Estratégias/Táticas - Artigo 42

 

- Estratégia/Táticas Defensivas.

- Estratégias/Táticas - Coletiva.

- Estratégia Defensiva para Neutralizar Combinações com o Centro entre o Meio e a Saída da Rede (pos. 2).

- Combinações c/ 2 Atacantes na Rede e c/ 01 Atacante do Fundo (continuação do artigo 41).

- Bloqueio por meio da Manobra 2 - 1.

O bloqueio por meio da Manobra 2 - 1 tem em vista dar prioridade a marcação, com dois bloqueadores, de um dos dois atacantes da rede. No caso ou o atacante da Bola de Tempo (Cabeça Frente ou Cabeça Atrás) de (A2) ou o atacante da Bola de Ponta (A3). Eventualmente, em determinado momento do jogo em que os bloqueadores entendem que um dos atacantes receberá a bola. Taticamente, por determinação do treinador, levando-se em conta que um dos atacantes é mais capaz, mais efetivo, etc.

Para isso, os bloqueadores das extremidades (B4 e B2) se postam na Posição Fundamental Fechada. Isto é, no início dos terços da rede sob suas responsabilidades. No caso dois têm como 1a. Atribuição - Responsabilidade Principal o bloqueio de um dos dois atacantes. Como 2ª Atribuição - Responsabilidade Secundária, o auxílio ao outro bloqueador, quando a bola não for levantada para a zona pela qual é responsável.

Nos diagramas 3 e 4 a seguir, a Combinação com A2 na Bola de Tempo Cabeça Frente e o AF atacando pela pos. 1.

No diag. 3, a prioridade é a marcação do atacante de ponta A3. Logo, B3 e B2 se posicionam de maneira que, após o levantamento, os dois estejam na frente do A3. O posicionamento do inicial do A3 é exatamente no centro da rede. No momento em que a bola sai das mãos do levantador, ele desloca para compor o bloqueio duplo com o B2. Desnecessário dizer que sua ação requer extrema velocidade de deslocamento. As linhas horizontais sob os bloqueadores indicam seus deslocamentos. Importante: o bloqueio da Bola de Tempo Cabeça Frente, neste caso, cabe ao B4.

No diag. 4, a prioridade é a marcação da 1a. Bola, Cabeça Frente. B4 e B3 se posicionam, lado a lado, de frente para a aproximação do A2. As linhas sob os bloqueadores indicam seus deslocamentos para as segundas atribuições.

 

 

No diag. 5, a prioridade é a marcação do atacante de ponta A3. Logo, B3 e B2 se posicionam de maneira que, após o levantamento, os dois estejam na frente do A3. O posicionamento do inicial do B3 é exatamente no centro da rede. De maneira alguma deve acompanhar a aproximação do A2, uma vez que, ficará muito distante da extremidade da rede em que ocorre o ataque do A3. No momento em que a bola sai das mãos do levantador, ele desloca para compor o bloqueio duplo com o B2. Desnecessário dizer que sua ação requer extrema velocidade de deslocamento. As linhas horizontais sob os bloqueadores indicam seus deslocamentos. Importante: o bloqueio das Bolas de tempo Cabeça Atrás e China com 1 Pé, neste caso, é atribuição do B4.

No diag. 6, a prioridade é a marcação do atacante da 1a. Bola (A2). Da mesma maneira, no momento em que a bola é levantada os dois bloqueadores (B4 e B3) devem estar na frente do A2, no ponto em que este geralmente ataca a Cabeça Atrás. Caso A2, a invés de atacar a Cabeça Atrás parta para o ataque da China com 1 Pé na Saída da Rede, ambos deslocam para o bloqueio da mesma.

 

 

B3

- 1ª Atribuição - Responsabilidade Principal.

- De acordo com o que for estabelecido na Estratégia ou por Opção Tática, eventual/circunstancial, bloqueio duplo (com B4) da:

- Cabeça Frente, quando o ataque do fundo é realizado pela pos. 1 (diag. 5);

- Cabeça Atrás, quando o ataque do fundo ocorre pela pos. 6 (diag.6).

Nota

Vale repetir que as combinações que estão servindo de exemplos combinam a bola de tempo Cabeça Frente com o a bola do fundo pela pos. 1; a Cabeça Atrás e/ou China com 1 Pé para a Saída da Rede com a bola do fundo pela pos. 6.

 

- 2ª Atribuição - Responsabilidade Secundária.

- Deslocar-se para a direita a fim de: - compor o bloqueio duplo, com o B2, para o ataque do A3 (adversário), em ambas as combinações (diag. 5 e 6):

- compor o bloqueio duplo, com B2, para o ataque do AF pela pos. 6 (diag. 6).

- Deslocar-se (juntamente com o B4) para a esquerda a fim de:

- compor o bloqueio duplo, com o B4, para a Bola de Tempo China com 1 Pé para a Saída da Rede, quando o ataque do fundo é realizado pela pos. 6 (diag. 6);

- compor o bloqueio duplo, com o B4, para a Bola do Fundo pela pos 1 (diag 5).

Nota

A manobra de deslocar juntamente com o B4 para as bolas atacadas no terço da rede sob responsabilidade deste, é uma ação bastante difícil e que requer grande entrosamento.

 


 

B4

- 1ª Atribuição - Responsabilidade Principal.

- Bloqueio Individual (ou com o B3):

- para a Bola de Tempo Cabeça Frente, quando a Bola do Fundo é pela pos. 1 (diag 3);

- para a Bola do Fundo pela pos. 1, quando a Bola de Tempo é a Cabeça Frente (diag. 3):

- para a Bola de Tempo Cabeça Atrás e/ou China com 1 Pé na Saída, quando a Bola do Fundo é pela pos. 6 (diag. 5).

 

Nota

Importante mencionar que o B4, por estar no Posicionamento Fechado, tem que priorizar o bloqueio das bolas de dentro para fora, ou seja: pela ordem Cabeça Frente, Cabeça Atrás e China com 1 e Fundo pela pos. 1.

 

- 2ª Atribuição - Responsabilidade Secundária.

Deslocar-se para a direita, a fim de:

- compor o bloqueio duplo ou triplo para a Bola do Fundo pela pos. 6;

- no caso de recepção imperfeita da equipe adversária, compor o bloqueio triplo com B3 e B2, na extremidade da rede para a Bola de Ponta.

 


B2

- 1ª Atribuição - Responsabilidade Principal.

- Bloqueio Individual ou Duplo com B3 na Bola de Ponta.

 

- 2ª Atribuição - Responsabilidade Secundária.

- Deslocar-se para a esquerda a fim de:

- compor o bloqueio duplo, com o B3, para a Bola do Fundo pela pos. 6;

- compor o bloqueio duplo, com o B3, para a Bola de Tempo Cabeça Frente.

 

Nota

O bloqueio da bola de tempo Cabeça Frente só é possível quando a mesma é executada do centro para o terço da rede em que o B2 está posicionado. Ainda assim é uma ação muito difícil, pois está bem distante do ponto em que ela é realizada, além da velocidade com que a mesma é realizada.

Na estratégia defensiva global ele, de modo geral, é praxe o B2 deslocar para sua esquerda e encarregar-se da defesa das bolas "largada" atrás do bloqueio.

 

O ataque da Bola de Tempo é uma ação muito rápida. Muitas vezes não é possível executar o combinado. O bloqueio duplo deve ser uma ação coletiva, ou seja, realizado pelos dois bloqueadores de maneira absolutamente concatenada. Ocorre que, na prática, não é bem assim. Cada bloqueador tem sua sensibilidade com relação ao ponto da rede em que a bola é atacada, a direção que o atacante dará a mesma, o tempo de bloqueio, enfim, uma série de fatores importantes. Na Manobra 2-1, o aspecto fundamental é que os dois bloqueadores se posicionem ombro a ombro, no momento em que a bola sai das mãos do levantador. Na mediada do possível, que cada um feche uma trajetória da bola. Por exemplo, B3 fecha a bola atacada para a pos. 1 da sua quadra e B4 fecha a bola atacada para a pos 5.

Com relação ao tempo do bloqueio, é mais do que natural que haja atraso ou antecipação por qualquer dos dois. Como os bloqueadores centrais - o caso do B3 - têm mais experiência no bloqueio das bolas de tempo, deve ser ele a referência.

Vale lembrar que a manobra, por esses e outros aspectos, deve ser treinada sistematicamente. Para todos os atacantes, de modo geral, e antes dos jogos, de acordo com as características dos atacantes da equipe adversária.

 

Continuação no artigo 43, com os Procedimentos na Defesa.

 

Home

Ir para Menu Vôlei de Quadra