Estratégias/Táticas - Artigo 85

 

- Estratégias / Táticas Ofensivas

 

- Transições entre Sistemas - Teinamento Tático Coletivo.

 

- Sequencia de Exercícios no 4.

- Objetivo: consolidação da execução da Saída da Cobertura do Ataque para o Ataque.

- Pressuposto.

A Cobertura do Ataque, função extremamente importante, deve estar treinada e assimilada por todos os jogadores. A partir da mesma serão executados os exercícios que serão sugeridos a seguir.

Vale salientar uma vez mais o pressuposto de que as funções ofensivas – recepção, levantamento e ataque – e as defensivas – bloqueio e defesa foram treinadas e de que todos os jogadores da equipe em treinamento (ET) sabem como proceder nas Transições entre os Sistemas. Do contrário, os exercícios são muito complexos e, consequentemente, inapropriados.

 

- Dinâmica.

 

A equipe realiza o ataque e é bloqueada. Neste exato momento, os jogadores têm que estar posicionados na Cobertura do Ataque. Recuperada a bola pela mesma, os atacantes têm que se deslocar para os pontos da quadra em que fazem suas aproximações para um novo ataque; o Re-Ataque.

 

- Meio Auxiliar.

Uma tabuleta estofada com uma camada de espuma. Retangular, medindo 2 m x 1 m. Com duas hastes para que possa ser segurada. Serão posicionadas (como bloqueios) no lado da quadra oposta em que se está realizando o exercício. Nas pos. 4 ou 3 ou 2. Figura a seguir.

 

 

 

34 – Tabuleta posicionada na Pos. 4 da Equipe em Treinamento (ET). Os jogadores posicionados na Cobertura do Ataque. O treinador / colaborador ou o atacante da pos. 4 (A4) desfere um ataque contra a tabuleta, de modo que possa ser recuperada pela Cobertura.
Neste exato momento, todos os atacantes se deslocam para os pontos que iniciam suas Aproximações Finais para o Ataque. A bola é levantada novamente para pos. 4. Novo ataque na tabuleta, nova cobertura, novo re-ataque, e assim por diante. A sequência pode ser de dois, três ou quatro ataques consecutivos.

 

Nota

Com equipes iniciantes é interessante fazer uma bola pára, outra pára, etc. Para equipe mais bem treinadas é necessário considerar a capacidade física dos jogadores.

 

Nos diagramas a seguir, a distribuição dos jogadores na Cobertura do Ataque (diag. 1). Recuperada a bola, os jogadores nos pontos em que fazem suas Aproximações Finais para o Ataque (diag. 2).

A ordem de saque é: LA2A3A4A5A6.

 

 

35 – Mesma dinâmica do ex. 34. Tabuleta posicionada na Pos. 2 da Equipe em Treinamento (ET). Os jogadores posicionados na Cobertura do Ataque. O treinador / colaborador ou o atacante da pos. 2 (A2) desfere um ataque contra a tabuleta, de modo que possa ser recuperada pela Cobertura.
Neste exato momento, todos os atacantes se deslocam para os pontos que iniciam suas Aproximações Finais para o Ataque. A bola é levantada novamente para pos. 2. Novo ataque na tabuleta, nova cobertura, novo re-ataque, e assim por diante. A sequência pode ser de dois, três ou quatro ataques consecutivos.

Nos diagramas a seguir, a movimentação dos jogadores. Primeiro, na Cobertura do Ataque, depois nos pontos em que fazem as Aproximações Finais. A ordem de saque e a Combinação de Ataque são as mesmas dos diagramas anteriores.

 

 

36 – Mesma dinâmica dos exercícios anteriores. Agora, a Tabuleta posicionada na Pos. 3 da Equipe em Treinamento (ET). Os jogadores posicionados na Cobertura do Ataque. O treinador / colaborador ou o atacante da pos. 3 (A3) desfere um ataque contra a tabuleta, de modo que possa ser recuperada pela Cobertura.
Neste exato momento, todos os atacantes se deslocam para os pontos que iniciam suas Aproximações Finais para o Ataque. A bola é levantada novamente para pos. 2. Novo ataque na tabuleta, nova cobertura, novo re-ataque, e assim por diante. A sequência pode ser de dois, três ou quatro ataques consecutivos.

Nos diagramas a seguir, a disposição da Cobertura do Ataque (diag. 5) e os atacantes nos pontos da quadra em que fazem suas Aproximações Finais para o Ataque.A ordem do saque e a combinação de ataque são as mesmas dos exemplos anteriores.

 

Nota

As disposições da Cobertura do Ataque, apresentadas como exemplo, são sugeridas aleatoriamente. Cada treinador deve organizar a de sua equipe de acordo com o que considerar mais conveniente.

 

 

37 – A mesma mecânica dos exercícios anteriores. Agora começa com o ataque na pos. 4. A Cobertura do Ataque posicionada. Recuperada a bola, o Re-Ataque será finalizado na pos. 2. O ataque, como sempre, na Tabuleta, de modo que possa ser recuperada pela Cobertura. Uma vez recuperada, o Re-Ataque será finalizado na pos. 4, e fim da sequência.

38 – Idem ex. 37. O início agora é com o ataque na pos. 2. Recuperada a bola pela Cobertura, o Re-Ataque é finalizado na pos. 4, também na Tabuleta. Recuperada a bola, o Re-Ataque é concluído na pos. 2.

39 – Idem, exercícios 37 e 38. Agora, começa com o ataque na pos. 3. Recuperada a bola pela Cobertura, o Re-Ataque é finalizado na pos. 4 ou na pos. 2. Recuperada a bola, o Re-Ataque é finalizado na pos 3, 4 ou 2.

40 – A mesma mecânica dos exercícios anteriores. Agora com a participação de uma Equipe Oponente (EO). O ataque é na pos. 4, na Tabuleta. Recuperada a bola pela Cobertura, a bola é levantada para o Re-Ataque também na pos. 4, já com a EO tentando o bloqueio / defesa. A bola continua em jogo até que umas das equipes marque o ponto. O ataque da Equipe em Treinamento (ET) é sempre pela pos. 4.

41 – Idem ex. 40. Agora o início é com o ataque na pos. 2, na Tabuleta. Recuperada a bola pela Cobertura, o Re-Ataque é pela pos. 2, já com a participação da EO, que tenta o bloqueio ou a conquista da posse da bola com a defesa. O jogo continua até que a bola “morra”. O ataque de ET é sempre na pos. 2.

 

Nota

Nos exercícios 40 e 41, o Ataque e o Re-Ataque ocorrem na mesma extremidade da rede. Isso obriga a equipe, sob qualquer circunstância, empenhar-se para superar qualquer dificuldade e Re-Atacar no ponto determinado. Também, superar a dificuldade para marcar o ponto, posto que a EO, muito provavelmente, estará melhor armada defensivamente.

 

42 – Idem, com o início com ataque na pos. 3. Recuperada a bola pela Cobertura, o Re-Ataque pode ser pelas pos. 3, 4 ou 2.

43 – Agora, começa com o Ataque na pos. 4. Recuperada a bola pela Cobertura, o Re-Ataque na pos. 2. A EO tenta o bloqueio e/ou a posse da bola com a defesa. A bola continua em jogo até que uma das equipes marque o ponto.

44 – Idem ex. 43, com o Ataque na pos. 2 e Re-Ataque na pos. 4.

45 – Ataque na pos. 3 e Re-Ataque na pos. 4, 3 ou 2.

 

Nota

O Re-Ataque na extremidade oposta à que inicia o exercício tem vista dificultar a construção do mesmo; uma dificuldade a mais a ser superada.

 

46 – Só para equipes que possuem capacidade para fazer Bloqueio Triplo. O exercício começa com o treinador/colaborador lançando uma bola do fundo da quadra da ET, para ser levantada alta, na pos. 4. O atacante que a receber ataca-a deliberadamente no bloqueio, de modo que possa ser recuperada pela Cobertura. Uma vez recuperada, o Re-Ataque é também na pos. 4. A EO tenta o bloqueio ou a conquista da posse da bola com a defesa. A bola continua em jogo até que uma das bolas marque o ponto.

47 – Idem ex. 47, com o Ataque e o Re-Ataque na pos. 2.

48 – Idem, com o Ataque na pos. 3 e o Re-Ataque nas pos. 2, 3 ou 4.

49 – A mesma mecânica dos exercícios 46, 47 e 48. Agora o Ataque na pos. 4 e o Re-Ataque na pos. 2.

50 – Idem ex. 49. O Ataque na pos. 2 e o Re-Ataque na pos. 4.

51 – Idem, com o Ataque na pos. 3 e o Re-Ataque nas pos. 2, 3 ou 4.

52 – A mesma mecânica dos últimos exercícios. O treinador/colaborador lança a bola para ser levantada em uma das extremidades ou no centro da rede. O ataque intencional contra bloqueio triplo. O Re-Ataque é livre: de acordo com a estratégia ofensiva da ET. A EO tenta o bloqueio ou a conquista da posse da bola com a defesa. A bola continua em jogo até que uma das equipes marque o ponto.

 

Nota

Os exercícios com o Ataque contra bloqueio triplo e o Re-Ataque pré-determinado e/ou livre, tornam a sessão mais de acordo com a realidade do jogo. Ou seja, é necessário comprometimento de todos os jogadores, de ambas as equipes, de modo que consigam alcançar os objetivos propostos.

 

- Aspectos a serem observados durante a realização dos Exercícios.

 

1 – Nunca é demais enfatizar que os exercícios desta sequência são apropriados para equipes cujos jogadores possuem desembaraço na execução das funções requeridas nas transições entre os sistemas – ataque, cobertura do ataque, levantamento, bloqueio e defesa.

2 – Os mesmos devem ser adaptados para atender todos os níveis de competitividade.

3 – A prática dos exercícios desta sequência é excelente meio para a consolidação da Cobertura do Ataque. Contribuem para que os jogadores:

a – adquiram o hábito de cobrir o ataque;

b – familiarizem-se com os posicionamentos da cobertura;

c – melhorem a qualidade de execução dos fundamentos com os quais recuperam a bola.

O treinador, por sua vez, tem oportunidade de:

a – identificar erros;

b – fazer ajustes táticos;

c – chamar atenção para as vantagens da boa recuperação da bola.

 

4 – No artigo em que é focalizada a ação Cobertura e Re-Ataque, menciono a importância da qualidade da execução na recuperação da bola. Ou seja, que a mesma, na medida do possível, seja recuperada com altura tal de modo facilitar o levantamento e, consequentemente, a realização do Re-Ataque.

5 – Outro aspecto importante. Não basta recuperar a bola. Tem que saber o que fazer com a bola. Estar preparado para tomar a decisão mais inteligente. Tem que ter a tática de ataque bem treinada. Os exercícios visam justamente melhorar esses aspectos.

6 – Nos exercícios em que há a participação da Equipe Oponente (EO), o treinador deve realizá-los em todos os seis rodízios; cada qual pode ter deferentes táticas de ataque.

 

Cont. no art. 86, com outra Sequência de Exercícios.

 

Home

Ir para Menu Vôlei de Quadra