Estratégias/Táticas - Artigo 44

 

- Estratégia/Táticas - Defensivas.

- Estratégia Defensiva para Neutralizar Combinações com o Centro entre o Meio e a Saída da Rede (pos. 2).

- Combinações c/ 2 Atacantes na Rede e c/ 02 Atacantes do Fundo.

- Procedimentos no Bloqueio.

Nos diagramas a seguir, uma representação com combinações de ataque nos rodízios com 2 atacantes na rede e com 2 do fundo.

As mesmas foram utilizadas, como referência, nos artigos anteriores em que foram focalizadas combinações sem atacantes do fundo e com 1 atacante do fundo. A intenção com a utilização dos mesmos é a de facilitar o trabalho de apresentação e permitir a comparação entre elas. Na medida em que for possível só será necessário apontar algumas diferenças; quer na formação, quer nos procedimentos dos jogadores no bloqueio e na defesa.

No diag. 1, a Bola de Tempo Cabeça Frente está combinada com a Bola do Fundo na pos. 1 (seta tracejada em azul claro); de modo geral, atacada pelo jogador mais eficiente. O segundo atacante do fundo é o A6 (seta tracejada em vermelho). Ele participa da recepção do saque e, tendo possibilidade, pede e ataca.

No diag. 2, a Bola de Tempo Cabeça Atrás e/ou China com 1 Pé para a Saída da Rede está combinada com a Bola do Fundo pela pos. 6 (seta tracejada em azul claro). O segundo atacante do fundo, novamente, é o A6 (seta tracejada em vermelho). Ele participa da recepção e, tendo possibilidade, pede e ataca.

A Ordem de Saque:

 

A3
A2
A1 (L)
     
A4 (AF)
A5
A6 (L)

 

A3 - Atacante das Bolas de Primeiro Tempo.

A2 - Atacante de Ponta - Passador (recepção do saque).

A1 (L) - Levantador.

A6 (L) - Atacante de Bolas de Primeiro Tempo (substituído na Zona de Defesa pelo Líbero).

A5 - Atacante de Ponta - Passador (recepção do saque).

A4 (AF) - Atacante Oposto e Atacante das Bolas do Fundo.

 

 

O segundo atacante de Bola do Fundo é utilizado em virtude da alguns fatores.

1 - Opção Tática. A equipe dispõe de dois ou três atacantes com grande capacidade para este tipo de ataque e o utiliza:

- sistematicamente, com intuito de dispor de mais um atacante;

- esporadicamente, em situações em que o primeiro atacante fundo, por qualquer razão eventual, não pode exercer a função.

2 - Iniciativa Individual (do segundo atacante). O A6, segundo atacante da bola do fundo, tem boa capacidade, pede a bola em virtude de alguns aspectos:

- auto-confiança. Em determinado momento do jogo, sentindo-se autoconfiante, pede a bola, recebe e ataca;

- em decorrência da impossibilidade do primeiro atacante de cumprir a função, como por exemplo, por ter defendido uma bola, por não estar no ponto convencionado para receber a bola, etc.

- por iniciativa pessoal do levantador, de modo geral, por confiar no segundo atacante ou por intuir que ao acioná-lo causará surpresa para a equipe adversária.

 

Nota

A equipe masculina do Brasil, que conquistou a medalha de ouro, no Campeonato Mundial, em 2002, e nos Jogos Olímpicos de Atenas, em 2004, é um exemplo de utilização do segundo atacante do fundo. Nos rodízios com dois atacantes na rede, o primeiro atacante do fundo sempre foi André Nascimento. Nalbert, Giba e Dante, jogadores de recepção e ataque de ponta e extraordinários atacantes de bola do fundo, exerceram a função de segundos atacantes do fundo. Foram acionados, diria, de modo sistemático nessas bolas: por opção tática - exaustivamente treinada, por iniciativa deles mesmos e por iniciativa do levantador.

 

Antes de apresentar procedimentos no bloqueio e na defesa, acho importante chamar atenção para o fato de que o segundo atacante das bolas do fundo só é utilizado por equipes de altíssima competitividade. Logo, para enfrentá-los, a equipe tem que dispor de excelentes e versáteis bloqueadores. Desta maneira, não apresentarei a manobra 1 - 2; pode ser utilizada, sim, mas apenas de modo esporádico. A estratégia mais eficaz é a 2 - 1. Obviamente, para aproveitar melhor a capacidade dos três bloqueadores.

 

- Procedimentos no Bloqueio.

 

B3

- 1ª Atribuição - Responsabilidade Principal.

- De acordo com o que for estabelecido na Estratégia ou por Opção Tática, eventual/circunstancial, bloqueio duplo (com B4) da:

- Cabeça Frente, quando o ataque do fundo for pela pos. 1 (diag. 3);

- Cabeça Atrás, quando o ataque do fundo ocorre pela pos. 6 (diag.4);

- permanecer no centro da rede (apenas ajustar-se) para o ataque de AF e/ou A5, no terço central da rede (diag. 3).

 

- 2ª Atribuição - Responsabilidade Secundária.

- Deslocar-se para a direita a fim de:

- compor o bloqueio duplo, com o B2, para o ataque do A3 (adversário), em ambas as combinações (diag. 3 e 4);

- compor o bloqueio duplo, com B2, para o ataque do AF pela pos. 6, no caso da mesma ser finalizada um pouco mais à sua direita (diag. 4).

- Deslocar-se (juntamente com o B4) para a esquerda a fim de:

- compor o bloqueio duplo, com o B4, para a Bola de Tempo China com 1 Pé para a Saída da Rede, quando o ataque do fundo é realizado pela pos. 6 (diag. 4);

- compor o bloqueio duplo, com o B4, para a Bola do Fundo pela pos 1 (diag 3);

- compor o bloqueio duplo, com B4, para Bola do Fundo de A5, no caso de a mesma ser finalizada mais à sua esquerda.

Nos diagramas a seguir. A área de atuação de B3.

No diag. 3, ele se posiciona no centro da rede e se movimenta no terço central da mesma (traços verticais em vermelho) Deste ponto, encarrega-se pelo bloqueio da Primeira Bola (Cabeça Frente) e do ataque do fundo de A5 pela pos. 6. São suas Primeiras Atribuições. Os colchetes tracejados em vermelho, representam sua Segunda Atribuição: bloqueio da Bola da Ponta, de A2, (pos. 4 da quadra oposta), juntamente com B2; bloqueio da Bola do Fundo, de AF, pela pos. 1 da quadra oposta, juntamente com B4.

No diag. 4, algumas diferenças. B3 se posiciona em frente ao atacante da Cabeça Atrás (A3). Deste ponto, movimenta-se à direita (linha tracejada em verde), para o bloqueio da Bola do Fundo, de AF, pela pos. 6 da quadra oposta. São suas Primeiras tribuições. Como Segundas Atribuições, o bloqueio da Bola do Fundo, de AF, pela pos 1, juntamente com B4, e o Bloqueio da Bola de Ponta (A3), juntamente com B2.

 

 

Nota

A manobra de deslocar juntamente com o B4 para as bolas atacadas no terço da rede sob responsabilidade deste é uma ação bastante difícil e que requer grande entrosamento.

 


 

B4

- 1ª Atribuição - Responsabilidade Principal.

- Bloqueio Individual (ou com o B3):

- para a Bola de Tempo Cabeça Frente, quando a Bola do Fundo é pela pos. 1 (diag 3);

- para a Bola do Fundo pela pos 1, quando a Bola de Tempo é a Cabeça Frente (diag. 3):

- para a Bola de Tempo Cabeça Atrás e/ou China com 1 Pé na Saída, quando a Bola do Fundo é pela pos. 6 (diag. 4);

- para a Bola do Fundo de A6, quando finalizada nas imediações do ponto da rede em que está posicionado.

 

Nota

Importante mencionar que o B4 por estar no Posicionamento Fechado tem que priorizar o bloqueio das bolas executadas de dentro para fora, ou seja: pela ordem, Cabeça Frente, Bola do Fundo de A6 pela pos. 6, na combinação do diagrama 1; Bola do Fundo AF, pela pos 6, Cabeça Atrás, e China com 1 e/ou Bola do Fundo, de A6, pela pos. 1, na combinação do diagrama 2.

 

- 2ª Atribuição - Responsabilidade Secundária.

Deslocar-se para a direita, a fim de:

- compor o bloqueio duplo ou triplo para a Bola do Fundo pela pos. 6;

- no caso de recepção imperfeita da equipe adversária, compor o bloqueio triplo com B3 e B2, na extremidade da rede para a Bola de Ponta.

 

Nos digramas a seguir, a movimentação de B4., destacada pelas linhas tracejadas em vermelho). No diag. 5, ele se posiciona no limite de sua Zona de Atuação (3m). Deste ponto desloca-se à direita para compor os bloqueios no terço central da rede, ou seja, da Cabeça Frente (por A3) e da Bola Atacada do Fundo pela pos. 6 (por A5); deslocamentos mais curtos. Desloca-se à esquerda, a fim de bloquear a Bola Atacada do Fundo, pela pos. 1 (de A4). No caso da Bola Alta na extremidade da rede (pos. 4 da quadra oposta) é o terceiro homem do Bloqueio Triplo. a mesma ocorre em levantamentos do fundo da quadra, geralmente por erros na recepção ou na defesa.

No diag. 6, apenas se ajusta à direita para o bloqueio da Cabeça Atrás. Desloca-se um pouco mais à direita para o bloqueio do Ataque do Fundo (A5), pela pos. 6 da quadra oposta. Desloca-se à esquerda para o bloqueio da Bola do Fundo (A4), pela pos. 1. Também no caso da Bola Alta na outra extremidade da rede é o terceiro homem do Bloqueio Triplo.

 

 

 


 

B2

- 1ª Atribuição - Responsabilidade Principal.

- Bloqueio Individual ou Duplo (com B3);

- na Bola de Ponta (pos. 4 da quadra oposta) de A2.

- na Bola do Fundo (de AF) pela pos. 6.

 

- 2ª Atribuição - Responsabilidade Secundária.

- Deslocar-se para a esquerda a fim de:

- compor o bloqueio duplo, com o B3, para a Bola do Fundo (de AF) pela pos. 6;

- compor o bloqueio duplo, com o B3, para a Bola de Tempo Cabeça Frente;

- compor o bloqueio duplo, com B3, e, se possível, triplo com B3 e B4, na Bola do Fundo de A6, no terço central da rede.

 

 

Nos diagramas a seguir, a movimentação de B2, nas duas combinações. Em ambos os casos, posiciona-se no limite da sua Zona de Atuação (traço vertical em vermelho). No diag. 7, desloca-se à direita a fim de cumprir sua primeira atribuição: o bloqueio da Bola na Extremidade da Rede (pos. 4 da quadra oposta). À esquerda a fim de compor com B3 o bloqueio para Cabeça Frente (A3).

No diag 8, desloca-se à direita para o bloqueio da Bola de Ponta (A2) e à esquerda para a Bola do Fundo (de A4) pela pos. 6. Diferentemente de B4, não participa de Bloqueio Triplo na extremidade oposta da rede. Como a bola do Fundo pela pos. 1 é uma ação extremamente rápida, não é usual bloqueio triplo.

 

Nota

No caso do bloqueio individual, para a Bola de Ponta, deve proceder de acordo com a estratégia adotada. Isto é, marcar a bola; fechar a trajetória da bola para a paralela/diagonal.

 

 

 

Como é possível constatar, as atribuições dos bloqueadores são extremamente complicadas. No voleibol moderno o ataque das Bolas de Tempo e das Bolas do Fundo é realizado, pra-ti-ca-men-te no mesmo tempo. Este tipo de Combinação de Ataque, como um todo, é uma ação muito rápida. Com dois atacantes do fundo torna-se ainda mais rápida. Quando bem executada torna a missão, dos bloqueadores, bastante difícil; para não dizer inglória.

Alguns fatores contribuem para a melhoria da performance:

1. conhecimento profundo da estratégia e opções táticas ofensivas da equipe adversária;

2. plena familiaridade, de cada jogador, para com suas atribuições;

3. absoluta concentração nos treinamentos tendo em vista adquirir o maior entrosamento possível com os companheiros;

4. elevada atenção, por ocasião dos jogos, para com todos os movimentos dos jogadores da equipe adversária, ao longo de todo o decorrer da partida.

 

No art. 45, continuação com os Procedimentos na Defesa.

 

Home

Ir para Menu Vôlei de Quadra