Estratégias/Táticas - Artigo 64

 

- Estratégias / Táticas Ofensivas

- Estratégias/Táticas Defensivas para Neutralizar as Combinações de Ataque.

- Combinações de Ataque com 2 Atacantes no Primeiro Tempo.

- Procedimentos na Defesa

 

Dando procedimento ao artigo 63 em que focalizaremos os Procedimentos na Defesa diante das mesmas Combinações de Ataque. É necessário partir de alguns pressupostos, ou seja:

1 - Como mencionado nos procedimentos dos bloqueadores, a combinação com dois atacantes em bolas de tempo têm em vista colocar cada atacante contra cada bloqueador:

2 - Quando bem executada é muito grande a probabilidade dos ataques serem finalizados diante de bloqueios simples;

3 - Os defensores devem possuir discernimento tático individual de modo adotar os posicionamentos mais adequados.

Resumindo, a tarefa dos defensores é muito difícil. Os atacantes têm mais espaço na quadra e podem imprimir maior velocidade às trajetórias das bolas. Vejamos seus procedimentos. Vale repetir, a seguir, a Ordem de Saque, os diagramas e as funções de cada jogador da equipe adversária.

Nos diagramas que seguem, a Ordem de Saque é a seguinte:

 

A3 L A5
     
A2 A4 A6

 

A3 e A6 são os Centrais, atacante de Bolas de Primeiro Tempo.

A2 e A5 são os Atacantes de Ponta.

A4 é o Oposto, é o Segundo Atacante das Bolas de Primeiro Tempo.

L é o Levantador.

 

Nota

Nos diagrama está grafado A3/L. Significa que A3, um dos centrais, é substituído nos rodízios em que está na Zona de Defesa.

 

No diag. 1, A6 ataca a "Chutada de Meio", A4 a Cabeça Atrás e A2, atacante de ponto/receptor, ataca a Terceira Bola na pos. 2 da quadra oposta.

No diag. 2, uma variação. A4, em vez de ataca à frente do levantador, como no diag. 1, ataca Cabeça Atrás. A2 finta o ataque no centro da rede, muda o curso e ataca na pos. 2 da quadra oposta.

No diag. 3, uma combinação típica do voleibol feminino. A4 ataca a China com 1 Pé na Saída da Rede e A2 a Desmico da China.

 

 

 

 

D1

 

- Defesa das bolas atacadas à direita dos bloqueios.

- Defesa das bolas que tocam no bloqueio e saem pela linha lateral direita.

- Defesa das bolas “largadas” atrás e/ou à direita de B2 (bloqueador da bola "Chutada de Meio"), de acordo com o seguinte raciocínio.

            - quando B2 fechar a passagem da bola para a paralela, “largada” atrás do bloqueio.

            - quando B2 fechar a passagem da bola pra a diagonal, “largada” à direita do bloqueio, dentro da Zona de Ataque.

- Segunda ação da defesa, isto é levantamento ou recuperação de bolas defendidas, na primeira ação, por um dos companheiros.

 

Notas

- Nos casos de outras “largadas”, a responsabilidade pela de defesa é do bloqueador que não participa do bloqueio.

- Repare nos diagramas a seguir. Destaco, com linhas inclinadas e azul clarinho, a área com maior incidência de "largadas". No diag. 6, destaco em vermelho. O bloqueio para a bola de tempo "Chutada de Meio" é realizado por B3 e B2. Logo, é muito maior a probabilidade de "largadas".

 

 

 

 


 

D5

 

- Defesa das bolas atacadas à esquerda dos bloqueios.

- Defesa das bolas que tocam no bloqueio e saem pela linha lateral esquerda.

- Quanto a defesa das bolas “largadas”, temos que considerar alguns aspectos:

            - Repare no diag. 7, a seguir. B4 se posiciona mais para dentro da quadra quando tem intenção de fechar a passagem da bola para a diagonal. No caso, ele fica frente a frente com a trajetória da bola atacada na paralela. Por isso, sua atribuição é a defesa do ataque da cortada, de modo geral, potentíssima. A defesa da bola “largada” é atribuição de B3, que se desloca do ponto em que saltou para o bloqueio da Cabeça Atrás.

            - Nos diagramas 8 e 9, o caso em que B4 fecha a passagem da bola para a paralela, Ocorrem com elevada frequência a “largada” atrás do bloqueio, e a bola que toca no bloqueio e sai pela linha lateral; o ataque por meio da cortada potente mais provável é para a diagonal. Logo, D5 pode se encarregar dessas bolas. Sua movimentação está representada pela setas tracejadas em vermelho e verde, respectivamente.

- Segunda ação da defesa, isto é levantamento ou recuperação de bolas defendidas, na primeira ação, por um dos companheiros.

 

Notas

Por ser tarefa muito difícil de ser cumprida e com eficiência, os principais times de alta competitividade destacam o Líbero para a atribuição.

 

 

 

 

 


 

D6

 

Como foi focalizado nos procedimentos dos defensores para todas as combinações de ataque, o defensor central (D6) atua de duas maneiras.

 

1 - Posicionado inicialmente no centro da quadra e, dependendo da tática estabelecida e/ou do seu discernimento tático individual, desloca-se para a direita ou para a esquerda.

 

No diagrama a seguir, aproveitando como exemplo as mesmas combinações, o posicionamento inicial de D6 (no centro da quadra). As setas tracejadas, em azul claro, indicam a movimentação para os flancos. Repare que as trajetórias das bolas podem ser à direita e/ou à esquerda dos bloqueios. De acordo com seu discernimento tático individual, deslocará após o levantamento ou após o golpe do atacante na bola.

 

 

 

2 - Posicionado antecipadamente à direita ou à esquerda, para atuar em dupla com os defensores laterais, D1 e D5, com o propósito de defender as bolas atacadas em um dos lados da quadra.

 

No grupo de diagramas a seguir a composição com D1 e D5, respectivamente, para a defesa das bolas atacadas em um dos flancos da quadra (linha tracejada em azul claro). As bolas atacadas mais para baixo, cabem aos defensores das pos. 1 e 5; as atacadas mais para o fundo, cabem ao D6.

 

 

 

 

São suas atribuições:

 

- Posicionado no Centro da Quadra.

            - Defesa das bolas atacadas para o fundo da quadra que passam à direita, à esquerda, entre os bloqueadores (no caso de bloqueio duplo) e por cima dos bloqueios.

            - Defesa das bolas “largadas” em toda extensão do terço final da quadra.

             - Recuperação das bolas que tocam no bloqueio e saem da quadra em toda a extensão da linha do fundo da quadra.

             - Segunda ação da defesa.

 

- Posicionado no Quadrante Direito da Quadra.

 

            - Defesa das bolas atacadas para o flanco direito da quadra, que passam à direita, entre os bloqueadores (no caso de bloqueio duplo) e por cima dos bloqueios.

            - Defesa das bolas “largadas” em toda extensão do terço final da quadra.

             - Recuperação das bolas que tocam no bloqueio e saem da quadra em toda a extensão da linha do fundo da quadra.

             - Segunda ação da defesa.

 

- Posicionado no Quadrante Esquerdo da Quadra.

 

            - Defesa das bolas atacadas para o flanco esquerdo da quadra, que passam à esquerda, entre os bloqueadores (no caso de bloqueio duplo) e por cima dos bloqueios.

            - Defesa das bolas “largadas” em toda extensão do terço final da quadra.

             - Recuperação das bolas que tocam no bloqueio e saem da quadra em toda a extensão da linha do fundo da quadra.

             - Segunda ação da defesa.

 

Nota

 

Embora esteja posicionado, antecipadamente, em um flanco ou outro da quadra, D6 é o último homem da defesa. É sua atribuição a defesa das bolas “largadas” e das que tocam no bloqueio e saem da quadra, em toda a extensão do terço final da mesma. A razão: D1 e D5 estão envolvidos na defesa no primeiro terço, isto é, das atacadas mais para baixo.

 

Cont. no art. 65, com as Combinações com 2 Atacantes em Bolas de Tempo e 1 Atacante do Fundo

 

Home

Voltar para Menu Estratégias/Táticas - Sistema Defensivo

Ir para Menu Vôlei de Quadra