Estratégias/Táticas - Artigo 88

 

- Estratégias / Táticas Ofensivas

- Transições entre Sistemas - Teinamento Tático Coletivo

Conclusão

No início da apresentação dos artigos sobre as Transições entre o Sistemas, mencionei que o desembaraço na execução das mesmas distingue as equipes. É o nível máximo de aperfeiçoamento das mesmas.

Pode significar que tal desembaraço resulte de execuções eficientes das funções componentes dos Sistemas Ofensivo e Defensivo. É evidente que para isso, é necessário que cada jogador desempenhe bem suas atribuições em ambos os sistemas.


A fim de se obter essa importante propriedade, é necessário decompormos, item por item, tudo que contribui para tal, ou seja:

- capacidade física pra e execução dos fundamentos da técnica de todos os tipos e maneira;

- capacidade técnica individual para a execução dos fundamentos da técnica requeridos à execução das atribuições;

- discernimento tático individual a fim de tomar decisões inteligentes com a bola em jogo;

- espírito de solidariedade de modo ajudar os companheiros no cumprimento de suas atribuições.

No Planejamento Global de uma equipe deve constar, um a um, todos esses segmentos. Mais; de modo vinculado. Não basta adquirir uma ou outra capacidade. É necessário, é o ideal, que todos os jogadores as possuam. É trabalho que requer metodologia adequada ao nível de competitividade da equipe. É processo lento e gradativo. Deve ser constituído de etapas, que devem ser vencidas umas após as outras; acelerar esse processo pode ser contra produtivo. Ou seja, é necessária paciência e perseverança, tanto dos treinadores quanto dos jogadores na busca dos objetivos.


Não há nada mais complicado para o desempenho da equipe, como todo, do que contar com jogadores com limitações e com rendimentos insuficientes em quaisquer dos sistemas; sobretudo nas transições entre eles.


Pensando assim, tentei detalhar ao máximo tudo o que considero importante com vistas ao alcance de eficiência no rendimento individual e coletivo. Apresentei componentes importantes com ênfase em subsídios que possibilite treinadores e jogadores entenderem melhor suas atribuições e, por conseguinte, construam discernimento tático, essencial para exercício de uma atividade de natureza coletiva.


Ao longo da minha carreira tive o privilégio de ver algumas equipes extraordinárias na execução das transições; sobretudo as asiáticas, especialistas nessas ações. Mas, à guisa de exemplo, citaria as mais brilhantes: China, no feminino, e Estados Unidos, no masculino, ambas na década de 1980. E Brasil, no masculino, na primeira década dos anos 2000. Dispunham de atletas formidáveis que atuavam como time.

 

Art. 89 - Bloqueio no confronto com as Combinações de Ataque do Voleibol Atual - Parte I

 

Home

Ir para Menu Vôlei de Quadra