre outras virtudes, por possuir extraordinários atacantes que recepcionam e atacam com eficácia as bolas do fundo. Na década de 80, Bernard, Renam e Montanaro; na de 90, Carlão, Tande e Geovane; na de 2000, ainda Geovane, Nalbert, Giba e Dante. Nos últimos tempos, os mesmos Giba e Dante, e Murilo Endres. Arrisco-me a supor que muito do sucesso obtido nas últimas décadas resultam das performances destes atletas na função de recepcionar o saque e atacar bolas de segundo tempo e bolas do fundo.

 

Nos diagramas a seguir (1, 2 e 3), partindo dos mesmos exemplos (com as mesmas ordens de saques) utilizados nos artigos que trataram da mesma combinação, com um atacante do fundo, estão exemplificadas as participações dos atacantes da Bola do Fundo.

No grupo de diagramas a seguir, os mesmos exemplos (com as mesmas ordens de saque) utilizados nos artigos anteriores em foram focalizadas as combinações sem atacante do fundo. A intenção é facilitar a comparação entre as combinações com e sem atacante do fundo.

A ordem de saque é (visão do fundo da quadra):

 

A3
A2
L
A4
A5
A6/L

 

Os números 3 e 6 são atacantes de 1o. Tempo.

Os números 2 e 5 são atacantes de Ponta/2a. Bola e do Fundo.

O número 4 é o Oposto/atacante de 2a, 3as Bolas e Bolas do Fundo.

L é o levantador, no caso, na pos. 2.

 

A 1a. Bola / Bola de Tempo nas combinações do meio para entrada da rede é a "Chutada" de Meio, finalizada, de modo geral, entre as pos. 3 e 4, da quadra oposta.

A 2a. Bola é uma Meia Bola:

- no diag. 1, na extremidade da rede (pos. 4, da quadra oposta).

- no diag. 2, ponto em que a Primeira Bola/Bola de Tempo "Chutada" de Meio é levantada/atacada e a extremidade da rede, (pos. 4) da quadra oposta;

- no diag. 3, imediatamente após ao ponto em que a Primeira Bola/Bola de Tempo "Chutada" de Meio é levantada/atacada e a extremidade da rede.

Os Ataques do Fundo são realizados pelo Oposto, A4 (pela pos. 1, da quadra oposta), e pelo Atacante-Receptor, A5 (pela pos. 6, da quadra oposta).

 

 

Nota

Repare que, diferentemente dos exemplos apresentados anteriormente, não apresentei a combinação Aquela/Between, na qual o ataque da Segunda Bola é atacada entre o ponto em que o levantador (L) se posiciona e o ponto em que a Primeira Bola é levantada/atacada; o segundo Atacante do Fundo (A5) utiliza justamente este espaço.

No diagrama a seguir, está apresentada a combinação Aquela/Between com um dos Ataques do Fundo pela pos. 5, da quadra oposta. No caso, os três terços da rede são utilizados:

- o terço central pela Primeira e Segunda Bolas;

- o terço à esquerda (pos. 2, da quadra oposta), por um dos Ataques do Fundo;

- o terço à esquerda (pos. 4, da quadra oposta), pelo Segundo Atacante do Fundo.

 

Nos diagramas 3 e 4, um raciocínio com relação aos ataques do fundo. De acordo com as características dos atacantes:

- A4 (Oposto) pode atacar pela pos. 1 e A5 pela pos 5, no espaço proporcionado pelo deslocamento do A3 para o terço central da rede (diag. 4), como nos exemplos anteriores,

ou

- A4 (Oposto) pode atacar pela pos. 5 e A5 pela pos 2, no espaço proporcionado pelo deslocamento do A3 para o terço central da rede (diag. 5).

Nota

Esta variação - do A4 atacando pela pos. 5 - não é comum; as equipes não a fazem. Existem muitas outras e muitas podem ser criadas. Elas preferem que seu mais capacitado atacante da Bola do Fundo - geralmente o Oposto - seja acionado no ponto mais distante do centro da combinação.

 

 

 


 

- Procedimentos no Bloqueio.

 

- Bloqueio por meio da Manobra 1 - 2.

 

Considerando-se que a combinação com 2 atacantes do fundo só é realizada por equipes de altíssima competitividade, a estratégia defensiva por meio da Manobra 1 - 2, utilizada de maneira sistemática, não é recomendável. Desnecessário, portanto, focalizá-la. Logo passaremos a abordar a Manobra 2 - 1.

 


 

- Bloqueio por meio da Manobra 2 - 1.

 

O bloqueio por meio da Manobra 2 - 1 é muito utilizada para neutralizar essas combinações. Como vimos anteriormente, B3 e B2 responsabilizam-se por uma faixa pequena. Logo, podem assumir - juntos - a responsabilidade pelo bloqueio da 1a. e da 2a. Bolas; obviamente, desde que tenham estatura adequada e capacidade técnica para tal.

Para isso, eles devem observar o seguinte procedimento.

- Adotar o posicionamento ombro a ombro na frente do atacante da 1a. Bola (A3), para o bloqueio (duplo) da mesma.

- Nas 2as. Bolas, à direita do ponto em que a 1a. Bola é levantada/atacada, eles devem saltar novamente e/ou executar passadas de ajuste (a fim de encontrar melhor posicionamento) e saltar novamente.

Na 2a. Bola, entre o levantador e a "Chutada" de Meio, cumpre ao B3 e B4 o bloqueio da mesma. Para isso, devem adotar como procedimento.

- B3 salta na 1a. Bola pousa, se desloca para à esquerda e torna a saltar.

- B4, no Posicionamento Fechado, se desloca para à direita e compõe o bloqueio duplo com B3.

 

Nas Bolas do Fundo, pela pos. 1

- B4, no Posicionamento Fechado, se desloca para o bloqueio - muito provavelmente individual.

- B3, no ponto em que se posiciona para o bloqueio da Primeira Bola, se desloca para a esquerda a fim de tentar compor o bloqueio duplo com B4.

 

Nota

A distância que B3 tem que percorrer é bem longo. Por isso, é muito provável que o bloqueio seja individual por B4.

Nas Bolas do Fundo, pela pos. 6

- B4 se desloca à direita para compor o bloqueio duplo com B3.

- B3 salta ou não para o bloqueio da Primeira Bola e/ou Segunda Bola e se desloca à esquerda para formar - na medida do possível - o bloqueio duplo com B4.

 

 

Nota

Os dois bloqueadores B3 e B2, podem se posicionar, antecipadamente, no ponto provável do ataque da 1a e da 2a. Bolas (faixa destacada nos diagramas). O B4, aguarda no Posicionamento Fechado, de maneira que fique equidistante às bolas sob sua responsabilidade.

 


 

B3

- 1ª Atribuição - Responsabilidade Principal.

- De modo geral é o principal responsável pelo bloqueio de 1a. Bola, "Chutada" de Meio. De acordo com o que for estabelecido na Estratégia ou por Opção Tática Individual, eventual/circunstancial, o Bloqueador Central (B3) utiliza-se do artifício tático da Graduação dos Saltos, ou seja, ele pode optar por três procedimentos:

1 - saltar seu máximo, tendo em vista exclusivamente o bloqueio da 1a. Bola;

2 - saltar pouco, tendo em vista conseguir saltar novamente para o bloqueio das 2as. Bolas;

3 - não saltar para o bloqueio da 1a. Bola e aguardar para o bloqueio das 2as. Bolas, tanto à sua direita quanto à sua esquerda.

 

- No procedimento 1, saltar seu máximo tendo em vista o bloqueio da 1ª Bola "Chutada" de Meio (juntamente com B2).

- No procedimento 2, graduar seu salto (saltar pouco), a fim de conseguir saltar novamente para o bloqueio das 2ª Bolas: à sua direita, juntamente com B2; à sua esquerda, juntamente com o B4.

- No procedimento 3, não saltar e esperar para o bloqueio das 2as. Bolas: à sua direita, juntamente com o B2; à sua esquerda, juntamente com o B4.

 

- 2ª Atribuição - Responsabilidade Secundária.

 

- Deslocar-se para a esquerda, independentemente da opção feita para a 1a. e as 2as. Bolas, a fim de bloquear as Bolas do Fundo pela pos. 6 e/ou pela pos. 1. Ambas, na medida do possível, juntamente com o B4.

Nos diagramas a seguir, o posicionamento do B3 defronte a 1a. Bola. Pode ter a companhia do B2. De qualquer maneira, saltando o máximo, pouco ou não saltando, B3 está, praticamente equidistante entre a 2a. Bola, de A2, e a Bola do Fundo, de A5. Está bem distante do ponto em que a Bola do Fundo, pela pos. 1, da quadra oposta. A setas em vermelho indicam, justamente, que ele se desloca lateralmente à esquerda e/ou à direita. O colchete tracejado em vermelho representam os deslocamentos para o bloqueio da Bola do Fundo pela pos. 1, da quadra oposta.

 

 

 

Nota

Chamo atenção para o fato de que a atribuição do Bloqueador Central é espinhosa. Sejam quais forem suas opções, é bastante pequena a probabilidade de sucesso. Aliás, quanto maior for a capacidade dos jogadores da equipe adversária (levantador e atacantes), maior será a dificuldade para bloqueá-los.

Os métodos de avaliação de sua performance estabelecem vários parâmetros. São considerados bloqueios positivos:

- bolas bloqueadas que resultam em ponto;

- bolas amortecidas no bloqueio que são recuperadas pela sua equipe e resultam em contra-ataque.

Como bloqueios negativos:

- bolas que tocam no bloqueio e "morrem", isto é, resultam em ponto para o adversário.

- bolas que nem tocam no bloqueio e resultam em ponto para o adversário.

- bolas que tocam no bloqueio e voltam para a quadra da equipe adversária.

 


 

B2

- 1ª Atribuição - Responsabilidade Principal.

- Bloqueio Individual ou com o B3 da:

- da 1ª Bola "Chutada" de Meio;

- da 2a. Bola entre o ponto em que a "Chutada" de Meio é executada e a extremidade da rede, pos. 2.

 

- 2ª Atribuição - Responsabilidade Secundária.

- Deslocar-se para a esquerda, a fim de tentar participar do bloqueio da 2a. Bola e/ou da Bola do Fundo, atacada pela pos. 6, que passa no terço central da rede.

 

 

 

Nota

É muito difícil o deslocamento de B2 para à esquerda, a fim de participar do bloqueio da 2a. Bola e Ataque do Fundo (de A6). Quando a combinação é bem executada, é muito curto o tempo entre a Bola de Tempo e as 2as. Bolas e Bolas do Fundo; são realizadas praticamente no mesmo tempo. Mesmo assim, ele tem que se mexer - instintivamente - na direção da bola. Logo, caso não consiga participar do bloqueio, encarrega-se das bolas largadas tanto nas 2as. Bolas quanto nas Bolas do Fundo.

 


 

B4

- 1ª Atribuição - Responsabilidade Principal.

- Bloqueio Individual (ou duplo com B3):

- da 2a. Bola, atacada entre o levantador e o ponto em que a 1a. Bola é levantada/atacada.

- da Bola do Fundo pela pos. 6;

- da Bola do Fundo pela pos. 1;

 

- 2ª Atribuição - Responsabilidade Secundária.

- Deslocar-se para à direita a fim de participar do bloqueio da 1a. Bola, "Chutada" de Meio.

 

 

Nota

Esta segunda atribuição é muito difícil de ser cumprida. Na melhor das hipóteses ele saltará atrasado; isso se a bola for mal executada. Como ele está se mexendo para sua direita, no caso de não conseguir participar do bloqueio, encarrega-se da bola "largada" atrás do mesmo, dentro da zona de ataque.

 

 

 

Nota

No diagrama a seguir, a Combinação em que a Segunda Bola (A2) é atacada entre o ponto em que se posiciona o levantador (L) e o ponto em que a "Chutada de Meio" é levantada/atacada. B4, no Posicionamento Fechado se desloca à direita para compor o Bloqueio Duplo com B3.

 

 

 

 

No art. 51, a continuação com os Procedimentos na Defesa.

 

Home

Ir para Menu Vôlei de Quadra