Estratégias/Táticas - Artigo 72

- Estratégias / Táticas Ofensivas para Neutralizar as Combinações de Ataque.

- Treinamento Tático Coletivo para Neutralizar Combinações de Ataque.

- Sequência de Exercícios para o Treinamento Tático Coletivo para Neutralizar Combinações de Ataque.

 

Nas sequências de exercícios que serão apresentadas a seguir, para efeito de raciocínio, partiremos da combinação mais simples possível. É utilizada por equipes de base, ou seja, por equipes de colegiais, por equipes de base (mirim), enfim, equipes iniciantes. Duas das bolas componentes dessa combinação (bola altas, meias-bolas chutadas nas extremidades da rede) são comuns em jogos entre equipes de alta competitividade: por ocasião de passes ruins em que a bola é levantada fora da Zona de Levantamento. No diagrama a seguir, a representação gráfica da combinação.

 

- Recepção com 5 Jogadores.

A3 - atacante da Meia-Bola no terço central da rede.

A2 - atacante da Bola Alta, Meia-Bola ou 'Chutada" na pos. 2 da quadra oposta.

A4 - atacante da Bola Alta, Meia-Bola ou 'Chutada" na pos. 4 da quadra oposta.

A ideia é propiciar meios para o raciocínio de treinadores de quaisquer níveis de competitividade. Logo, vamos dividi-la por partes, isto é.

Primeira Decisão: elaborar a estratégia para neutralizar a combinação, levando-se em consideração.

 

1 - Bloqueio da Meia-Bola no terço central da rede: - bloqueio Simples;
  - bloqueio Duplo;
  - da bloqueio Triplo.

 

2 - Bloqueio da Bola nas Extremidades da Rede: - bloqueio Simples;
  - bloqueio Duplo;
  - da bloqueio Triplo.

 

3 - Cobertura da "Largada" atrás do Bloqueio da Meia- Bola: - no bloqueio Simples;
  - no bloqueio Duplo;
  - no bloqueio Triplo.

 

 

Primeiro o treinamento para neutralizar a 1ª. Bola, depois a 2ª. e assim por diante. Nos diagramas a seguir, modalidades defensivas para neutralizar a Meia-Bola no terço central da rede.

No diag. 2, a composição defensiva com bloqueio Simples. A cobertura da "largada" é feita pelo dos bloqueadores das extremidades: B4 e B2.

No diag. 3, com bloqueio Duplo, por B3 e B4. A cobertura é feita por B2, que não participa do bloqueio.

No diag. 4, com o bloqueio Triplo, sem cobertura para a "largada".

Repare que o posicionamento inicial dos defensores é o mesmo nas três alternativas. Varia apenas de acordo com características dos atacantes da equipe adversária.

 

 

 

4 - Cobertura da "Largada" atrás do Bloqueio das Bolas nas Extremidades: - no bloqueio Simples;
  - no bloqueio Duplo;
  - no bloqueio Triplo.

 

4 - Cobertura da "Largada" atrás do Bloqueio das Bolas nas Extremidades: - no bloqueio Simples;
  - no bloqueio Duplo;
  - no bloqueio Triplo.

 

Nos diagramas a seguir, alguns exemplos de bloqueio e cobertura da "Largada" para as Bolas nas Extremidades da Rede, todas no ataque na pos. 4 da quadra oposta.

No diag. 5, bloqueio Duplo fechando a passagem da bola para a diagonal. Repare que a linha vertical em azul claro delimita o espaço para a paralela pelo qual D1 tem a responsabilidade da defesa. A cobertura da "largada" pelo bloqueador que não participa do bloqueio: B4.

No diag. 6, bloqueio Duplo fechando a passagem da bola para a paralela. A cobertura pelo correspondente: D1. B4, que não participa do bloqueio, recua e se posiciona para a defesa das bola atacadas na diagonal.

No diag 7, bloqueio Triplo. A cobertura da "largada" é feita por D1, que se posiciona num posicionamento intermediário a fim de defender a bola "largada", bolas que passam entre bloqueadores e as que tocam no bloqueio e saem pela linha lateral.

 

 

 

4 - Progressão do Treinamento: - ação defensiva para neutralizar a Meia-Bola;
  - ação defensiva para neutralizar a Bola nas Extremidades ;


 

 

- Sequência de Exercícios no. 1

 

01 – A equipe oponente (EO) executando apenas a Meia-Bola no terço central da rede. Os bloqueadores da Equipe em Treinamento (ET) iniciam o exercício na Posição Fundamental (PF) Fechada ou Aberta. A bola entra em jogo (alçada por um colaborador) nas imediações da linha de ataque da quadra oposta.

Após o deslocamento do levantador da EO, o primeiro passo é decidir o número de bloqueadores; Simples ou Duplo. Seja qual for o número o (os) bloqueador (es) se posiciona (m) rigorosamente à frente do atacante com objetivo de fazer o bloqueio-ponto.

No diagrama a seguir, a disposição dos jogadores no início do exercício. O levantador recebe a bola nas proximidades da linha de ataque. Repare no retângulo em azul claro. Significa o terço central da rede, por onde o atacante a Meia-Bola pode finalizar seu ataque. Logo, é a faixa por onde terá que se deslocar.

 

 

 

Nota

O objetivo para com o início do exercício com a bola alçada nas imediações da linha de ataque é o de propiciar maior tempo para ação dos bloqueadores da equipe em treinamento (ET). Mais tarde, com a assimilação dos procedimentos, os inícios serão de acordo com a realidade de jogo.

 

02 – Idem 01, ainda apenas o ataque da Meia-Bola, com bloqueio duplo. De modo geral, com o Bloqueador Central (B3) e o da Pos. 4 (B4). No posicionamento inicial B3 se posta no centro da rede e o B4 do seu lado.

 

 

 

03 – Neste exercício, a ET começa a bloquear as Bolas nas Extremidades da Rede, inicialmente, a atacada na pos. 4 da quadra oposta. O treinador deve estabelecer os bloqueadores que devem realizar o exercício. Vamos exemplificar com B3 e B2, como foi sugerido nos artigos sobre as estratégias/táticas para neutralizar as combinações. B3, posicionado na frente de A3, aguarda o levantamento. Desloca-se com velocidade máxima para compor o bloqueio Duplo.

 

Nota

Importante definir:

a - o flanco da quadra que o bloqueio protegerá;

b - qual dos jogadores será o responsável pela cobertura do bloqueio; bloqueio fechando a paralela, D1, bloqueio fechando a diagonais, B4.

 

Nos diagramas a seguir. No diag. 10, bloqueio Duplo fechando a paralela. D1 cobre o bloqueio e B4 recua para o posicionamento defensivo. No diag. 11, bloqueio Duplo fechando a diagonal; B4 cobre o bloqueio. Os três defensores se ajustam.

 

 

 

 

04 - Idem exercício 03 com o bloqueio-defesa para o ataque na Extremidade da Rede, pela pos. 2 da quadra oposta. Importante definir a área que o bloqueio deve proteger; paralela (diag. 11), diagonal (diag. 12). Também, o jogador encarregado pela defesa das bolas "largadas".

 

 

 

 

05 – Agora o sistema defensivo para a combinação como todo. Da mesma maneira, o treinador estabelece a estratégia a ser utilizada (bloqueadores e defensores). B3 deve se posicionar no terço central da rede, na frente de A3. Aguarda o levantamento. Ajusta-se para o bloqueio de A3 ou se desloca para a extremidade da rede em que a bola é levantada/atacada; a fim de compor o bloqueio com B4 (ataque na pos. 4 da quadra oposta) ou B2 (ataque na pos. 2 da quadra oposta).

Nos diagramas a seguir, dois exemplos. No diag. 14, o bloqueio Duplo fechando a passagem de bola para a paralela; D1 é responsável pela cobertura do bloqueio. No diag. 15, bloqueio Duplo fechando a passagem da bola para a diagonal. B2, que não participa do bloqueio é o responsável pela defesa da bola "largada".

Em ambos, a disposição dos defensores em relação ao procedimento do bloqueio.

 

 

 


 

- Aspectos a serem observados durante a execução dos exercícios.

 

1 - Nesta primeira sequência de exercícios e nas demais que se seguirão, o intuito é o de praticar as funções do sistema defensivo diante de diversas situações de ataque com as quais a equipe encontrará na competição que participa. Começamos com a combinação mais simples. Nas demais o grau de dificuldade, obviamente, aumenta; de modo gradativo.

A primeira ação do Treinador é estabelecer a estratégia defensiva. Diante de cada bola, isoladamente, e diante da mesma com todas as bolas coordenadas. A tendência é que na sucessão de treinamentos haja a consolidação da estratégia e das alternativas táticas. A segunda, é explicar as atribuição dos atletas em todas as funções; no bloqueio e na defesa. Por fim, criar uma atmosfera de cooperação entre todos jogadores em treinamento, ou seja, titulares e resevas.

2 - Sobre a atmosfera de cooperação, aspecto da maior importância é o compromisso de acertar que os jogadores da Equipe Oponente (EO) têm que ter para o bom aproveitamento com o treinamento. Digo isso porque é muito comum os atacantes cometerem erros sucessivos. Quer para não serem bloqueados quer por atacarem de qualquer maneira, etc. Da mesma maneira os levantadores, que muitas vezes não observam seus procedimentos. Por exemplo, atrasam o tempo do levantamento, não imprimem a velocidade requerida à trajetória da bola (ou muito lentas ou muito aceleradas), etc. Enfim, cometem erros por não terem a noção exata das suas importâncias para com o aproveitamento final com o treinamento. O Treinador deve orientá-los para executarem suas atribuições de modo mais aproximado com a realidade de um jogo.

3 – O Bloqueador Central (B3 nos diagramas) é o responsável direto pela execução correta da estratégia de bloqueio. Logo, de cumpri as suas e orientar seus companheiros para que cumpram as suas com máxima eficiência.

4 – O mesmo vale para os defensores. Devem tomar iniciaticas, falar com a bola em jogo, chamar atenção para maiores probabilidades de ataque. Enfim, promoverem uma comunicação geral antes de a bola entra em jogo e com a mesma em jogo.

6 – Os exercícios sugeridos nesta sequência são, diria, estáticos. Os atacantes só fazem o que é recomendado pelo treinador; os bloqueadores já sabem o que vão bloquear. Nas próximas sequências o grau de dificuldade será aumentado gradativamente. O treinador deve ter como meta, desde os primeiros exercícios, a perfeita assimilação dos procedimentos. Mais tarde seus jogadores não terão tanta dificuldade para acompanhar as demais sequências.

 

Cont. no art. 73, com outra Sequência de Exercícios

Home

Ir para Menu Vôlei de Quadra