Estratégias/Táticas - Artigo 45

 

- Estratégia/Táticas - Defensivas.

- Estratégia Defensiva para Neutralizar Combinações com o Centro entre o Meio e a Saída da Rede (pos. 2).

- Combinações c/ 2 Atacantes na Rede e c/ 02 Atacantes do Fundo.

- Procedimentos na Defesa.

 

Na elaboração da estratégia defensiva o treinador deve aventar algumas hipóteses e, em função das mesmas, estabelecer prioridades. Por exemplo.

- A pior das hipóteses, isto é, que os ataques sejam finalizados com bloqueio simples. Logo, é grande a probabilidade dos ataques das bolas nos dois primeiros terços da quadra (em relação à rede).

- O tempo em que as bolas são atacadas. Como mencionado anteriormente, as bolas de tempo e as atacadas do fundo são realizadas praticamente no mesmo tempo.

Logo, a primeira mobilização dos jogadores deve ser para defesa destas bolas. Partindo destas premissas os jogadores são posicionados no segundo terço da quadra e darão prioridade à defesa das bolas mais rápidas: as de Tempo e as do Fundo pelo terço central da rede (de A4 e/ou de A5).

Baseados nestas considerações, vejamos de que maneira cada qual se posiciona e quais as suas atribuições.

 

D1

- Na Combinação em que a Bola de Tempo é a Cabeça Frente (diag. 1).

- Defesa da Bola de Tempo Cabeça Frente, que passa à direita de B3.

- Defesa da Bola do Fundo, de A2, atacada pela pos. 6, que passam à direita de B3.

- Defesa da Bola do Fundo, atacada por A4, pela pos. 1, que passa à direita de B4.

- Defesa da Bola de Ponta, de A2, pela pos. 4, que passa à direita de B2.

 

- Na Combinação em que a Bola de Tempo é a Cabeça Atrás (diag. 2).

- Defesa da Bola de Tempo Cabeça Atrás, que passa à direita de B3, e/ou da China com 1 Pé, na Saída da Rede, que passa à direita de B4.

 

- Em ambas as Combinações.

- Defesa das Bolas "Largadas" do centro à linha lateral direita da quadra.

- Defesa das Bolas que tocam o bloqueio e saem da quadra pela linha lateral direita.

- Segunda Ação, isto é, após a defesa por companheiros.

 

Nos diagramas a seguir as mesmas combinações apresentadas no artigo 44, no qual foram focalizados os Procedimentos no Bloqueio. Partindo-se do pressuposto que os bloqueios são individuais, vejamos os procedimentos na defesa. Inicialmente, os de D1.

O retângulo tracejado em vermelho representa a sua Zona da Atuação. Nela, ele se posiciona de acordo com sua percepção em relação as bolas atacadas; um pouco mais frente/atrás, mais à esquerda/direita. No exemplo, todos os atacantes envolvidos na combinação da equipe adversária. Os mesmos estão diferenciados por cores. As trajetórias das bolas atacadas, também em cores, são correspondentes a cada qual. Resumindo, todas as bolas que passam à direita dos bloqueios.

 

Nota

As bolas "Largadas", dentro da Zona de Ataque, são de responsabilidade dos bloqueadores que não participam do bloqueio. Cabe a D1 as direcionadas na Zona de Defesa, entre o centro e a linha lateral direita da quadra.

 

 

 


 

D5

- Na Combinação em que a Bola de Tempo é a Cabeça Frente (diag. 3).

- Defesa da Bola de Tempo Cabeça Frente.

- Defesa da Bola do Fundo, de A5, atacada pela pos. 6, que passa à esquerda de B4.

- Defesa da Bola do Fundo, de A4, pela pos. 1, que passa à esquerda do Bloqueio de B4.

 

- Na Combinação em que a Bola de Tempo é a Cabeça Atrás (diag. 4).

- Defesa da Bola de Tempo Cabeça Atrás, que passa à esquerda de B4 (quando este se encontra no posicionamento fechado) e B3.

- Defesa da Bola do Fundo, de A4, atacada pela pos. 6, que passa à esquerda de B4 - quando este se encontra no posicionamento fechado.

- Defesa da Bola do Fundo, de A6, atacada pela pos. 1, quando a Bola de Tempo é Cabeça Atrás.

 

- Em ambas as Combinações.

- Defesa das Bolas "Largadas" do centro à linha lateral esquerda da quadra.

- Defesa das Bolas que tocam o bloqueio e saem da quadra pela linha lateral esquerda.

- Segunda Ação, isto é, após a defesa por companheiros.

 

Nos diagramas a seguir, continuaremos as mesmas combinações apresentadas no artigo 44, no qual foram focalizados os Procedimentos no Bloqueio. Partindo-se do pressuposto que os bloqueios são individuais, vejamos agora os procedimentos na defesa de D5.

O retângulo tracejado em vermelho representa a sua Zona da Atuação. Nela, ele se posiciona de acordo com sua percepção em relação as bolas atacadas; um pouco mais frente/atrás, mais à esquerda/direita. No exemplo, todos os atacantes envolvidos na combinação da equipe adversária. Os mesmos estão diferenciados por cores. As trajetórias das bolas atacadas, também em cores, são correspondentes a cada qual. Resumindo, todas as bolas que passam à esquerda dos bloqueios.

 

 

 

Notas

- No diag. 4, onde está grafado D1 leia-se D5.

- No diagrama 8, repare que A5 ataca pela pos. 1, quando a Bola de Tempo é Cabeça Atrás, enquanto A4 ataca pela pos. 6.

- Vejamos, por exemplo, quando a Bola de Tempo é a China com 1 Pé na Saída. A6 fica sem função, pois não pode ocupar o mesmo espaço de A3 no ataque da China. Nem o de A4 no ataque do fundo pela pos. 6.

 


 

D6

O D6, como está representado nos diagramas anteriores, se desloca ligeiramente para direita ou para esquerda, de acordo com.

1 - Sua própria sensibilidade - discernimento tático individual.

No momento do levantamento ou, na pior das hipóteses, do ataque, desloca-se, ligeira e antecipadamente, para sua direita ou para sua esquerda e encarrega-se pelas bolas que passam à direita ou à esquerda dos bloqueadores.

2 - Determinação do treinador.

Na composição da estratégia defensiva, levando-se em conta, sobretudo, as características dos atacantes da equipe adversária, é posicionado, antecipadamente, mais à direita ou mais à esquerda. Quando se posiciona à direita, responsabiliza-se, juntamente com o D1, das bolas que passam à direita dos bloqueadores. Quando à esquerda, responsabiliza-se, juntamente com D5, pela defesa das bolas que passam à esquerda dos bloqueadores.

Nos diagramas a seguir. No diag 5, o posicionamento de D6 no centro da quadra. No diag 6, já deslocado antecipadamente para esquerda/direita. As setas tracejadas representam as trajetórias das bolas atacadas. As cores são correspondentes aos atacantes.

 

 

 

A segunda mobilização dos jogadores na defesa tem em vista - diante de provável falha de execução - mover-se um pouco para trás, para os flancos, etc, enfim, para adequação de seus posicionamentos. No caso, como sempre, têm como atribuições.

- Defesa da Bola de Ponta, atacada por A2, na pos. 4, da equipe adversária.

- Defesa das bolas mal atacadas, do meio para o fundo da quadra.

- Defesa das bolas mal "largadas", atrás da linha de ataque.

- Defesa das bolas que tocam no bloqueio e saem da quadra, pelas linhas laterais ou do fundo, do centro até além da linha do fundo..

- Segunda ação da defesa, isto é, a continuidade do jogo após a defesa de um dos companheiros.

 

Nota

Uma observação importante sobre as bolas que tocam no bloqueio e saem da quadra: pelas linhas laterais, D1 se responsabiliza pelas que saem pelo flanco direito, D5 pelo esquerdo; D6 em ambos, sobretudo, nas bolas do centro para o fundo da quadra, que, obviamente, ficam fora do alcance de D1 e D5.

 

A fim de concluir o assunto, chamo atenção para as Bolas Largadas dentro da Zona de Ataque. São de responsabilidade do bloqueador que, por qualquer razão, não participa do bloqueio. Os jogadores de defesa, repito, estão mobilizados para a defesa das bolas atacadas no Primeiro Tempo.

 

Continua no artigo 46, com Estratégias/Táticas para Neutralizar Combinações finalizadas do Meio para Entrada da Rede.

 

Home

Ir para Menu Vôlei de Quadra